Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação e Formação de Professor: uma análise das matrizes curriculares das Licenciaturas em Matemática do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo

Palavras-chave: Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação, Licenciatura Matemática, Formação de Professores, Componentes Curriculares

Resumo

Este artigo discutirá como trezes cursos de Licenciatura em Matemática ofertados no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo organizaram suas matrizes curriculares para uma formação que contemple o uso de tecnologias digitais. Motivado pelo ensino remoto, decorrente da suspensão das aulas presenciais em função da pandemia do Covid-19, evidenciou-se a urgente demanda por formação específica neste assunto. Como objetivo geral, analisar-se-á como as matrizes curriculares organizaram-se para discutir o uso das tecnologias na formação ao futuro professor de matemática. Com caráter documental, após breve introdução às motivações, subdividimos o texto em duas partes. Em uma, estabelecemos o entendimento sobre a necessidade da formação de professores para o uso de tecnologias digitais na Educação, na outra, apresentamos a análise das matrizes curriculares. Finalizamos com algumas considerações sobre o processo formativo proposto, refletindo sobre a presença das tecnologias digitais na formação inicial de professores de Matemática na instituição.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMEIDA, Fernando José de; SILVA, Maria da Graça Moreira da. Reflexões sobre tecnologias, educação e currículo: conceitos e trajetórias. In: VALENTE, José Armando; FREIRE, Fernanda Maria Pereira; ARANTES, Flávia Linhalis (Org.). Tecnologia e educação: passado, presente e o que está por vir. Campinas: NIED/UNICAMP, 2018, p. 122-148.

ALMEIDA, Maria Elizabeth Bianconcini de. Tecnologias e formação de professores: relações entre o sujeito e a experiência no decorrer da história. In: VALENTE, José Armando; FREIRE, Fernanda Maria Pereira; ARANTES, Flávia Linhalis (Org.). Tecnologia e educação: passado, presente e o que está por vir. Campinas: NIED/UNICAMP, 2018, p. 99-121.

BORBA, Marcelo de Carvalho.; SILVA, Ricardo Scucuglia Rodrigues da; GADANIDIS, George. Fases das tecnologias digitais em educação matemática: sala de aula e internet em movimento. 3. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2020.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CES nº 15, de 13 de dezembro de 2005. Solicitação de esclarecimento sobre as Resoluções CNE/CP n.º 1/2002, que institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena, e 2/2002, que institui a duração e a carga horária dos cursos de licenciatura, de graduação plena, de Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior. Brasília: Diário Oficial da União, 13 mai. 2005.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Conselho Pleno. Resolução nº 2, de 1º de julho de 2015. Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. Brasília: Diário Oficial da União, 2 jul. 2015.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. e-MEC. 2021.

BRITO, Glaucia da Silva; PURIFICAÇÃO, Ivonélia da. Educação e novas tecnologias: um (re)pensar. 2. ed. Curitiba: InterSaberes, 2015.

CASTRO, Monica Rabello de; FERREIRA, Giselle; GONZALEZ, Wania. Metodologia da pesquisa em educação. 1. ed. Nova Iguaçu: Marsupial Editora, 2013.

CELLARD, André. A análise documental. In: POUPART, Jean; DESLAURIERS, Jean-Pierre; GROULX, Lionel-H; LAPARRIÈRE, Anne; MAYER, Robert; PIRES, Álvaro. (Orgs.). A pesquisa qualitativa: enfoques epistemológicos e metodológicos. Petrópolis: Vozes, p. 293-316, 2012.

FIGUEIREDO, Fabiane Fischer; GROENWALD, Claudia Lisete Oliveira. Produzindo problemas abertos utilizando tecnologias digitais no processo de formação inicial de professores de matemática. REnCiMa, São Paulo, v. 8, n. 2, p. 95-114, abr./jun. 2017.

GATTI, Bernadete; ANDRÉ, Marli. A relevância dos métodos de pesquisa qualitativa em Educação no Brasil. In: WELLER, Wivian; PFAFF, Nicolle (Orgs.). Metodologias de pesquisa qualitativa em Educação. Petrópolis: Vozes, 2010, p. 29-38.

GATTI, Bernadete Angelina; BARRETTO, Elba Siqueira de Sá; ANDRÉ, Marli Eliza Dalmazo Afonso de; ALMEIDA, Patrícia Cristina Albieri de. Professores do Brasil: novos cenários de formação. Brasília: UNESCO, 2019.

GOULART, Marceli Behn; COSTA, Priscila Kabbaz Alves da; PEREIRA, Ana Lúcia. A integração das TDIC na formação inicial de professores de matemática no Brasil: uma análise a partir dos projetos pedagógicos. Olhar de professor, Ponta Grossa, v. 21, n. 2, p. 351-367. 2018.

KENSKI, Vani Moreira. Educação e tecnologias: o novo ritmo da informação. 8. ed. Campinas: Papirus, 2012.

LOPES, Rosemara Perpetua; FÜRKOTTER, Monica. Formação inicial de professores em tempos de TDIC: uma questão em aberto. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 32, n. 4, p. 269-296, out./dez. 2016.

LOPES, Rosemara Perpetua; FÜRKOTTER, Monica. Do projeto pedagógico à aula universitária: aprender a ensinar com TDIC em cursos de Licenciatura em Matemática. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 36, p. 1-21. dez. 2020.

NÓVOA, António. Firmar a posição como professor, afirmar a profissão docente. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 47, n. 166, p. 1106-1133, out./dez. 2017.

NÓVOA, António; VIEIRA, Pâmela. Um alfabeto da formação de professores. Crítica Educativa, Sorocaba, v. 3, n. 2, p. 21-49, jan./jun.2017.

OLIVEIRA, Raquel Gomes de. Tecnologias digitais de informação e comunicação (TDIC) em Educação escolar: um diagnóstico a partir da formação inicial de professores de matemática. Nucleus, Ituverava, v. 9, n. 2, p. 351-362, out. 2012.

SHAW, Gisele Soares Lemos; SILVA JUNIOR, Geraldo Sorares da. Formação docente para uso das TIC no ensino de Matemática: percepções de professores e estudantes de um curso de Licenciatura em Matemática. REnCiMa, São Paulo, v. 10, n. 6, p. 163-184, out./dez. 2019.

TORI, Romero. Educação sem distância: as tecnologias interativas na redução de distâncias em ensino e aprendizagem. 2. ed. São Paulo: Artesanato Educacional, 2017.

VALENTE, José Armando. Informática na educação: conformar ou transformar a escola. PERSPECTIVA, Florianópolis, UFSC/CED, NUP, v. 13, n. 24, p. 41-49, jan. 1995.

VALENTE, José Armando. Inovação nos processos de ensino e de aprendizagem: o papel das tecnologias digitais. In: VALENTE, José Armando; FREIRE, Fernanda Maria Pereira; ARANTES, Flávia Linhalis. (Org.). Tecnologia e educação: passado, presente e o que está por vir. Campinas: NIED/UNICAMP, 2018, p. 17-41.

WING, Jeannette Marie. Computational Thinking. Communications of the ACM, v. 49, n. 3, p. 33-35, mar. 2006.

Publicado
2022-07-31
Como Citar
CRUZ, P.; LOSS, T.; MOTTA, M. Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação e Formação de Professor: uma análise das matrizes curriculares das Licenciaturas em Matemática do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 13, n. 4, p. 1-25, 31 jul. 2022.
Seção
Artigos Gerais