História evolutiva humana e relações étnico-raciais: investigação dos saberes experienciais na formação docente em Biologia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26843/rencima.v15n2a02

Palavras-chave:

Saber Experiencial, Inovação Educacional, Evolução Humana, Educação Antirracista, Ensino de Biologia

Resumo

Partindo da compreensão de que os(as) professores(as) produzem saberes no/para o exercício da profissão pedagógica e deliberam, partilham, aperfeiçoam e introduzem inovações capazes de aumentar a eficácia das suas práticas, o presente trabalho pretende investigar os saberes docentes emersos de uma experiência colaborativa de formação de professores(as). A perspectiva é fundamentar interlocuções curriculares do ensino de evolução humana em consonância com a educação das relações étnico-raciais. O estudo sobre os saberes docentes em nossa pesquisa pretende encontrar soluções para problemas complexos enfrentados na prática educacional, caracterizando a etapa preliminar de uma Pesquisa de Design Educacional. A partir da análise das manifestações discursivas dos(as) participantes na dinâmica formativa, foram identificados saberes experienciais sobre a polissemia do conceito de raça humana, abrangendo aspectos biológicos e socioculturais relacionados à evolução humana, além de considerações acerca da proposição de estratégias metodológicas e inovações para promover a educação das relações étnico-raciais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMEIDA, P. C. A.; BIAJONE, J. Saberes docentes e formação inicial de professores: implicações e desafios para as propostas de formação. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 33, n. 2, maio/ago., 2007.

AMABIS, J. M.; MARTHO, G. R.; FERRARO, N. G.; PENTEADO, P.C.M.; TORRES, C. M. A.; SOARES. J.; CANTO, E. L.; LEITE, L. C. C. Moderna Plus: Ciências da Natureza e suas Tecnologias - Universo e evolução. São Paulo: Moderna, 2020.

ARAÚJO, B. O. P.; NEVES, B. P.; CORREIA, A. F. G.; CAMPOS, C. R. P. Uma sequência didática para aprender Evolução Humana: conhecendo origens e superando preconceitos. In: Anais do XI Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. Florianópolis: UFSC, 2017, p. 29-39.

BARBOSA, J. C.; OLIVEIRA, A. M. P. Por que pesquisa de desenvolvimento na educação matemática? Perspectivas da Educação Matemática, Campo Grande, v. 8, n. 18, p. 526-546, 2015.

BEZERRA, R. J. L. A prática educativa a partir dos seus saberes: refletindo sobre os saberes curriculares e saberes experienciais docentes a partir de Tardif, seus colaboradores e seus comentadores. Revista Cadernos de Estudos e Pesquisa na Educação Básica, Recife, v. 3, n. 1, p. 103-120, 2017.

BORGES, C. M. F.; TARDIF, M. Apresentação. In: Educação & Sociedade – Dossiê: Os saberes dos docentes e sua formação. Cedes, Campinas, n. 74, p. 11-26, 2001.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Resolução nº 1, de 17 de junho de 2004. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. Brasília: Diário Oficial da União, 22 jun. 2004.

BRASIL. Decreto n. 9.099, de 18 de julho de 2017. Dispõe sobre o Programa Nacional do Livro e do Material Didático. Brasília: Diário Oficial da União, 18 jul. 2017.

BRASIL. Lei nº. 11645, de 10 de março de 2008. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena”. Brasília: Diário Oficial da União, 11 mar. 2008.

CAPONI, G. Qué es, si es que es alguna cosa, una raza humana? Princípios: Revista de Filosofia, Natal, v. 27, n. 54, p. 1983-2109, 2020.

CARDOSO, S. C.; SILVA, E. L. Modelo teórico de aproximações para o ensino de Ciências entre as premissas da História da Ciência e do pensamento crítico. Ensino & Multidisciplinaridade, São Luís, v. 7, n. 1, p. 111-130, 2021.

CITELI, M. T. Fazendo diferenças: teorias sobre gênero, corpo e comportamento. Estudos Feministas, Florianópolis, v. 9, n. 1, p. 131-145, 2001.

