O sinal de igualdade e seus diferentes significados: buscando rupturas na transição entre os Ensinos Fundamental I e II

  • Thaís Helena Inglez Silva Universidade Federal do ABC
  • Alessandro Jacques Ribeiro Universidade Federal do ABC
Palavras-chave: Sinal de Igualdade, Livros Didáticos, Educação Algébrica, Ensino Fundamental.

Resumo

A transição entre os ensinos Fundamental I e II tem sido tema de diversos estudos na área da educação e muitos aspectos pedagógicos e psicológicos são elencados como razões para as rupturas que há nesta transição. Afora isso, considerando-se especificamente a matemática, há indícios da existência de aspectos particulares desta disciplina que intensifiquem tais rupturas. Com o intuito de identificar tais aspectos dessa ruptura, tomamos o sinal de igualdade como um conceito chave, tanto para o Ensino Fundamental I quanto para o II e assumimos a conjectura de que a ressignificação de conceitos pode contribuir com o distanciamento entre os dois momentos. Nesse sentido, nossa pesquisa teve por objetivo analisar como o sinal de igualdade é abordado em duas coleções de livros didáticos dos anos finais do EFI e dos anos iniciais do EFII. Desta análise percebeu-se a descontinuidade de linguagem e de significados atribuídos ao sinal de igualdade nas duas coleções, sendo estes fatores que certamente contribuem para as dificuldades na transição entre os ensinos fundamental I e II.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARAÚJO, A. M. A passagem da 4ª para a 5ª série: o que pensam professores dessas séries sobre os conteúdos essenciais de matemática. 2003. 219 p. Dissertação (Educação). Universidade Federal do Paraná - PR. 2003.

BANDARRA, L. O sinal de igual – um estudo vertical. EIEM 2011 - Ensino e Aprendizagem da álgebra. Actas do Encontro de Investigação em Educação Matemática, M. H. Martinho, R. A. T. Ferreira, I. Vale, J. P. Ponte, (eds), 7-8 Maio, 2011, p. 305–322.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: matemática. Secretaria de Educação Fundamental. Brasília, MEC/SEF. 1997.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: matemática. Secretaria de Educação Fundamental. Brasília, MEC/SEF. 1998.

BRITO, M. R. F. Um estudo sobre as Atitudes em Relação à Matemática em Estudantes de 1º e 2º graus. Tese de Livre Docência não Publicada, UNICAMP, Campinas, 1996

BIGODE, A. J. L; RODRIGUES, J. G. Matemática do Cotidiano & suas Conexões. 4º e 5º anos. São Paulo. FTD: 2008.

CAINELLI, M. R. Entre continuidades e rupturas: uma investigação sobre o ensino e aprendizagem da História na transição do quinto para o sexto ano do Ensino Fundamental. Educ. rev., Curitiba, n. 42, dez. 2011. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104- 40602011000500009&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em 10 nov. 2014.

CAVALCANTI, J. D. B.; SANTOS, M. C. Um estudo sobre compreensões do sinal de igualdade: noção operacional e relacional de equivalência. In: COMITÊ INTERAMERICANO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA, 12, Santiago de Querétaro. Anais... Santiago de Querétaro, 2007. Disponível em <http://cimm.ucr.ac.cr/ciaem/memorias/xii_ciaem/153_estudo_compreensoes.pdf>. Acesso em: 08 nov. 2014.

DANTE, L. R. Livro didático de Matemática: uso ou abuso. Aberto, p. 83-90, 1996. DANTE, L. R. Tudo é matemática. 6º e 7º anos. Ática: 2011.

DIAS DA SILVA, M. H. G. F. Passagem sem rito: as 5ª séries e seus professores. Campinas: Papirus, 1997. Série Pedagógica.

DOMINGUES, M. H. M. S. A escola de 1º grau: passagem da 4ª para a 5ª série. 1985. Tese (Doutorado em Educação). Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação: Psicologia da Educação. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC-SP.

FREITAS, N. K.; RODRIGUES, M. H. O livro didático ao longo do tempo: a forma do conteúdo. Revista da Pesquisa, v. 3, n. 1, p. 1-8, 2008.

HAUSER, S. D. R. A transição da 4ª para a 5ª série do Ensino Fundamental: uma revisão bibliográfica. 2007. 62 p. Dissertação (Psicologia da Educação) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC-SP, 2007.

KIERAN, C. Concepts associated with the equality symbol. Educational Studies in Mathematics, p, 317-326, 1981.

LUCCHESI, F. D. M., FERREIRA, L. A. A transição da 4ª para a 5ª série na educação física. Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte, São Paulo, v. 8, n. 2, p. 111- 122, 2009.

MORTIMER, E. F. Evolução do atomismo em sala de aula: mudanças de perfis conceituais. 1994. 281 f. Tese (Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1994.

SILVA, A. M. R. Dos Estudos Sociais da 4ª série e a Geografia da 5ª série: polemizando sobre a descontinuidade a partir da vivência de ensinar à vivência de ensinar a ensinar. 1999. 174 p. Dissertação (Geociências). Universidade Estadual Paulista - Unicamp, Campinas-SP.

STEPHENS, M. Students’ emerging algebraic thinking in the middle school years. In: J. Watson & K. Beswick (Eds.), Proceedings of the 30th Annual Conference of the Mathematics Education Research Group of Australasia: Mathematics: Essential Research, Essential Practice v.2, p. 678-687 .2007, Hobart, Australia: MERGA

STEPHENS, M.; RIBEIRO, A. J. Working towards algebra: the importance of relational thinking. Revista Latinoamericana de Investigación en Matemática Educativa, México, v. 15, p.374-402, 2012.

TRIVILIN, L. R. Conhecimentos de professores dos anos iniciais do Ensino Fundamental para o ensino dos diferentes significados do sinal de igualdade. Dissertação. (Mestrado em Ensino, História e Filosofia das Ciências e Matemática) – Universidade Federal do ABC (UFABC), 127 f. 2013.

TRIVILIN, L. R.; RIBEIRO, A. J. Conhecimento Matemático para o Ensino de Diferentes Significados do Sinal de Igualdade: um estudo desenvolvido com professores dos anos iniciais do Ensino Fundamental. Boletim de Educação Matemática (BOLEMA). Rio Claro, São Paulo, 2015 (no prelo)

Publicado
2014-07-01
Como Citar
SILVA, T.; RIBEIRO, A. O sinal de igualdade e seus diferentes significados: buscando rupturas na transição entre os Ensinos Fundamental I e II. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 5, n. 2, p. 75-90, 1 jul. 2014.
Seção
Artigos Gerais