Novas configurações do laboratório de ensino de Trigonometria a partir da incorporação da tecnologia articulada a história da Matemática

Palavras-chave: Laboratório de Ensino de Trigonometria, Balhestilha, História da Matemática

Resumo

No ano de 2020, o ensino passou por mudanças significativas devido à pandemia da Covid-19 reconfigurando a prática do professor de um modelo presencial, para um estudo remoto (com o uso de tecnologias digitais). Esse fato resultou em disciplinas que, inicialmente, envolviam práticas de ensino no qual o aluno vivenciava a construção de materiais manipuláveis, planejava atividades, e executava em sala de aula. Essa descrição se refere às disciplinas que envolvem os Laboratórios de Matemática e Ensino (LME). Dessa forma, esse artigo tem como intuito apresentar uma prática do Laboratório de Ensino de Trigonometria (LET), disciplina curricular do curso de licenciatura em Matemática da Universidade Estadual do Ceará (UECE), integralizada as tecnologias para o estudo de conceitos trigonométricos por meio da balhestilha. Para isso, é apresentado um estudo teórico a partir do planejamento e execução dessa prática laboratorial incorporando a Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação (TDIC), em particular, o software GeoGebra, atrelado à história da Matemática. Nesse contexto, é importante ressaltar que nestes tempos de pandemia vivenciaram-se grandes desafios em relação às adaptações do ensino para modalidade remota, por conta da falta de familiaridade dos professores em formação inicial para o uso de recursos tecnológicos. No entanto, ademais a estes conflitos, vale destacar que se experimentou de maneira significativa, práticas fazendo uso da balhestilha no GeoGebra, trabalhando a articulação entre TDIC e história da Matemática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMOULOUD, S. A. A articulação entre História e Didática da Matemática: aspectos teóricos-metodológicos para o ensino. In: OLIVEIRA, Gerson Pastre de; ALMOULOUD, Saddo Ag; SILVA, Maria José Ferreira da; COUTINHO, Queiroz Coutinho; GAITA, Cecília (org.). Educação Matemática: epistemologia, didática e tecnologia. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2018.

ARAÚJO, J. L.; BORBA, M. C. Construindo pesquisas coletivamente em Educação Matemática. In: FIORENTINI, Dario; GARNICA, Antonio Vicente Marafioti; BICUDO, Maria Aparecida Viggiani (org.). Pesquisa Qualitativa em Educação Matemática. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2004. p. 31-52.

BATISTA, A. N. S.; PEREIRA, A. C. C. A balhestilha (1603) como um instrumento matemático para o estudo de medidas na formação de professores de matemática. Revista Acta Scientiarum, Education, Maringá, v. 43, p. 1-12, 23 nov. 2020.

BRASIL, Ministério da Educação. Conselho Nacional da Educação: parecer CNE/CP nº: 5/2020. Parecer CNE/CP Nº: 5/2020. 2020.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Matemática, Bacharelado e Licenciatura. Brasília: Conselho Nacional de Educação / Câmara de Educação Superior, 2001.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, 2018.

CEARÁ. Curso de Licenciatura em Matemática - Projeto Pedagógico do Curso. UECE: Fortaleza, 2018.

CEARÁ. Projeto Político Pedagógico do Curso de Licenciatura em Matemática. UECE: Fortaleza, 2007.

CEARÁ. Projeto Político Pedagógico do Curso de Licenciatura Plena em Matemática. UECE: Fortaleza, 1997.

EVES, H. W. Introdução à História da Matemática. Tradução: Hygino H. Domingues. Campinas: Editora da Unicamp, 1995.

FARMER, D. W. Grupos e Simetria. Lisboa: Gradiva, 1996.

FIGUEIREDO, M. Chronographia, Reportorio dos tempos, no qual se contem VI. partes, f. dos tempos: esphera, cosmographia, e arte da navegação, astrologia rustica, e dos tempos, e pronosticação dos eclipses, cometas, e sementeiras. O calendário Romano, com os eclypses ate 630. E no fim o uso, a fabrica da balhestilha, e quadrante gyometrico, com hum tratado dos relogios. Lisboa, 1603.

