Um estudo das percepções de futuros professores de Química sobre o estágio supervisionado no contexto pandêmico da COVID-19

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26843/rencima.v13n4a13

Palavras-chave:

Ensino Remoto, Narrativas, Focos de Aprendizagem Docente, Prática Docente

Resumo

Com a pandemia da COVID-19 a alternativa encontrada para garantir as aulas foi o ensino remoto emergencial. Neste contexto, o estágio supervisionado precisou adaptar-se a essa nova realidade. Para verificar o impacto da pandemia nos estágios, o presente artigo analisou 194 narrativas de 25 licenciandos em química, que estagiaram em duas escolas públicas do estado de São Paulo. A partir da caracterização em cinco diferentes focos da aprendizagem docente, verificou-se que o ensino remoto emergencial prejudicou os aspectos motivacionais e de identidade docente, ligados ao contato entre professores e estudantes, enquanto a porção do estágio voltada ao preparo de atividades e reflexões teve mais destaque. Ficou claro que ensino remoto emergencial não se equivaleu ao ensino a distância, que apresenta robustez teórico-metodológica. Neste sentido, observamos o comprometimento de aspectos da formação inicial dos licenciandos e constatamos reveses na aprendizagem dos estudantes do Ensino Médio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2022-08-29

Como Citar

PEGORARO, G. M.; CARRIELLO, G. M.; RIBEIRO, N. R.; SANTOS JUNIOR, J. B. dos. Um estudo das percepções de futuros professores de Química sobre o estágio supervisionado no contexto pandêmico da COVID-19. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, [S. l.], v. 13, n. 4, p. 1–21, 2022. DOI: 10.26843/rencima.v13n4a13. Disponível em: https://revistapos.cruzeirodosul.edu.br/index.php/rencima/article/view/3475. Acesso em: 26 nov. 2022.

Edição

Seção

Artigos