Construção dos saberes docentes e identidade docente de residentes no ensino remoto

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26843/rencima.v13n5a06

Palavras-chave:

Saberes do Docente, Identidade Profissional, Tecnologia do Ensino a Distância, Residência Pedagógica

Resumo

O presente artigo tem como objetivo identificar e compreender a construção dos Saberes Docentes, bem como da Identidade Docente de residentes pedagógicos durante o ensino remoto decorrente do Covid-19 (2020/2021). A obtenção de dados se deu através de questionário com oito perguntas abertas e fechadas baseadas nas ideias de Tardif (2002), Pimenta (1996) e Campos (2007), os participantes da pesquisa se tratam de residentes dos cursos de licenciatura em Ciências Biológicas e Química do Instituto Federal Farroupilha — São Vicente do Sul. A diminuta participação de alunos relatada por grande parte dos residentes representou a principal dificuldade para construir os próprios saberes e principalmente a própria identidade em um ambiente de ensino remoto. Inferimos as dificuldades de se trabalhar o ensino de forma remota no ensino básico, uma vez que pequenas parcelas de alunos possuem acesso a recursos digitais, além da necessidade de maiores investimentos e formações voltadas nessa perspectiva.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: edições, v. 70, p. 225, 1977.

BRANDO, F. R.; CALDEIRA, A. M. A. Investigação sobre a identidade profissional em alunos de Licenciatura em Ciências Biológicas. Ciência & Educação, v. 15, n. 1, p.155-73, 2009.

BRASIL, Ministério da Educação, Conselho Nacional de Educação. Edital MEC/CAPES/FNDE n. 01/2007. Brasília, 2007.

BRASIL. Ministério da Educação. Portaria nº 38, de 28 de fevereiro de 2018. Institui o Programa de Residência.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 5 de Outubro de 1988. Contém as emendas constitucionais posteriores. Brasília, DF: Senado, 1988.

CAMPOS, C. M. Saberes docentes e autonomia dos professores. Petrópolis: Vozes, 2007.

CAPES. Edital 6/2018. Programa De Residência Pedagógica.

CAVALCANTI, H. H. C. A. Ensino Remoto: uma possibilidade de como e o que ensinar. In: Reflexões e desafios das novas práticas docentes em tempos de pandemia [recurso eletrônico]. RODRIGUES, J.M.C.; SANTOS, P.M.G. - João Pessoa: Editora do CCTA, 2020.

FLICK, U. Introdução à pesquisa qualitativa. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

FONSECA, G. R. As TIC na formação inicial de professores: práticas de formação de formadores. Da Investigação às Práticas: Estudos de Natureza Educacional, v. 10, n. 2, p. 4-25, 2020.

GARCÍA, C. M. Formação de professores: para uma mudança educativa. 2005.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2007.

GUIMARÃES, M. N.; DE ARAGÃO, A. M. F. A construção de saberes em um processo de ensino e de aprendizagem de ciências: uma história para contar. ETD-Educação Temática Digital, v. 18, n. 1, p. 250-268, 2016.

LIKERT, R. A technique for the measurement of attitudes. Archives of Psychology. v. 22, n. 140, p. 44-53, 1932.

LOPES, A. F.; FANFA, M. de S.; LOPES, W. M.; BOTON J. de M. O que dizem as resoluções para a formação inicial de professores referente ao estágio curricular supervisionado?. In: ARAÚJO, R. D.; ARAUJO, N. A. (Org.). Estágio supervisionado: configurações e análises na formação de professores. Recife: Even3 Publicações, 2020. 223-232.

LOPES, A. F.; LOPES, W. M.; BEDIN, F. P. R. As relações entre estágio curricular supervisionado e residência pedagógica à luz das normativas que os regem. In: BRESSANIN, C. E. F.; DIAS, K. G.; DE ALMEIDA, M. Z. C. M. (Org.). Instituições escolares: história, memória e narrativas 2. ed. Cruz Alta: Ilustração, 2022., p. 133-145.

MARTÍN-BARÓ, I. El poder social. I. Martín-Baró, Psicologia Social desde Centroamérica II, p. 90-227, 1989.

MERCADO, L. P. L. Formação docente e novas tecnologias. Novas tecnologias na educação: reflexões sobre a prática. Maceió: EDUFAL, p. 11-28, 2002.

MORÁN, J. Mudando a educação com metodologias ativas. Coleção mídias contemporâneas. Convergências midiáticas, educação e cidadania: aproximações jovens, v. 2, n. 1, p. 15-33, 2015.

MORAN, J. M. Contribuições para uma pedagogia da educação online. Educação online: teorias, práticas, legislação, formação corporativa, v. 4, p. 41-52, 2003.

MORAN, J. M. Mudar a forma de ensinar e aprender com tecnologias. Interações, n. 9, p. 57-72, 2000.

PAPI, S. de O. G.; MARTINS, P. L. O. As pesquisas sobre professores iniciantes: algumas aproximações. Educação em Revista, v. 26, n. 3, p. 39-56, 2010.

PIMENTA, S. G. Formação de professores: saberes da docência e identidade do professor. Revista da Faculdade de Educação, v. 22, n. 2, p. 72-89, 1996.

SOMMER, B. B.; SOMMER, R. A practical guide to behavioral research: Tools and techniques. Oxford University Press, 1997.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. 5. Ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

TARDIF, M.; LESSARD, C.; LAHAYE, L. Os professores face ao saber: esboço de uma problemática do saber docente. Teoria e educação, v. 4, p. 215-233, 1991.

VEENMAN, S. El proceso de llegar a ser profesor: un análisis de la formación inicial. In: Perspectivas y problemas de la función docente. Narcea, 1988. p. 39-68.

XAVIER, L. N. A construção social e histórica da profissão docente uma síntese necessária. Revista Brasileira de Educação, v. 19, p. 827-849, 2014.

Downloads

Publicado

2022-10-01

Como Citar

LOPES, W. M.; CUNES, K. E. S.; DUTRA, B. K.; WOLLMANN, E. M. Construção dos saberes docentes e identidade docente de residentes no ensino remoto. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, [S. l.], v. 13, n. 5, p. 1–20, 2022. DOI: 10.26843/rencima.v13n5a06. Disponível em: https://revistapos.cruzeirodosul.edu.br/index.php/rencima/article/view/3955. Acesso em: 5 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos