O processo histórico da disciplina Matemática como referência para a formação de dirigentes

Palavras-chave: Matemática, Ensino de Matemática, História da Matemática, Formação de Dirigentes, Abstração e Reflexão

Resumo

Este artigo apresenta uma discussão sobre o contexto histórico em que o ensino da Matemática passou a ser utilizado como formação da capacidade de abstração e reflexão, função anteriormente exercida pelo sistema educacional humanista, com o ensino do Grego e do Latim. O século XVIII foi marcado pela revolução industrial, o que contribuiu para o acelerado crescimento das cidades, modificando o perfil de dirigente. Com esse movimento, o ensino humanista entrou em declínio, impulsionando a busca por uma disciplina que poderia substituir a formação dada pelo ensino do Grego e do Latim, algo que possibilitaria a formação do raciocínio lógico, como também a formação de dirigentes e a seletividade da escola (Gramsci, 2001). Nesta visão, optou-se, neste estudo, pela metodologia exploratória cuja coleta de dados se deu pela análise documental, com base em um estudo teórico-bibliográfico. Os resultados indicam que as concepções de abstração e reflexão instituídas atualmente estão relacionadas à aplicação da Matemática à realidade, distante da técnica de pensar indiciada por Gramsci, além da formação de dirigentes estar vinculada mais a concepções mercadológicas do que a real elevação intelectual e moral do cidadão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Texto Final da BNCC, 2018.

D’AMBRÓSIO, Ubiratan. Algumas notas históricas sobre a emergência e a organização da pesquisa em educação matemática, nos Estados Unidos e no Brasil. MIGUEL, Antonio; GARNICA, Antonio Vicente Marafioti; IGLIORI, Sonia Barbosa Camargo. D’AMBRÓSIO, Ubiratan. A educação matemática: breve histórico, ações implementadas e questões sobre sua disciplinarização. Revista Brasileira de Educação. n. 27, set./out./nov./dez. 2004.

DORE, Rosemary. Atividade editorial como atividade educativa: reflexões de Gramsci sobre as "revistas tipo". Rev. Sociol. Polit. [online]. Curitiba, 2007, n.29, pp. 79-93. ISSN 0104-4478.

DORE, Rosemary. Ensino e novas tecnologias: situação atual e novas perspectivas. Caderno de Educação, Belo Horizonte, v.1, n.1, nov. 1995.

DORE SOARES, Rosemary. Escola Nova versus Escola Unitária: Contribuições para o debate teórico. Papirus, Belo Horizonte, v. 54, p.141-160, jan. 1996. Mensal.

DURKHEIM, Émile. A divisão do trabalho social. Lisboa: Presença, 1984. Vol. 1.

DURKHEIM, Emilio. Historia de la Educación y de las Doctrinas Pedagógicas - La evolución pedagógica en Francia. 2. ed. Madrid: La Piqueta, 1992.

EBY, Frederick. História da Educação Moderna: Teoria, Organização e Práticas Educacionais. Porto Alegre: Globo, 1962, 633 p.

EVES, Howard. Introdução à história da Matemática. Tradução Hygino H. Domingues. – Campinas, São Paulo: Editora da Unicamp, 2004.

FIDALGO, Fernando Selmar Rocha. MOREIRA, Priscila Rezende. SOUZA, Herbert Glauco de. Contribuições gramscianas na análise da incorporação das mídias digitais no cenário educacional brasileiro. Movimento-revista de educação, Niterói, , n.6, p. 225-253, jan./jun. 2017.

FURR, Jessica. A Brief History of Mathematics Education in America. Georgia: Spring, 1996.

GILES, Thomas Ransom. História da educação. São Paulo: EPU, 1987.

GÓMEZ-GRANELL, Carmen. A Aquisição da Linguagem Matemática: símbolo e significado. TEBEROSKY, Ana., TOCHINKI, Liliana. (Orgs.). Além da Alfabetização: a aprendizagem fonológica, ortográfica, textual e matemática. Trad. Stela Oliveira. São Paulo: Ática, 1997.

GRAMSCI, Antonio. Introdução ao estudo da filosofia: A filosofia de Benedetto Croce. Tradução de Carlos Nelson Coutinho; coedição, Luiz Sérgio Henriques e Marco Aurélio. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1999. 500 p. Vol. 1.

GRAMSCI, Antonio. Os intelectuais. O princípio educativo. Jornalismo 2. ed. Tradução de Carlos Nelson Coutinho; coedição, Luiz Sérgio Henriques e Marco Aurélio. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001. 332 p. Vol. 2.

HOUAISS, A; VILLAR, M. S. Dicionário eletrônico da lingual portuguesa. Rio de Janeiro: objetiva, 2009.

LÖWY, Michael. Ideologias e ciência social: elementos para uma análise marxista. 11 ed. São Paulo: Cortez, 1996.

LUZURIAGA, Lorenzo. História da educação pública. Tradução e notas: Luiz Damasco Penna; J. B. Damasco Penna. 2. ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1959. (Atualidades Pedagógicas). v.71.

MAIA, Lícia de Souza Leão. Matemática completa x matemática abstrata. Mito ou realidade? In: 23 REUNIÃO DA ANPED, 2000. Caxambu, MG.

MIORIM, Maria Ângela. Introdução à história da educação matemática. São Paulo: Atual, 1998.

MONROE, Paul. História da educação. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1978.

O'CONNOR, J.J. ROBERTSON, E. F. Some topics in the history of mathematical education, 2000.

ROSA, Carlos Augusto de Proença. História da Ciência: o pensamento científico e a ciência no século XIX. Brasília: FUNAG, v. 3, 2012.

SPINELLI, Walter. A construção do conhecimento entre o abstrair e o contextualizar: o caso do ensino da matemática. 2011. 138f. Tese (Doutorado em educação) - Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011.

SOARES, Rosemary Dore. Gramsci, o Estado e a escola. Rio Grande do Sul: Unijuí, 2000, 488p.

SOUSA, Giselle Costa de. O diálogo das transformações sociais com a matemática no século XIX. Revista Educação em Questão, Natal, v. 35, n. 21, p. 53-73, maio/ago. 2009.

TRINDADE, Syomara Assuite; MENEZES, Irani Rodrigues. A educação na modernidade e a modernização da escola no Brasil: século XIX e início do século XX. Revista HISTEDBR on-line, v. 9, n. 36, p. 124-135, 2009.

VALENTE, Wagner Rodrigues. Os movimentos da matemática na escola: do ensino de matemática para a educação matemática; da educação matemática para o ensino de matemática; do ensino de matemática para a Educação Matemática; da Educação Matemática para o Ensino de Matemática? Pensar a Educação em Revista, Curitiba/Belo Horizonte, v. 2, n. 2, p. 3-23, abr.-jun./2016.

VIETTA, Silvio. Racionalidade uma história Universal: Cultura europeia e globalização. Tradução: Nélio Shneider. Campinas, São Paulo: Unicamp, 2015.

Publicado
2021-08-25
Como Citar
PIRES, L. F.; GOMES, S. O processo histórico da disciplina Matemática como referência para a formação de dirigentes. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 12, n. 5, p. 1-26, 25 ago. 2021.