Mestrado Profissional e Produtos Educacionais: contribuições dos pedagogos ao ensino de Ciências e Matemática

Palavras-chave: Ensino, Recursos Didáticos, Mestrado Profissionalizante., Ensino de Ciências e Matemática

Resumo

Este artigo tem por objetivo analisar o potencial dos Produtos Educacionais (PE) desenvolvidos por pedagogos em um curso de Mestrado Profissional de um Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática. Tomou-se como base documentos da área de ensino emitidos pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). O período de análise dos PE foi de 2017 a 2020. Tal estudo é de abordagem qualitativa, documental e bibliográfica, permeado por uma análise descritiva e interpretativa. Diante de um montante de seis PE, elegeu-se duas categorias de análise: i) quanto à caracterização didático-pedagógica dos PE e ii) quanto à divulgação e acessos dos PE. Nos PE analisados, percebeu-se que as etapas de pré-produção e produção são atendidas conforme orientações oficiais. Contudo, quanto à etapa de pós-produção (impacto dos PE), faz-se necessário maior atenção dos acadêmicos, dos programas de Pós-Graduação e da CAPES.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALVES, André Luciano. DENSE, Lisiane Stein. A importância de trabalhar a Matemática na Educação Infantil. In: CONFERÊNCIA NACIONAL DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA, 2., 2019, Taquara. Anais eletrônicos [...]. Taquara: Faculdades Integradas de Taquara, 2019.

BARBOSA, Vanderlei. A gênese dos Mestrados Profissionais em Educação nas universidades brasileiras. Plurais, revista multidisciplinar. Salvador. V.1, n. 2, p. 94-113. abr/ago. 2016.

BARDIN, Lawrence. Análise de Conteúdo. 3. ed. São Paulo: Edições 70, 2016.

BISOGNIN, Eleni. Produtos Educacionais: análise da produção do Mestrado Profissional em Ensino de Física e Matemática do Centro Universitário Franciscano de Santa Maria, RS. Revista Polyphonía, Goiás. v. 24, n. 2, p. 270-284, jul/dez. 2013.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) Diretoria de Avaliação (DAV). Documento da Área. Área 46 - Ensino. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Proposta de Aprimoramento da Avaliação da Pós-Graduação Brasileira para o Quadriênio 2021-2024. (CAPES). 2020.

COSTA, Denise Kriedte; PEIXOTO, Sandra Cadore. Os adornos como recurso didático. Santa Maria: Universidade Franciscana, 2020.

DRUZIAN, Lidiane Bolzan. As influências dos conhecimentos das Ciências da Natureza na opção dos estudantes pelo curso Técnico em Agropecuária Integrado no Instituto Federal Farroupilha Campus São Vicente do Sul. 2018. 114f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática) — Universidade Franciscana. Santa Maria.

FISCHER, Tânia. Seduções e riscos: a experiência do mestrado profissional. Revista de Administração de Empresas, v. 43, n. 2, p. 119-123, abr./jun. 2003.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisas. São Paulo: Atlas, 2002

GONÇALVES, Carmen; OLIVEIRA, Carolina; MAQUINÉ, Gilmara; MENDONÇA Andréa. (Alguns) desafios para os Produtos Educacionais nos Mestrados Profissionais nas áreas de Ensino e Educação. Educitec. Manaus, v. 05, n. 10, p. 74-87, mar. 2019.

JACOB, Tais dos Santos; MAIA, Eliane Deccache; MESSEDER, Jorge Cardoso. Desenhos animados como possibilidades didáticas para ensinar conceitos químicos nos Anos Iniciais. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 8, n. 3, p. 61-77, 2017.

MOREIRA, Marco Antônio; NARDI, Roberto. O Mestrado Profissional na área de ensino de Ciências e Matemática: alguns esclarecimentos. Revista Brasileira de Ensino de Ciência e Tecnologia, Ponta Grossa, v. 2, n. 3, p. 1-9, set/dez. 2009.

NARDI, Roberto. Memórias do ensino de Ciências no Brasil: a constituição da área segundo pesquisadores brasileiros, origens e avanços da Pós-Graduação. Revista do IMEA-UNILA. v. 2, p.13-46, 2014.

PAIXÃO, Roberto Brazileiro; BRUNI, Adriano Leal. Mestrados Profissionais: características, especificidades, diferenças e relatos de sucesso. Administração: Ensino e Pesquisa. Rio de Janeiro. v. 14, n. 2, 279-310, abr./jun. 2013.

RIZZATTI, Ivanise Maria. et al. Os produtos e processos educacionais dos programas de Pós-Graduação profissionais: proposições de um grupo de colaboradores. Revista ACTIO: Docência em Ciências, Curitiba, v. 5, n. 2, p. 1-17. maio/ago. 2020.

ABERTURA do 2° Fórum Integrado de Ensino e V Mostra Gaúcha de Produtos Educacionais. Santa Maria, 2021. Canal PPGECIMAT - Universidade Franciscana (156min). Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=nxHRV8Dlf3o. Acesso em: 13 nov. 2021.

SABBATINI, Marcelo. Reflexões críticas sobre o conceito de objeto de aprendizagem aplicado ao ensino de Ciências e Matemática. Em teia Revista de Educação Matemática e Tecnológica Iberoamericana. v. 3, n. 3, p. 1-36, 2012.

SILVA, Paulo Sérgio Araújo; LIMA, Josiel Oliveira. Concepções de experimentação de professores de Ciências. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, São Paulo, v. 11, n. 7, p. 159-179, nov. 2020.

SILVA, Sani de Carvalho Rutz; PILATTI, Luiz Alberto, VIGINHESKI, Lúcia Virginia Mamcasz. A expansão do Mestrado Profissional no Brasil: contribuições para o ensino. In: X Congresso Internacional sobre Investigación em Didáctica de las Ciências. Sevilla. 2017. p. 425-430.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

Publicado
2022-05-12
Como Citar
ORTIZ, N.; BEMME, L.; VESTENA, R. Mestrado Profissional e Produtos Educacionais: contribuições dos pedagogos ao ensino de Ciências e Matemática. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 13, n. 3, p. 1-18, 12 maio 2022.
Seção
Artigos Gerais