O Mestrado Nacional Profissional em Ensino de Física: contribuições e limitações na perspectiva dos egressos

Palavras-chave: Formação Continuada, Mestrado Nacional Profissional em Ensino de Física, Ensino de Física, Egressos

Resumo

Este artigo objetiva analisar as contribuições e limitações do Mestrado Nacional Profissional em Ensino de Física (MNPEF), polos do Estado do Paraná, na visão dos professores que dele participaram. O trabalho está alicerçado nos pressupostos da pesquisa qualitativa. Para a constituição dos dados, foram realizadas entrevistas semiestruturadas com 28 professores que participaram do programa entre os anos de 2014 e 2019. Para a análise dos dados, utilizou-se a Análise Textual Discursiva. Os resultados apontam ser essa uma proposta de formação que contribuiu para articular os conteúdos da Física com o Ensino de Física. Apresentam também aspectos que demonstram avanços, limites e novas possibilidades para o processo de ensino-aprendizagem na área da Física a partir dos conhecimentos adquiridos no MNPEF.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANDRÉ, M. E. D. A. Formação de professores: a constituição de um campo de estudos. Educação, Porto Alegre, v. 33, n. 3, p. 174-181, set./dez. 2010.

ANTUNES JÚNIOR, E. L. Q. Formação continuada de professores em larga escala: um estudo sobre o Mestrado profissional em ensino de física. 2018. 82f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Física) — Instituto de Física. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre.

BATISTA, M. C.; FUSINATO, P. A.; RAMOS, F. P. Contribuições de uma oficina de Astronomia para a formação inicial de professores dos anos iniciais. Revista Ensino, Saúde e Ambiente, v. 10, n. 2, p. 107-128, ago. 2017.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 dez. 1996.

BRZEZINSKI, I. Políticas contemporâneas de formação de professores para os anos iniciais do ensino fundamental. Educução & Sociedade, Campinas, v. 29, n. 105, p. 1139-1166, set./dez. 2008.

CANÁRIO, R. A experiência portuguesa dos Centros de Formação das associações de escolas. In: MARIN, A. J. Educação continuada: reflexões, alternativas. 2. ed. Campinas: Papirus, 2000. p. 63-88.

CARVALHO, A. M. P.; GIL-PÉREZ, D. Formação de professores de ciências: tendências e inovações. 10. ed. São Paulo: Cortez, 1993.

CONTRERAS, J. A autonomia de professores. São Paulo: Cortez, 2012.

COSTA, L. G.; BARROS, M. A. O ensino da Física no Brasil: problemas e desafios. In: ENDUCERE: XII Congresso Nacional de Educação, 2015, Curitiba. Anais [...]. Curitiba: PUC-PR, 2015.

CRESWEL, J. W. Investigação qualitativa e projeto de pesquisa: escolhendo entre cinco abordagens. Porto Alegre: Penso, 2014.

DIESTEL, A. L. C. Uma análise de produtos educacionais para o ensino de física quântica desenvolvidos no âmbito de um Mestrado profissional em ensino de física. 2017. 82f. Dissertação (Mestrado em Ensino em Física) — Instituto de Física. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre.

DUARTE NETO, J. H. A epistemologia da prática: implicações para a formação de professores da educação básica. Jundiaí: Paco Editorial, 2013.

FACCI, M. G. D. Valorização ou esvaziamento do trabalho do professor? Um estudo crítico-comparativo da teoria do professor reflexivo, do construtivismo e da psicologia vigotskiana. Campinas: Autores Associados, 2004.

FERNANDES, F. A formação política e o trabalho do professor. In: CATANI, D. B. et al. Universidade, escola e formação de professores. São Paulo: Brasiliense, 1986. p. 13-38.

GASPAR, A. Cinquenta anos de ensino de física: muitos equívocos, alguns acertos e a necessidade do resgate do papel do professor. In: XV ENCONTRO DE FÍSICOS DO NORTE E NORDESTE, 1997, Natal. Anais [...]. Natal: SBF, 1997. p. 11.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA. Sistema de Avaliação da Educação Básica: edição 2020: resultados. Brasília, DF: Ministério da Educação.

LIMA, L. Escolarizando para uma educação crítica: a reinvenção das escolas como organizações democráticas. In: TEODORO, A.; TORRES, C. A. (Org.). Educação crítica & utopia: perspectivas para o século XXI. São Paulo: Cortez, 2006.

MIZUKAMI, M. G. N. Pesquisa colaborativa e produção de conhecimento sobre desenvolvimento profissional de professores. Proposições, Campinas, SP, v. 4, n. 31, p. 5-14, 2000.

