Detetive da educação: uma análise retórica crítica de um material didático impresso de História da Ciência para a Educação à Distância

Autores

  • Edmundo Rodrigues Junior Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo
  • Fernando José Luna de Oliveira Universidade Estadual Norte Fluminense
  • Marília Paixão Linhares Universidade Estadual Norte Fluminense
  • Cassiana Barreto Hygino Universidade Estadual Norte Fluminense
  • Vanessa Leandro de Oliveira Alves Universidade Estadual Norte Fluminense

DOI:

https://doi.org/10.26843/rencima.v6i3.905

Palavras-chave:

análise retórica, material didático, ensino de Física, Educação à distância

Resumo

Este trabalho analisa um material didático impresso de história da ciência para a educação à distância à luz das categorias da análise retórica crítica descritas em Nascimento e Martins (2005), formadas por: condição de produção, audiência, autoria e ausências. Assim, procura-se descortinar as condições de produção do material didático impresso, revelar a audiência-alvo do texto, descobrir informações sobre a credibilidade do autor da obra e identificar o que está ausente ou o que é silenciado pelo texto. Os resultados encontrados servem de indicador para melhoria da qualidade desse material e podem servir para que o autor incorpore tais resultados ao seu material. Deseja-se que essa avaliação contribua para que o futuro professor adquira uma visão crítica com relação ao material didático impresso de história da ciência para a educação à distância, buscando identificar os diferentes discursos que podem favorecer ou não a sua inclusão como material de apoio pedagógico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABED. Associação Brasileira de Educação a Distância. Censo ead br. (2013). Disponível em:http://www.abed.org.br/censoead2013/CENSO_EAD_2013_PORTUGUES.pdf. Acesso em: 22 set. 2015.

ALONSO, A. V.; MAS, A. M.; BONINI, S.O. Análisis de materiales para la enseñanza de la naturaleza del conocimiento científico y tecnológico, Revista Eletrónica de Enseñanza de las Ciencias, v. 12, n. 2, p. 243-268, 2013.

BAZERMAN, C. Shaping written knowledge. Madison: University of Wisconsin, 1998.

BEAHR, P. Modelos Pedagógicos em Educação a Distância. Porto Alegre: Artmed, 2009.

BRAGA, M.; GUERRA, A.; REIS, J. C. Breve história da Ciência Moderna, v. 1, 2, 3 e 4. 1ª Ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2004.

BRASIL. Decreto 5.622, de 19 de dezembro de 2005. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seed/arquivos/pdf/dec_5622.pdf. Acesso em 20 jun. 2014.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. (2002). Parecer Conselho Nacional de Educação. Despacho do Ministro em 17 de Janeiro de 2002 Diário Oficial da União, Seção 1, p. 31 de 18 Janeiro de 2002. Disponível em http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/009.pdf. Acesso em 20 jun. 2014.

BRASIL. Ministério da educação: Instituições de Educação Superior e Cursos Cadastrados - consulta avançada (2013). Disponível em: http://emec.mec.gov.br. Acesso em: 20 jun. 2014.

CAMENIETZKI, C.Z.. O Cometa, o Pregador e o Cientista Antonio Vieira e Valentin Stansel observam o céu na Bahia no século XVII. Revista da Sociedade Brasileira de História da Ciência, v.14, p.37-52, 1995

CAMENIETZKI, C.Z. Esboço Biográfico de Valentin Stansel (1621-1705), matemático jesuíta e missionário na Bahia. Ideação, v.3, n.1, p.159-182, 1999.

CAMENIETZKI, C.Z. Nos céus do Brasil. Nossa História, v.1, p.30-34, 2003.

CARMO, L. Perspectivas Históricas e Experimentais no Desenvolvimento da Equivalência Calor-Energia. Dissertação de Mestrado, PPGEC, UFRPE, 1999.

CORDEIRO, M. D.; PEDUZZI. L. O. Q., Consequências das descontextualizações em um livro didático: uma análise do tema radioatividade. Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 35, n. 3, p. 3602, 2013.

DEWITT, R. Worldviews. An Introduction to the History and Philosophy of Science. United Kingdom: Blackwell Publishing Ltd, 2004.

DOU. Diário Oficial da União (2013). Disponível em https://ead.ufsc.br/fisica/files/2013/09/Reconhecimento-do-curso-FSC-EaD-Portaria- n%C2%B042-14.02.2013.pdf. Acesso em: 12 set. 2015.

DUARTE, M. A História da Ciência na prática de professores Portugueses: Implicação para a formação de professores de ciências. Ciência e Educação, v.10, n.3, p.317-331, 2004.

EDITAL 03/2013. Disponível em: https://ead.ufsc.br/fisica/files/2013/05/EDITAL_03_2013_Selecao_tutor_a_distancia- semestre_2014-1.pdf. Acesso em 22 set.2015.

FERREIRA, C.; MEIRELLES. R. O Ensino de Ciências nas Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica no Brasil: um estudo preliminar. Disponível em: http://www.nutes.ufrj.br/abrapec/viiienpec/resumos/R0932-1.pdf. Acesso em: 08 jun. 2014.

FERREIRA, J.M.; MARTINS, A.M. História da ciência; O que é? (2008), Aula 1,. Disponível em http://docente.ifrn.edu.br/mauriciofacanha/2014.1/historia-da-quimica/historia-da-ciencia-o- que-e-e-o-que-nao-e . Acesso em 12 jul.2014.

FERREIRA, J.M; MARTINS, A.F. Discutindo a Natureza da Ciência através da História da Ciência (2008), Aula 8. Disponível em http://www.ebah.com.br/content/ABAAAg4cIAL/hfc-a08- discutindo-a-natureza-ciencia-atraves-historia-ciencia#. Acesso em 25.set. 2015.

FORATO, T. C.; PIETROCOLA, M; MARTINS, R. A. Historiografia e natureza da ciência na sala de aula, Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 28, n. 1, p. 27-59, 2011.

FORATO, T.C.M. A natureza da ciência como saber escolar: um estudo de caso a partir da natureza da luz, Tese (Doutorado em Educação). USP, 2009

FORMOSINHO, S. Nos Bastidores da Ciência 20 anos depois. Imprensa da Universidade de Coimbra, 2007.

FRANCISCO JUNIOR, W.E., ANDRADE, D.R.; MESQUITA, N.A. Visões de cientistas e atividade científica na obra Ponto de Impacto de Dan Brown: possibilidades de inserção de elementos de História e Filosofia das Ciências. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 32, n. 1, p. 76-98, 2015.

GILL, A.; WHEDBEE. K. Discourse as structure and process: a multidisciplinary introduction. London: Sage, 1997.

GIL-PÉREZ, D.; MONTORO, I, A., J; CACHAPUZ, A; PRAIA, J. Para uma imagem não deformada do trabalho científico. Ciência e Educação, v.7, n.2, p.125-153, 2001.

GOMES, G. G.; PIETROCOLA. M. O experimento de Stern-Gerlach e o spin do elétron: um exemplo de quase-história. Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 33, n. 2, 2604 (p.1- 11), 2011.

GOUVÊA, G e OLIVEIRA, C. Educação a Distância na Formação de Professores: Viabilidades, Potencialidades e Limites. Rio de Janeiro: Vieira e Lent, 2006.

GOWIN, D. B. Educating. Ithaca: Cornell: University Press, 1998.

GRAVROGLU, K. O Passado das Ciências como História. 1ed, Lisboa: Porto editora, 2007. GROSS, A. The Rhetoric of Science. Cambridge: Harvard University Press, 1996.

JIANG, F; MCCOMAS, W. Analysis of Nature of Science Included in Recent Popular Writing Using Text Mining Techniques. Science & Education, v. 23 n.9, p.1785–1809, 2014.

JÚNIOR, M. Aristóteles - Retórica. Lisboa: Imprensa Nacional: Casa da Moeda, 2005.

LIMA, Jr. N. Omissões e Distorções dos Pressupostos e Limites de Validade Acerca do Funcionamento e Utilização de Eletroscópios e Eletróforos em Livros-Textos de Física. Dissertação de Mestrado, PPGEC, UFRPE, 2000.

MARTINS, I. Analisando livros didáticos na perspectiva dos Estudos do Discurso: compartilhando reflexões e sugerindo uma agenda para a pesquisa. Pro-Posições, v. 17, n. 1,p.117-136, 2006.

MATTEWS, M. R. História, Filosofia e Ensino de Ciências: A Tendência Atual de Reaproximação. Caderno Catarinense de Ensino de Física, v.12, n.3, p.164-214, dez.1995.

MONTEIRO Jr. F. Síntese ou Distorção: Como os Livros Didáticos de Física Apresentam o Conceito de Timbre? Dissertação de Mestrado, PPGEC, UFRPE, 1999.

MOORE, M.; KEARSLEY G. Educação à distância: uma visão integrada. São Paulo: Cengage Learning, 2008.

MORAN, J. Ensino e Aprendizagem Inovadores com Tecnologias (2002). Disponível em: http://www.eca.usp.br/prof/moran. Acesso em: 02 mai. 2014.

MOREIRA, I. C. A expedição de Couplet à Paraíba-1698, Revista da Sociedade Brasileira de História da Ciência, v.5, p.23-31, 1991.

MYERS, G. Texts in the Social Construction of Knowledge. Madison: University of Wisconsin, 1990.

NASCIMENTO, T. e MARTINS. O texto de genética no livro didático de ciências: uma análise retórica crítica. Investigações em Ensino de Ciências, v.10, n.2, p. 255-278, 2005.

OLIVEIRA, C. E.; FIREMAN, E. C.; FILHO, J.B. A solução atribuída a D’Alembert sobre a ‘Verdadeira Força’ é capaz de diminuir a polêmica ensejada pela crítica de Leibniz a Descartes? Investigações em Ensino de Ciências, v. 18, n. 3, p. 581-600, 2013.

ORLANDI, E. Análise de discurso: princípio e procedimentos. Campinas: Pontes, 1999.

OSTERMANN, F.; RICCI, T. F. Relatividade restrita no ensino médio: Contração de Lorentz- Fitzgerald e Aparência visual de objetos relativísticos em livros didáticos de física. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 19, n.2: p. 176-190, 2002.

PARASKEVOPOULOU, E.; KOLIOPOULOS, D., Teaching the Nature of Science Through the Millikan-Ehrenhaft Dispute. Science & Education, v. 20, p. 943-960, 2011.

PEDUZZI, L. Evolução dos Conceitos da Física- Força e movimento de Tales a Galileu. Florianópolis: Departamento de Física: Universidade Federal de Santa Catarina, 2008.

PEDUZZI, L. Evolução dos Conceitos da Física. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina, 2011.

PERELMAN, C.; OLBRECHTS-TYTECA, L. Tratado da Argumentação. A Nova Retórica. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

PPP. Projeto Pedagógico do curso de licenciatura em física na modalidade à distância Universidade Federal de Santa Catarina. Disponível em: https://ead.ufsc.br/fisica/files/2013/08/PPP_2013.pdf. Acesso em: 15 set. 2015.

PRETI, O. Produção de Material Didático Impresso: Orientações Técnicas e Pedagógicas. Cuiabá: Universidade Federal do Mato Grosso, 2010.

ROCHA, J.F (org). Origens e Evolução das idéias da Física. Salvador, EDUFBA, 2011. RODRIGUES JUNIOR, E.; LUNA, FERNANDO J.; LINHARES, MARÍLIA PAIXÃO. Critérios para a Avaliação de Materiais Didáticos Impressos de História da Ciência para a Educação a Distância. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 31, p. 429, 2014.

RODRIGUES, C. Configurações das abordagens pedagógicas da educação à distância. Revista Brasileira de Aprendizagem Aberta e a Distância, v.10, 2011.

RODRIGUES, E. V.; ZIMMERMANN. E.; HARTMAM, A.M. Lei da Gravitação Universal e os Satélites: Uma abordagem histórico-temática usando multimídia. Ciência e Educação, v. 18, n. 3, p. 503-525, 2012.

SANTOS - NETO, E. Física no Brasil para o ensino médio: uma abordagem para compreensão da ciência e da atividade científica. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências) USP, 2007.

SEED. Secretaria de Educação a Distância (2007). Referenciais de Qualidade para a Educação Superior à distância. Disponível em http://portal.mec.gov.br/seed/arquivos/pdf/referenciaisead.pdf. Acesso em 20 set. 2015.

SEQUEIRA, M e LEITE, L. A História da Ciência no Ensino-Aprendizagem das Ciências.

Revista Portuguesa de Educação, v.30, n.2, 1988.

SILVA, C.C.; PRESTES, M. E (orgs). Aprendendo ciência e sobre sua natureza: abordagens históricas e filosóficas. 1ª Ed, São Carlos: Tipografia Editora, 2013.

STINNER, A.; MCMILLAN, B.; DON METZ; JILEK, J.; KLASSEN, S. The Renewal of Case Studies in Science Education, Science & Education, v.12, n.12, p.617–643, 2003.

WENZEL, J. W. Three Perspectives on Argument: Rhetoric, Dialetic, Logic. Em: R. Trapp & J. Schuetz (Eds.), Perspectives of argumentation: Essays in honour of Wayne Brockriede , Illinois: Waveland, p.9-26, 1990.

Downloads

Publicado

2015-10-28

Como Citar

JUNIOR, E. R.; OLIVEIRA, F. J. L. de; LINHARES, M. P.; HYGINO, C. B.; ALVES, V. L. de O. Detetive da educação: uma análise retórica crítica de um material didático impresso de História da Ciência para a Educação à Distância. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, [S. l.], v. 6, n. 3, p. 91–112, 2015. DOI: 10.26843/rencima.v6i3.905. Disponível em: https://revistapos.cruzeirodosul.edu.br/index.php/rencima/article/view/905. Acesso em: 27 nov. 2022.

Edição

Seção

Artigos