A direção preceituada de um currículo para a educação em ciências: em busca de uma práxis interposta no PLACTS

Autores

Palavras-chave:

Currículo, Educação em Ciências, PLACTS, Práxis Docente

Resumo

O desígnio de um currículo para a Educação em Ciências resgata conceitos basilares dos saberes científicos, reproduzindo conhecimentos sistematizados e sua ação transformadora em um determinado meio social. Portanto, forjando uma práxis particular e suas convicções. Esta reflexão deseja esclarecer as direções que o currículo deve ser dedicado para interpor a práxis docente como mecanismo enriquecedor do Pensamento Latino-Americano em Ciência-Tecnologia-Sociedade (PLACTS) na Educação em Ciências. Para isso, fez-se uma pesquisa bibliográfica qualitativa em sete (07) artigos científicos presentes no periódico brasileiro Ensaio: Pesquisa em Educação em Ciências. À medida representativa, essas obras sondavam a imediação teórica de uma práxis docente firmada na Educação em Ciências. Após a seleção, foi empregado o método analítico de Análise Textual Discursiva (ATD) para o exame de dados. Os resultados sumarizam três classes de observação: (i) Predominância de uma práxis docente inconsciente, (ii) Austeridade do currículo prescrito na formação dos professores de ciências e (iii) Deslocamentos epistemológicos sob o PLACTS na Educação em Ciências.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

João Guilherme Nunes Pereira, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE)

Graduação em Química (2022) pelo Instituto Federal do Ceará (IFCE). Mestrando em Ensino de Ciências e Matemática pelo Instituto Federal do Ceará (IFCE). Tem interesse nas linhas de pesquisa acerca de: ensino de Química, interdisciplinaridade, currículo escolar e avaliação educacional.

Caroline de Goes Sampaio, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE)

Graduação em Química (2006) pela Universidade Estadual do Ceará (UECE), mestrado em Química (2010) pela Universidade Federal do Ceará (UFC) e doutorado em Química (2015) pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Atualmente, exerce a função de docente efetiva no Instituto Federal do Ceará (IFCE) - Campus Maracanaú (40 h/ DE), bem como docente e coordenadora do mestrado acadêmico em Ensino de Ciências e Matemática (PGECM/IFCE) e docente do Doutorado em Ensino da Rede Nordeste de Ensino (RENOEN). No campo da pesquisa, desenvolve trabalhos na área de produtos naturais, nanotecnologia, ensino de Química através da abordagem Ciência, Tecnologia, Sociedade e Ambiente (CTSA) e aprendizagem significativa.

Alexandre Fábio e Silva de Araújo

Graduação em Química (2010) pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), especialização em Ensino de Química (2011) pela Universidade Federal do Ceará (UFC) e mestrado em Ensino de Ciências e Matemática (2017) pelo Instituto Federal do Ceará (IFCE). Tem experiência na área de ensino de ciências desde 2001, atuando nas esferas de educação pública e privada

Downloads

Publicado

2023-01-10