Discussões sobre livros e materiais didáticos nas Licenciaturas em Matemática das universidades estaduais paulistas: revelações de seus Projetos Pedagógicos de Curso

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26843/rencima.v14n1a01

Palavras-chave:

Livro Didático, Formação de Professores, Licenciatura em Matemática, Projeto Pedagógico de Curso

Resumo

Os livros didáticos estão fazendo parte da agenda atual de reflexões e investigação em Educação Matemática. Considerando a formação inicial do professor de Matemática como um lócus relevante para inquirir sobre as possibilidades que os diferentes recursos proporcionam na tomada de decisões relacionadas à prática docente, cogitamos: os cursos presenciais de Licenciatura em Matemática das universidades estaduais paulistas têm oportunizado discussões/reflexões a respeito do livro didático? Para isso, analisamos de forma qualitativa os Projetos Pedagógicos desses cursos, realizando uma pesquisa documental com os pressupostos da análise de conteúdo. Como resultados, encontramos que todos os cursos trazem menções ao livro didático e/ou materiais didáticos, seja no perfil do egresso ou em componentes curriculares, com foco maior no aspecto de análise desses recursos. Consideramos que este estudo contribui com um debate a respeito do livro didático, além de apontar investigações e lacunas no campo da pesquisa sobre este material.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALVES, A. A.; FRANÇA, A. A.; FERNANDES, F. G. P.; NERIS, J. S. A análise do livro didático na prática de ensino em Matemática: contribuições à formação docente. In: ENCONTRO BAIANO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA, 18, Ilhéus. Anais do 18º EBEM. Ilhéus: SBEM-BA, 2019, p. 1-5.

AMARAL, R. B; MAZZI, L. C.; ANDRADE, L. V.; PEROVANO, A. P. Livro didático de matemática: compreensões e reflexões no âmbito da Educação Matemática. Campinas: Mercado de Letras, 2022. (no prelo)

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BASTOS, A. S. A. M. Noções de porcentagem, de desconto e de acréscimo na educação de jovens e adultos. In: LOPES, C. E.; CURI, E. (Org.). Pesquisa em Educação Matemática: um encontro entre a teoria e a prática. São Carlos: Pedro e João Editores, 2008, p. 179-208.

BITTAR, M. A methodological proposal for textbook analysis. The Mathematics Enthusiast, v. 19, n. 2, p. 306-340, 2022.

BRASIL. Decreto nº 9.099, de 18 de julho de 2017. Dispõe sobre o Programa Nacional do Livro e do Material Didático. Brasília: Diário Oficial da União, 19 jul. 2017a.

BRASIL. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Edital de convocação para o processo de inscrição e avaliação de obras didáticas e literárias para o Programa Nacional do Livro e do Material Didático PNLD 2020. Brasília: FNDE, 2018b.

BRASIL. Informe 46/2017. Dispõe sobre livros didáticos destinados à EJA. Brasília: COARE/FNDE, 2017b.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Parecer n. 1302, de 6 de novembro de 2021. Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Matemática, Bacharelado e Licenciatura. Brasília: MEC/CNE.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP Nº 2, de 20 de dezembro de 2019. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial de Professores para a Educação Básica e institui a Base Nacional Comum para a Formação Inicial de Professores da Educação Básica (BNC-Formação). Brasília: MEC/CNE, 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC/SEB, 2018a.

CHOPPIN, A. História dos livros e das edições didáticas: sobre o estado da arte. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 30, n. 3, p. 549-566, 2004.

CRECCI, V. M.; FIORENTINI, D. Gestão do currículo de Matemática sob diferentes profissionalidades. Bolema, Rio Claro, v. 28, n. 49, p. 601-620, 2014.

CRESWELL, J. W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2010.

CUCCO, M. P.; MÜLLER, T. M. P. O ensino das artes como construtor de universalidades e suas implicações no livro didático. In: COELHO, W. N. B.; MÜLLER, T. M. P.; SILVA, A. F. (Org). Formação de professores, livro didático e Escola Básica. São Paulo: Livraria da Física, 2016. p. 97-128.

FORNER, R.; MALHEIROS, A. P. M. Modelagem e o legado de Paulo Freire: sinergias e possibilidades para a Educação Básica. Revista de Educação Matemática, São Paulo, v. 16, n. 21, p. 57-70, 2019.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

GUIMARÃES, G. et al. Livros didáticos de Matemática nas séries iniciais: análise das atividades sobre gráficos e tabelas. In: ENCONTRO NACIONAL DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA, 9., 2007, Belo Horizonte. Anais do 9º ENEM. Belo Horizonte: SBEM, 2007, p. 1-17.

IMBERNÓN, F. Formação docente e profissional: formar-se para mudança e a incerteza. São Paulo: Cortez, 2010.

JANUARIO, G. Marco conceitual para estudar a relação entre materiais curriculares e professores de Matemática. 2017. Tese (Doutorado em Educação Matemática) — Faculdade de Ciências Exatas e Tecnologia. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo.

LAJOLO, M. Livro didático: um (quase) manual de usuário. Em Aberto, Brasília, v. 16, n. 69, p. 3-9, 1996.

LITOLDO, B. F. A contextualização e os níveis de demanda cognitiva de tarefas de geometria presentes em livros didáticos de matemática sob a perspectiva do Opportunity-To-Learn. 2021. Tese (Doutorado em Ensino de Ciências e Matemática) — Instituto de Física. Universidade Estadual de Campinas. Campinas.

LOPES, J. A. Livro didático de matemática: concepção, seleção e possibilidades frente a descritores de análise e tendências em educação matemática. 2000. Tese (Doutorado em Educação) — Faculdade de Educação. Universidade Estadual de Campinas. Campinas.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

MARTÍNEZ BONAFÉ, J. Materiales curriculares y cambio educativo. Siete cuestiones abiertas y una propuesta de urgencia. Web Universitat de València, p. 1-17, 1999.

MORAOVÁ, H. Pre-service and in-service teachers’preference when selecting mathematics textbooks. Proceedings of the 1st ICMT, Southampton, p. 351, 2014.

NÉRICI, I. G. Introdução à Didática Geral: dinâmica da escola. 14. ed. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura, 196?.

PEROVANO, A. P.; GUIMARÃES, D. R.; LITOLDO, B. F. Análise do livro didático de matemática no Third International Conference on Mathematics Textbooks Research and Development: perspectivas e possibilidades de pesquisa. Alexandria, Florianópolis, v. 15, n. 2, p. 237-261, 2022.

SHAWER, S. F. Teacher-driven curriculum development at the classroom level: Implications for curriculum, pedagogy and teacher training. Teaching and Teacher Education, v. 63, p. 296-313, 2017.

SILVA, J. N. D. Tecnologias digitais na Educação Matemática com Jovens e Adultos: um olhar para o CIEJA/Campo Limpo. 2020. Tese (Doutorado em Educação Matemática) — Instituto de Geociências e Ciências Exatas. Universidade Estadual Paulista. Rio Claro.

STRAY, C. Paradigm regained: towards a historical sociology of the textbook. Journal of Curriculum Studies, Basingstoke, v. 26, n. 1, p.1-29, 1994.

TURRA DÍAZ, O. R. A atualidade do livro didático como recurso curricular. Linhas Críticas, Brasília, v. 17, n. 34, p. 609-624, 2011.

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Matemática do IME-USP. São Paulo, [2022].

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Projeto Pedagógico do Curso Licenciatura em Matemática. São Carlos, 2021.

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. Coordenação do Curso de Matemática. Projeto Pedagógico dos Cursos de Graduação em Matemática. Campinas, 2015.

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA. Conselho do Curso de Graduação em Matemática. Projeto Político Pedagógico com proposta de alteração curricular do curso de Licenciatura em Matemática da Faculdade de Engenharia. Ilha Solteira, 2019.

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA. Conselho do Curso de Graduação em Matemática. Projeto Pedagógico: curso de Licenciatura em Matemática. Presidente Prudente, 2017.

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA. Conselho do Curso de Graduação em Matemática. Projeto Pedagógico do Curso. Rio Claro, [2022].

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA. Conselho do Curso de Graduação em Matemática. Projeto Político-Pedagógico dos Cursos de Graduação em Matemática do Ibilce. São José do Rio Preto, 2018.

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA. Coordenação do Curso de Licenciatura em Matemática. Projeto Político-Pedagógico do Curso de Matemática. Guaratinguetá, 2014.

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA. Curso de Matemática – Licenciatura. Coordenação do Curso. Projeto Pedagógico do Curso de Matemática – Licenciatura. Bauru, 2019.

ZABALA, A. A prática educativa: como ensinar. Tradução de Ernani Ferreira da Fonseca Rosa. Porto Alegre: Artmed, 1998.

Downloads

Publicado

2023-01-01

Como Citar

GUIMARÃES, D. R.; PEROVANO, A. P. . Discussões sobre livros e materiais didáticos nas Licenciaturas em Matemática das universidades estaduais paulistas: revelações de seus Projetos Pedagógicos de Curso. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, [S. l.], v. 14, n. 1, p. 1–24, 2023. DOI: 10.26843/rencima.v14n1a01. Disponível em: https://revistapos.cruzeirodosul.edu.br/index.php/rencima/article/view/4397. Acesso em: 27 jan. 2023.

Edição

Seção

Artigos