MORAES, Maria C. M. de. Iluminismo às avessas: produção de conhecimento e políticas de formação docente. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

MORAES, R.; GALIAZZI, M. C. Análise textual discursiva: processo construído de múltiplas faces. Ciência & Educação, v. 9, n. 2, p. 191-211, 2007.

MOREIRA, M. A. Uma análise crítica no Ensino de Física. Estudos Avançados, v. 32, n. 94, 2018.

NASCIMENTO, M. M. Análise de produtos educacionais desenvolvidos no âmbito de um mestrado profissional em ensino de física. 2016. 222f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Física) — Instituto de Física. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre.

NESI, E. R.; BATISTA, M. C. Produtos educacionais elaborados no Mestrado Profissional em Ensino de Física: a busca por referenciais norteadores. Revista Valore, v. 3, p. 554-563, 2018.

NESI, E. R.; BATISTA, M. C; DEIMLING, N. N. M. O mestrado nacional profissional em ensino de Física no Brasil: caracterizando a proposta. Dialogia, n. 38, p. 20420, 2021.

NÓVOA, A. Entre a formação e a profissão: ensaio sobre o modo como nos tornamos professores. Currículo sem fronteiras, v. 19, n. 1, p. 198-208, 2019.

PACHANE, G. G. Teoria e prática na formação de professores universitários. In: RISTOFF, D.; SEVEGNANI, P. Docência na educação superior. Brasília: INEP, 2006. p. 99-147.

PIMENTA, S. G.; GHEDIN, E. (org.). Professor Reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2005.

POPKEWITZ, T. S. Profissionalização e formação de professores: algumas notas sobre a sua história, ideologia e potencial. In: NÓVOA, A. (coord.). Os professores e a sua formação. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1995. p. 35-50.

REBEQUE, P. V.; OSTERMANN, F.; VISEU, S. A nova gestão pública no contexto da formação continuada de professores: o caso do mestrado nacional profissional em ensino de física. Ciência & Educação, Bauru, v. 26, p. 1-16, 2020.

SACRISTÁN, J. G. Consciência e ação sobre a prática como libertação profissional dos professores. In: NÓVOA, A. (org.). Profissão professor. 2. ed. Porto: Porto Editora, 1995. p. 63-92.

SACRISTÁN, J. G. O currículo: uma reflexão sobre a prática. Porto Alegre: Artmed, 2000.

SAVIANI, D. A pedagogia histórico-crítica. Revista RBBA, Vitória da Conquista, v. 3, n. 2, p. 11-36, 2014.

SCHÄFER, E. D. A.; LIMA JUNIOR, P.; OSTERMANN, F. Documentando opiniões e críticas dos alunos de um Mestrado Profissional em Ensino de Física. In: IX ENPEC – Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, 2013. Águas de Lindóia, SP. Anais [...]. Águas de Lindóia, SP, 2013. p. 1-8.

SCHÄFER, E. D. A.; OSTERMANN, F. O impacto de um mestrado profissional em ensino de Física na prática docente de seus alunos: uma análise bakhtiniana sobre os saberes profissionais. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 15, n. 2, p. 87-103, 2013.

SCHWERZ, R. C.; DEIMLING, N. N. M.; DEIMLING, C. V.; SILVA, D. C. Considerações sobre os indicadores de formação docente no Brasil. Pro-Posições, v. 31. 2020.

SHIROMA, E. O.; MORAES, M. C. M.; EVANGELISTA, O. Política educacional. Rio de Janeiro: Lamparina, 2011.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE FÍSICA. Mestrado Nacional Profissional em Ensino de Física – MNPEF. Regimento geral. 11 mar. 2015. Disponível em: http://www.sbfisica.org.br/~mnpef/images/Regimento_MNPEF_16_12_2015_.pdf; acesso em: 28. ago. 2019.

SOUZA, J. Apropriação discursiva de modelos de formação docente em trabalhos de conclusão de um mestrado profissional em ensino de Física. 2015. 113f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Física) — Instituto de Física. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre.

YIN, R. K. Pesquisa qualitativa do início ao fim. Porto Alegre: Penso Editora, 2016.

Publicado
2022-05-12
Como Citar
NESI, E.; BATISTA, M.; DEIMLING, N. O Mestrado Nacional Profissional em Ensino de Física: contribuições e limitações na perspectiva dos egressos. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 13, n. 3, p. 1-25, 12 maio 2022.
Seção
Artigos Gerais