Atividades investigativas em um ambiente de Geometria Dinâmica

Autores

  • Guilherme Henrique Gomes da Silva Universidade Federal de Alfenas

DOI:

https://doi.org/10.26843/rencima.v2i1.48

Palavras-chave:

Geometria Dinâmica, Geogebra, Grupos de Estudos, Zona de Risco, Atividades Investigativas

Resumo

Esse artigo apresenta resultados de uma pesquisa cujo objetivo foi analisar como participantes de um grupo de estudos, formado por futuros professores de Matemática se apropriaram do Geogebra, um software de geometria dinâmica, de forma a inseri-lo em sua futura prática docente e analisar as contribuições que a participação em um grupo de estudos pode propiciar aos licenciandos. O grupo se reuniu para ler e discutir artigos científicos, explorar o software de geometria dinâmica e elaborar uma oficina para alunos do ensino médio de uma escola. Nesse artigo é dado um destaque especial ao enfoque investigativo utilizado pelo grupo na elaboração das fichas de atividades e nos possíveis imprevistos que podem ocorrer quando o professor está inserido em um ambiente de aprendizagem baseado na Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC). Isso será evidenciado através de episódios ocorridos durante a oficina e nas discussões realizadas pelos futuros professores no grupo de estudos. Os resultados mostram que o estudo teórico e as discussões realizadas no âmbito do grupo de estudos foram fundamentais para que os licenciandos não se imobilizassem diante dos imprevistos e pudessem estimular o senso investigativo do aluno através de atividades mediadas pelo computador.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BAULAC, Y., BELLEMAIN, F., LABORDE, J.M. (designers); CABRI: The interactive geometry notebook Cabri-Géomètre. [Computer software]. Pacific Grove, CA: Brooks-Cole, 1992.

BORBA, M.C.; PENTEADO, M.G. Informática e Educação Matemática – 2.Ed. Belo Horizonte – Autêntica, 2001.

BROCARDO, J. As investigações na sala de aula de matemática: um projeto curricular no 8º ano. 2001. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade de Lisboa: APM.

CLEMENTS D.H., SARAMA, J., YELLAND N.J., GLASS, B.; Learning and teaching geometry with computers in the elementary and middle school. In: BLUME G.W., HEID, M.K., (Eds). Research on technology and the teaching and learning of Matematics: Volume 1. Research Systheses. Charlotte, North Carolina, USA: Information Age Publishing, Inc., 2008, p.109-154.

GOLDENBERG, E.P., SCHER, D., FEURZEIG, N.; What lies behind dynamic interactive geometry software? In: BLUME G.W., HEID, M.K., (Eds). Research on technology and the teaching and learning of Matematics: Volume 2. Cases and Perspectives. Charlotte, North Carolina, USA: Information Age Publishing, Inc., 2008, p.53-88.

HOHENWARTER, M. (designer); Geogebra - Dynamic Mathematics for Schools, versão 3.0, [computer software] 2007; Departamento de Matemática Aplicada da Universidade de Salzburgo, Áustria.

HOLLEBRANDS, K., LABORDE, C., STRÄBER, R.; Technology and the learning of geometry at the secondary level. In: BLUME G.W., HEID, M.K., (Eds). Research on technology and the teaching and learning of Matematics: Volume 1. Research Systheses. Charlotte, North Carolina, USA: Information Age Publishing, Inc., 2008, p.155-206.

LÉVY, P.; Cibercultura. Tradução de Carlos Irineu da Costa. São Paulo: Ed.34, 1999, 264p. (Coleção TRANS); OLIVEIRA, H., PONTE, J. P., SANTOS, L., & BRUNHEIRA, L. Os professores e as atividades de investigação. In P. Abrantes, J. P. Ponte, H. Fonseca, & L. Brunheira (Eds.), Investigações matemáticas na aula e no currículo (pp. 97-110). Lisboa: Projecto MPT e APM, 1999.

PENTEADO, M.G. Computer-based learning environments: risks and uncertainties for teacher. Ways of knowing Journal, 1 (2), 23–35, 2001.

PONTE, J.P.; OLIVEIRA, H.; CUNHA, M.H.; SEGURADO, M.I.; Histórias de investigações matemáticas; Lisboa: Instituto de Inovação Educacional, 1998, 142 p.

PONTE, J. P., FERREIRA, C., VARANDAS, J., BRUNHEIRA, L. e OLIVEIRA, H. (1999). A relação profesor-aluno na realização de investigações matemáticas. Lisboa: Projecto Matemática Para Todos e Associação de Professores de Matemática.

PONTE, J.P.; BROCARDO, J.; OLIVEIRA, H. Investigações Matemáticas na sala de aula. (Coleção Tendências em Educação Matemática, 7). Belo Horizonte: Autêntica, 2006, 152 p.

PORFÍRIO, J. & OLIVEIRA, H. Uma reflexão em torno das tarefas de investigação. In: P. ABRANTES, J. P. PONTE, H. FONSECA, & BRUNHEIRA (Eds), Investigações matemáticas na aula e no currículo. Lisboa: Projecto MPT e APM, 1999, p.111-118.

ROCHA, A.; PONTE, J.P.; Aprender matemática investigando. Revista Zetetikê, v. 14, n. 26. p. 29-54; 2000

SKOVSMOSE, O.; Desafios da reflexão em educação matemática crítica; coleção Perspectivas em Educação Matemática; tradução: Orlando de Andrade Figueiredo, Jonei Cerqueira Barbosa. – Campinas – SP: Papirus, 2008, 138 p.

VALENTE, J.A.; Computadores e conhecimento: repensando a educação. Campinas, SP: UNICAMP, 1993.

WINTERLE, P., Vetores e Geometria Analítica. São Paulo, Markron Books, 2000.

Downloads

Publicado

2012-01-10

Como Citar

SILVA, G. H. G. da. Atividades investigativas em um ambiente de Geometria Dinâmica. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, [S. l.], v. 2, n. 1, p. 9-29, 2012. DOI: 10.26843/rencima.v2i1.48. Disponível em: https://revistapos.cruzeirodosul.edu.br/index.php/rencima/article/view/48. Acesso em: 5 out. 2022.

Edição

Seção

Artigos