CAVALCANTI, J. M.; MAIO, M. C. Entre negros e miscigenados: a anemia e o traço falciforme no Brasil nas décadas de 1930 e 1940. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 18, n. 2, 2011.

CRUZ, E. P.; BARZANO, M. A. L. Saberes docentes: um olhar para uma dimensão não exigida nas trajetórias de professores-pesquisadores do curso de licenciatura em ciências biológicas. Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 19, n. 1, p. 117-139, 2014.

DIAS, T. L. D. Ciência, Raça e Literatura: as contribuições de uma exposição itinerante para educação das relações étnico-raciais. 2017. 124f. Dissertação (Mestrado em Ensino, Filosofia e História das Ciências). Universidade Federal da Bahia/Universidade Estadual de Feira de Santana, Salvador.

DIAS, T. L. S. Ensino de evolução humana, questões sociocientíficas e educação antirracista: investigando princípios e protótipos educacionais. 2022. 294f. Tese (Doutorado em Ensino, Filosofia e História das Ciências). Universidade Federal da Bahia/Universidade Estadual de Feira de Santana. Salvador.

DIAS T. L. S.; ARTEAGA, J. M. S. História das ciências e relações étnico-raciais no ensino de evolução humana: aportes para uma educação antirracista. Revista Brasileira de História da Ciência, Rio de Janeiro, v. 15, n. 2, p. 418-436, 2022.

DINIZ, D.; GUEDES, C. Informação genética na mídia impressa: a anemia falciforme em questão. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 11, p. 1055-1062, 2006.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Editora Paz e Terra, 1987.

FREIRE, P. Política e educação. Indaiatuba: Villa das Letras Editora, 1993.

FUKUI, A.; AGUILAR, J. B.; MOLINA, M.; OLIVEIRA, V. S. Ser protagonista: Ciências da Natureza e suas Tecnologias: Evolução, Tempo e Espaço. São Paulo: Edições SM, 2020.

GODOY, L. P.; AGNOLO, R. M. D.; MELO, W. C. Multiversos: Ciências da Natureza: Origens. São Paulo: FTD, 2020.

IMBERNÓN, F. Formação continuada de professores. Porto Alegre: Artmed, 2010.

LOPES, S.; ROSSO, S. Ciências da natureza: Lopes & Rosso: Evolução e Universo. São Paulo: Moderna, 2020.

MATOS, M. I. S. Delineando corpos: as representações do feminino e do masculino no discurso médico. In: MATOS, M. I. S.; SOIHET, R. (Org.). O corpo feminino em debate. São Paulo: UNESP, 2003, p. 107-128.

MORAES, R. Uma tempestade de luz: a compreensão possibilitada pela Análise Textual Discursiva. Ciência & Educação, Bauru, v. 9, n. 2, p. 191-211, 2003.

MORAES, R.; GALIAZZI, M. C. Análise Textual Discursiva. Ijuí: Unijuí, 2011.

MORTIMER, E.; HORTA, A.; MATEUS, A.; PANZERA, A.; GARCIA, E.; PIMENTA, M.; MUNFORD, D.; FRANCO, L.; MATOS, S. Matéria, Energia e Vida: uma abordagem interdisciplinar: Origens: o Universo, a Terra e a Vida. São Paulo: Scipione, 2020.

NASCIMENTO, L. M. M.; SEPULVEDA, C.; EL-HANI, C. N; ARTEAGA, J. M. S. Princípios de planejamento de uma sequência didática sobre a racialização da anemia falciforme. In: Anais do XII Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. Rio de Janeiro: ABRAPEC, 2019, p. 1-10.

NÓVOA, A. Entre a Formação e a Profissão: ensaio sobre o modo como nos tornamos professores. Currículo sem Fronteiras, v. 19, n. 1, p. 198-208, 2019.

NUNES, D. R. P. Teoria, pesquisa e prática em Educação: a formação do professor-pesquisador. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 34, n. 1, p. 97-107, 2008.

PINHEIRO, B. C. S.; ROSA, K. (Org.). Descolonizando saberes: a Lei 10.639/2003 no ensino de Ci¬ências. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2018.

PLOMP, T. Educational design research: An introduction. In: PLOMP, T.; NIEVEEN, N. (Org.). An introduction to educational design research. Enschede: SLO – Netherlands Institute for Curriculum Development, 2009, p. 9-35.

PLOMP, T.; NIEVEEN, N. (Org.). An introduction to educational design research. Enschede: SLO – Netherlands Institute for Curriculum Development. 2009.

QUERINO, M. O colono Preto como fator da civilização Brasileira. Afro-Ásia, Salvador, n. 13, p. 143-158, [1918] 1980.

ROLDI, M. M. C.; SALIM, C.; PIRES, C. R. Ensino de Evolução Humana na Educação Básica: uma intervenção participativa para aproximar aspectos biológicos e aspectos socioculturais. Experiências em Ensino de Ciências, Cuiabá, v. 13, n. 4, 2018.

SANTOS, C.; CALOR, A. Ensino de Biologia Evolutiva utilizando a estrutura conceitual da sistemática filogenética – I. Ciência & Ensino, Piracicaba, v. 1, n. 2, 2007.

SANTOS, P. S. Perspectiva do docente de Ensino Fundamental de escolas da zona leste de São Paulo sobre a iconografia canônica da evolução. 2016. Dissertação (Mestrado em Ensino, História e Filosofia das Ciências e da Matemática). Universidade Federal do ABC. Santo André.

SANTOS, W. L. Contextualização no ensino de ciências por meio de temas CTS em uma perspectiva crítica. Ciência & Ensino, Piracicaba, v. 1, número especial, 2007.

SEPULVEDA, C.; SARMENTO, A. C. H.; GUIMARÃES, A. P. M.; MUNIZ, C. R.; ALMEIDA, M. C. A.; EL-HANI, C. N. A prática social de pesquisa colaborativa e a controvérsia sobre o estatuto epistemológico da pesquisa docente. In: SEPULVEDA, C.; ALMEIDA, M. C. A. (Org.). Pesquisa colaborativa e inovações educacionais em ensino de biologia. Feira de Santana: UEFS Editora, 2016. p. 49-95.

SOUZA, A. L. S. Letramentos de Reexistência: Poesia, Grafite, Música, Dança: Hip-Hop. São Paulo: Parábola, 2011.

SOUZA, H. C. O uso de epistemologias feministas no desenvolvimento de propostas pedagógicas para um ensino de ciências voltado a promoção de equidade de gênero. 2017. 117f. Dissertação (Mestrado em Ensino, Filosofia e História das Ciências). Universidade Federal da Bahia/Universidade Estadual de Feira de Santana, Salvador.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2002.

TARDIF, M.; LESSARD, C. O trabalho docente: elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. Petrópolis: Vozes, 2005.

THOMPSON, M.; REIS, H.; RIOS, E. P.; SANT’ANNA, B.; SPINELLI, W.; NOVAIS, V. L. D.; ANTUNES, M. T. Conexões: Ciências da Natureza e suas Tecnologias: Universo, Materiais e Evolução. São Paulo: Moderna, 2020.

VEIGA, I. P. A. Inovações e projeto político-pedagógico: uma relação regulatória ou emancipatória? Cadernos CEDES, São Paulo, v. 23, n. 61, p. 267-281, 2003.

VERRANGIA, D. A educação das relações étnico-raciais no ensino de ciências: diálogos pos¬síveis entre Brasil e Estados Unidos. 2009. 335 f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal de São Carlos. São Carlos.

VERRANGIA, D.; SILVA, P. B. G. Cidadania, relações étnico-raciais e educação. Educação & Pesquisa, São Paulo, v. 36, n. 3, p. 705-718, 2010.

Downloads

Publicado

20.04.2024

Como Citar

DIAS, Thiago Leandro da Silva; SOUZA, Hemilly Cerqueira. História evolutiva humana e relações étnico-raciais: investigação dos saberes experienciais na formação docente em Biologia . Revista de Ensino de Ciências e Matemática, São Paulo, v. 15, n. 2, p. 1–27, 2024. DOI: 10.26843/rencima.v15n2a02. Disponível em: https://revistapos.cruzeirodosul.edu.br/rencima/article/view/4507. Acesso em: 24 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos