Uma análise das rotinas do Discurso Matemático Escolar em livros paradidáticos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26843/rencima.v13n5a24

Palavras-chave:

Livro Paradidático de Matemática, Narrativas Ficcionais, Discurso Matemático, Rotinas do Discurso Matemático Escolar

Resumo

Esta pesquisa teve por objetivo identificar e caracterizar as rotinas do Discurso Matemático Escolar (DME) presentes em narrativas ficcionais de livros paradidáticos de Matemática. As discussões apresentadas estão embasadas nos pressupostos teóricos que compreendem a Matemática como um tipo de discurso. É uma pesquisa qualitativa que trata de uma análise dos livros paradidáticos de Matemática disponíveis no acervo do Laboratório de Ensino de Matemática (LEM), da Faculdade de Matemática (FAMAT) na Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa). Os resultados revelaram a presença de quatro tipos específicos de rotinas matemáticas, entre as quais se destacam para a discussão, neste artigo, a de resolver problemas e a de resolver exercícios. Estas, por sua vez, tendem a contribuir efetivamente para o ensino e aprendizagem da Matemática, desde que inseridas adequadamente em um livro paradidático.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMEIDA, Ana Virgínia de; SOUZA, Elizabeth Gomes; MENDUNI-BORTOLOTI, Roberta D'Angela. Um zoom nas produções discursivas em tarefas de Early Álgebra de crianças dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental. Espaço Plural, Marechal Cândido Rondon, v. 18, n. 36, p. 41-73, 2018.

BRONCKART, Jean-Paul. Atividade de linguagem, textos e discurso: por um interacionismo sócio-discursivo. São Paulo, Educ. 1999.

ONUCHIC, Lourdes de la Rosa. Ensino-aprendizagem de Matemática através da resolução de problemas. In: BICUDO, Maria Aparecida Viggiani (Org.). Pesquisa em Educação Matemática. São Paulo: EdUNESP, 1999, p.199-220.

COSTA, Cláudio Fernandes da. Por que resolver problemas na Educação Matemática? Uma contribuição da Escola da Gestalt. 2008. 220f. Tese (Doutorado em Educação) — Centro de Teologia e Ciências Humanas. Pontifícia Universidade Católica. Rio de Janeiro.

DALCIN, Andreia. Um olhar sobre o paradidático de Matemática. Zetetike, Campinas, v. 15, n. 1, p. 25-36, 2009.

FAIRCLOUGH, Norman. Discurso e mudança social. Tradução de Izabel Magalhães. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2001. [1992].

FIORENTINI, Dário; LORENZATO, Sérgio. Investigação em Educação Matemática: percursos teóricos e metodológicos. Campinas: Autores Associados, 2007.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

LIMA, Alesson Silva de; GURGEL, Tereza Cristina Machado da Câmara; ROCHA, Milena Barbosa da; PONTES, Mércia de Oliveira. Descobrindo a geometria com o hagáquê. In: ENCONTRO NACIONAL DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA, 11, 2013, Curitiba. Anais... Curitiba: SBEM, 2013.

LÜDKE, Menga; ANDRÉ, Marly. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 2018.

MENDUNI-BORTOLOTI, Roberta D'Angela; BARBOSA, Jonei Cerqueira. Matemática para o ensino do conceito de proporcionalidade a partir de um estudo do conceito. Educação Matemática Pesquisa, São Paulo, v. 20, n. 1, p. 269-293, mai. 2018.

MUNAKATA, Kazumi. Produzindo livros didáticos e paradidáticos. 1997. 223f. Tese (Doutorado em Educação) ― Faculdade de Educação. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo.

OLIVEIRA JÚNIOR, Ailton Paulo de; CIABOTTI, Valéria. Discussão sobre o processo de elaboração de um livro paradidático para o Ensino de Probabilidade à luz da Teoria Antropológica do Didático. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, São Paulo, v. 9, n. 2, p. 52-71, mai. 2018.

ORLANDI, Eni Puccinelli. Análise de discurso: princípios e procedimentos. 7. ed. Campinas. Pontes, 2007.

PIANO, Carlesom dos Santos. Estórias que ensinam Matemática: uma análise do discurso matemático escolar em livros paradidáticos. 2020. 86f. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemática) ― Instituto de Ciências Exatas. Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará. Marabá.

RAMOS, Luzia Faraco. Uma proporção ecológica. 21. ed. São Paulo: Ática, 2002.

RIPARDO, Ronaldo Barros (Org.). Joãozinho no país da Álgebra. Curitiba: MouraSa, 2017.

RIPARDO, Ronaldo Barros. Escrever bem aprendendo matemática: tecendo fios para uma aprendizagem matemática escolar. 314f. 2014. Tese (Doutorado em Educação) ― Faculdade de Educação. Universidade de São Paulo. São Paulo.

SFARD, Anna. Thinking as communicating: human development, the growth of discourses, and mathematizing. Cambridge: Cambridge University Press, 2008.

Downloads

Publicado

08.12.2022

Como Citar

PIANO, Carlesom dos Santos; RIPARDO, Ronaldo Barros. Uma análise das rotinas do Discurso Matemático Escolar em livros paradidáticos. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, São Paulo, v. 13, n. 5, p. 1–22, 2022. DOI: 10.26843/rencima.v13n5a24. Disponível em: https://revistapos.cruzeirodosul.edu.br/rencima/article/view/3967. Acesso em: 21 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos