[1]
C. T. Bertti, “A influência dos aspectos emocionais nos disturbios de aprendizagem”, REnCiMa, vol. 9, nº 5, p. 01–13, dez. 2018.