Elementos de Estatística Descritiva: uma abordagem com estudantes da 3ª série do Ensino Médio

Palavras-chave: Educação Estatística, Estatística, Letramento Estatístico, Medidas de Tendência Central, Medidas de Dispersão

Resumo

A pesquisa delineada neste artigo buscou investigar as implicações de uma sequência de ensino que coloca o estudante como protagonista do processo de ensino e aprendizagem, envolvendo o estudo de medidas de tendência central e medidas de dispersão. O estudo foi fundamentado principalmente nas ideias de Vygotsky e Iddo Gal, respectivamente. A pesquisa de cunho qualitativo contou com a participação de 35 alunos da 3.ª série do Ensino Médio, do período noturno, de uma escola da rede pública estadual, localizada no município de Araçariguama/SP. Os alunos foram responsáveis por coletar as informações, efetuar um levantamento de dados entre os próprios estudantes da turma, a partir de temas relacionados ao cotidiano vivenciado por eles. A partir da análise, pôde-se constatar que a realização de uma sequência de atividades diferenciada, participativa e contextualizada com a realidade dos estudantes valoriza o envolvimento e a autonomia dos alunos. Também foi possível evitar o uso de fórmulas no processo de ensino e aprendizagem envolvendo o estudo de medidas de tendência central e medidas de dispersão, fator que contribuiu para a construção do conhecimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BOGDAN, R.; BIKLEN, S. Investigação qualitativa em educação. Tradução de Maria João Alvarez, Sara Bahia dos Santos e Telmo Mourinho Baptista. Porto: Porto Editora, 1994.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular: Ensino Médio. Brasília: MEC/SEB, 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Ensino Médio. Brasília: MEC/SEF, 2000.

CHANCE, B. L. Components of statistical thinking and implications for instruction and assessment. Journal of Statistics Education, v. 10, n. 3, p. 1-22, 2002.

DELORS, J. et al. Educação: um tesouro a descobrir. Relatório para a UNESCO da Comissão Internacional sobre Educação para o século XXI. São Paulo: Cortez; Brasília: UNESCO, 1998.

FIORENTINI, D.; LORENZATO, S. Investigação em Educação Matemática: percursos teóricos e metodológicos. 3. ed. São Paulo: Autores Associados, 2012.

GAL, I. Alfabetização estatística de adultos: significados, componentes. Israel: Universidade de Haifa, 2002.

GARFIELD, J. O desafio de desenvolver raciocínio estatístico. Diário de Educação Estatística, v. 10, n. 3, p. 1-13, 2002.

RUMSEY, D. J. Letramento estatístico como meta para cursos introdutórios de estatística. Diário de Educação Estatística, v. 10, n. 3, p. 1-13, 2002.

SÃO PAULO. Secretaria de Estado de Educação. Proposta Curricular do Estado de São Paulo: Matemática. São Paulo: SEE, 2011.

SÃO PAULO. Secretaria de Estado de Educação. Matriz de Avaliação Processual: Matemática. São Paulo: SEE, 2016.

SIQUEIRA, J. R. Medidas de tendência central e dispersão: uma abordagem com alunos da 3ª série do Ensino Médio. 2021. 148f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências Exatas) − Centro de Ciências e Tecnologias para a Sustentabilidade. Universidade Federal de São Carlos. Sorocaba.

VIGOTSKY, L. S. A formação social da mente: o desenvolvimento social da mente. Tradução de Mônica Stahel M. da Silva. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

VYGOTSKY, L. S.; LURIA, A. R.; LEONTIEV, A. N. (Ed.). Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. 11. ed. Tradução de Maria da Pena Villalobos. São Paulo: Ícone, 2010.

Publicado
2021-09-02
Como Citar
SIQUEIRA, J. R. DE; PIRES, R. Elementos de Estatística Descritiva: uma abordagem com estudantes da 3ª série do Ensino Médio. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 12, n. 4, p. 1-26, 2 set. 2021.
Seção
Artigos Gerais