Ressignificando problemas de lápis e papel: uma reflexão sobre a prática de resolução de problemas através de simulações computacionais

Palavras-chave: Tecnologias de Informação e Comunicação, Resolução de Problemas, Simulação Computacional, Atividades Didáticas

Resumo

A resolução de problemas (RP) se configura como importante estratégia didática no ensino da Física no Brasil e no mundo. Contudo, essa prática tem trazido resultados insatisfatórios do ponto de vista de ensino-aprendizagem em Física, quando está demasiadamente ligada à resolução de exercícios ou problemas descontextualizados da conjuntura na qual o aluno está inserido. Neste trabalho, desenvolvemos atividades didáticas de RP a partir da utilização de simulações computacionais (SC). As atividades foram desenvolvidas e implementadas em uma turma de Física Geral, em uma universidade pública brasileira. Os resultados apontam para uma boa aceitação por parte dos estudantes, que evidenciam a possibilidade de levar a RP para um outro contexto, ampliando as possibilidades de uso. Entre as vantagens apresentadas pelos participantes estão: a ajuda na organização dos estudos e a compreensão e assimilação dos conteúdos. As dificuldades apresentadas estavam ligadas à complexidade das tarefas e o tempo necessário para a resolução delas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARAÚJO, I. S.; VEIT, E. A. Interatividade em recursos computacionais aplicados ao ensino-aprendizagem de Física. In: JORNADA NACIONAL DE EDUCAÇÃO, 14, 2008, Santa Maria. Anais da 14ª Jornada Nacional de Educação. Santa Maria: UNIFRA, 2008, p. 1-10.

AUSUBEL, D. P.; NOVAK, J. D.; HENESIAN, H. Psicologia educacional. Rio Janeiro: Interamericana, 1980.

BONADIMAN, H.; NONENMACHER, S. E. B. O gostar e o aprender no ensino de física: uma proposta metodológica. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 24, n. 2, p. 194-223, ago. 2007.

BRANDÃO, R. V.; ARAÚJO, I. S.; VEIT, E. A. A modelagem científica de fenômenos físicos e o ensino de Física. Física na Escola, v. 9, n. 1, p. 10-14, maio 2008.

BURNHAM, T. F.; PINHEIRO, M. T.; SANCHES, M. O. Ambientes virtuais de aprendizagem como uma entidade complexa. Revista do Programa de Pós-Graduação em Educação, v. 5, n. 9. p. 154-172, jan./jun. 2012.

COSTA, M. Simulações computacionais no ensino de física: revisão sistemática de publicações da área de ensino. In: EDUCERE, 13, 2017, Curitiba. Anais do Congresso Nacional da Educação: Curitiba: PUCPR, 2017, p. 7531-7544.

ECHEVERRÍA, M. D. P. P.; POZO, J. I. Aprender a resolver problemas e resolver problemas para aprender. In: POZO, J. I. (Org.). A solução de problemas: aprender a resolver, resolver para aprender. Porto Alegre: Artmed, 1998, p. 13-43.

GIL, A. C. Como Elaborar Projetos de Pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

GONZALES, E. G.; ROSA, P. R. S. Aprendizagem significativa de conceitos de circuitos elétricos utilizando um ambiente virtual de ensino por alunos da educação de jovens e adultos. Investigações em Ensino de Ciências, v. 19, n. 2, p. 477-504, 2014.

GOODE, W.; HATT, P. Métodos em pesquisa social. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1975.

GRECA, I.; SEOANE, E.; ARRIASSECQ, I. Epistemological Issues Concerning Computer Simulations in Science and Their Implications for Science Education. Science & Education, [s. l.], v. 23, n. 4, p. 897–921, 2014.

KRAUSE, J. C.; SCHEID, N. M. J. Concepções alternativas sobre conceitos básicos de física de estudantes ingressantes em curso superior da área tecnológica: um estudo comparativo. Revista Espaço Pedagógico, v. 25, n. 2, p. 227-240, 2018.

MACÊDO, J. A.; DICKMAN, A. G.; ANDRADE, I. S. F. Simulações Computacionais como Ferramentas para o Ensino de Conceitos Básicos de Eletricidade. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 29, n. Especial 1, p. 562-613, set. 2012.

MEDEIROS, A.; MEDEIROS, C. F. Possibilidades e limitações das simulações computacionais no ensino da Física. Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 24, n. 2, p. 77-86, 2002.

MORAES, K.; HEIDEMANN, L.; ESPINOSA, T. Métodos ativos de ensino podem ser entendidos como recursos para o combate à evasão em cursos de Ciências Exatas? Uma análise pautada nas ideias de Vincent Tinto. Caderno Brasileiro de Ensino de Física. v. 37, n. 2, p. 369-405, ago. 2020.

MORAES, R.; GALIAZZI, M. C. Análise textual discursiva: processo reconstrutivo de múltiplas faces. Ciência & Educação, Bauru, v. 12, n. 1, p. 117-128, 2006.

MORAN, J. M.; MASETTO, M.; BEHRENS, M. A. Novas tecnologias e mediação pedagógica. Campinas: Papirus, 2012.

MOREIRA, M. A. Aprendizagem significativa. Brasília: UnB, 1999.

PASTORIO, D. P. Atividades didáticas inovadoras de mecânica de partículas com desenvolvimento de competências em um ambiente de computação numérica. 2014. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências) – Centro de Ciências Naturais e Exatas. Universidade Federal de Santa Maria. Santa Maria.

PASTORIO, D. P. Processos avaliativos reflexivos integrados a tarefas contínuas no âmbito do ensino superior em Física. 2018. Tese (Doutorado em Educação em Ciências) – Centro de Ciências Naturais e Exatas. Universidade Federal de Santa Maria. Santa Maria.

PASTORIO, D. P.; RIBEIRO, B. S.; SOUZA, L. A. V. D.; PIGOSSO, L. T.; FRAGOSO, T. A. Elaboração e implementação de uma unidade didática baseada no Just-in-Time Teaching: um estudo sobre as percepções dos estudantes. Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 42, 2020.

PEDUZZI, L. O. Q. Sobre a resolução de problemas no ensino de física. Caderno Catarinense de Ensino de Física. v. 14, n. 3, p. 229-253, 1997.

RAMOS, W. M.; ROSSATO, M. Democratização do acesso ao conhecimento e os desafios da reconfiguração social para estudantes e docentes. Revista Eletrônica de Educação, v. 11, n. 3, p. 1034-1048, 2017.

REIS, A. T. V. A importância das TICs e da educação como processo comunicacional dialógico no ensino superior: um estudo da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul. 2016. Tese (Doutorado em Comunicação Social). Universidade Metodista de São Paulo. São Bernardo do Campo.

RIBEIRO, B. S.; PIGOSSO, L. T.; PASTORIO, D. P. Implementação de metodologias ativas de ensino em uma turma de física básica: um estudo de caso. Revista de Enseñanza de La Física, Córdoba, v. 31, n. 2, p. 31-45, jul./dez. 2019.

SILVEIRA, D. S. Professores dos Anos Iniciais: experiências com material concreto para o ensino de Matemática. 2012. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências). Universidade Federal do Rio Grande. Rio Grande.

YAMAMOTO, I.; BARBETA, V. B. Simulações de Experiências como Ferramenta de Demonstração Virtual em Aulas de Teoria de Física. Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 23, n. 2, p. 215-225, jun. 2001.

ZABALA, A. A Prática Educativa: Como Ensinar. Porto Alegre: ArtMed, 1998.

Publicado
2021-12-29
Como Citar
PASTORIO, D.; FRAGOSO, T.; HAIDUK, F. Ressignificando problemas de lápis e papel: uma reflexão sobre a prática de resolução de problemas através de simulações computacionais. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 12, n. 6, p. 1-26, 29 dez. 2021.
Seção
Artigos Gerais