FONSECA, L. S. Aprendizagem em Trigonometria: obstáculos, sentido e mobilizações. Aracajú: Editora UFS, 2010.

GUELLI, O. Contando a História da Matemática: Dando Corda na Trigonometria. São Paulo: Ática, 2003.

KENNEDY, E. S. Tópicos de História da Matemática para uso em sala de aula. Trigonometria. NCTM, 1969. Tradução Hygino H. Domingues. São Paulo: Atual,1992.

KLEIN, F. Matemática Elementar de um Ponto de Vista Superior: Trigonometria. Lisboa: Sociedade Portuguesa de Matemática, 2009.

LORENZATO, S. Laboratório de Ensino de Matemática na formação de Professores. Campinas: Autores Associados, 2006. (Coleção Formação de Professores).

MOREY, B. Geometria e Trigonometria na Índia e nos Países Árabes. Rio Claro, SP: SBHMat, 2003. (Coleção História da Matemática para Professores).

MOREY, B; MENDES, I. A. História da matemática para professores: Conhecimentos matemáticos na época das navegações. Natal: Sociedade Brasileira de História da Matemática, 2011.

PEREIRA, C. S. Aprendizagem em Trigonometria no Ensino Médio. Jundiaí: Paco, 2012.

PEREIRA, A. C. C.; SAITO, F. A reconstrução do Báculo de Petrus Ramus na interface entre história e ensino de matemática. Cocar, Belém, v. 13, n. 25, p. 342-372, abr. 2019.

PEREIRA, E.; GUERRA, E. A utilização de applets no Geogebra para a aprendizagem da Trigonometria no Ensino Médio. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 7, n. 3, p. 53-72, 2 set. 2016.

PEREIRA, A. C. C.; OLIVEIRA, G. P. O ambiente remoto como ferramenta promotora de práticas laboratoriais no ensino de trigonometria em cursos de licenciatura em matemática. Revista Prática Docente, v. 6, n. 2, p. e027, 19 mai. 2021.

PINHEIRO, A. C. M.; BORGES NETO, H.; PINHEIRO, T. S. M. Quando e como utilizar o Ambiente Computacional para o Ensino de Conceitos Matemáticos: uma proposta de organização do trabalho docente. In: SANTOS, Alice Nayara dos; ROGÉRIO, Pedro (org.). Currículo: diálogos possíveis. Fortaleza: Edições UFC, 2013. p. 149-164.

RÊGO, R. G., RÊGO, R. M. Matematicativa. João Pessoa: EdUFPb, 2000.

RODRIGUES, F. C.; GAZIRE, E. S. Laboratório de Educação Matemática na formação de Professores. Curitiba: Appris, 2015.

SAITO, F.; PEREIRA, A. C. C. A elaboração de atividades com um antigo instrumento matemático no instrumento matemático na interface entre história e ensino. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2019.

SMITH, K. Matemática Divertida: Truques de Lógica Matemática. Lisboa: Replicação, 1996.

SOUZA, G. C. Reflexões sobre aliança entre HM, TDIC e IM. In: SOUZA, Giselle Costa de (Org.). Aliança entre História da Matemática e Tecnologias via Investigação Matemática: reflexões e práticas. São Paulo. Editora Livraria da Física, 2020.

VAN BRUMMELEN, G. Heavenly Mathematics: The Forgotten Art of Spherical Trigonometry. Princeton, New Jersey: Princeton University Press, 2013.

VAN BRUMMELEN, G. The Mathematics of the Heavens and the Earth: The Early History of Trigonometry. New Jersey: Princeton University, 2009.

VAN CLEAVE, J. Matemática para Jovens. Lisboa: Dom Quixote, 1994.

Publicado
2021-09-30
Como Citar
PEREIRA, A.; BATISTA, A. N.; OLIVEIRA, G. Novas configurações do laboratório de ensino de Trigonometria a partir da incorporação da tecnologia articulada a história da Matemática. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 12, n. 4, p. 1-19, 30 set. 2021.
Seção
Artigos Gerais