Uma proposta de ensino “sobre-com” o som para os conteúdos de Ciências no Ensino Fundamental: uma aprendizagem enquanto um corpo afetado

Palavras-chave: Som, Ensino de Ciências, Corpo Afetado, Relação Sujeito-Mundo

Resumo

Neste texto, apresentamos reflexões em prol da aprendizagem enquanto afetação dos corpos dos aprendizes para os conteúdos do som no ensino de Ciências. Para tanto, buscamos estabelecer relações com as propostas de Latour e de outros autores, que assumem os espaços sociais como sendo performados por redes sociomateriais em que atores humanos e não humanos se inter-relacionam simetricamente. Tal concepção compreende a aprendizagem enquanto um resultado da performance de atores e que um corpo que aprende é aquele que é afetado por essa rede sociomaterial. Por meio de uma pesquisa qualitativa em educação, desenvolvemos uma análise documental sobre o Currículo Referência do Estado de Minas Gerais (CREMG) entendendo-o como uma entidade que se propõe a estabilizar as redes de ensino no Estado. Em nossas análises, constatamos que, nas partes relacionadas aos conteúdos do som para as Ciências das séries finais do Ensino Fundamental, o documento oferece abordagens que pouco afetariam o corpo/ouvido desse aluno. Contudo, verificamos outras possibilidades de resgatar ontologias sobre “o som” e “o mundo” presentes no próprio CREMG quando analisamos as proposições nos campos das experiências para Educação Infantil, do corpo na Educação Física e da dimensão estésica da aprendizagem na Educação Artística.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMEIDA, J. K. A Música como auxílio no desenvolvimento das atividades físicas. 2013. 20 f. Monografia (Bacharelado e Licenciatura em Educação Física) – Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul, Santa Rosa, 2013.

BOGDAN, R.; BIKLEN, S. Investigação qualitativa em educação – uma introdução às teorias e aos métodos. Porto: Porto Editora, 1994.

CALDEIRA, M. H. et al. Ideias dos alunos sobre o conceito de som. Gazeta de Física, v. 14, n. 1, p. 22-32, 1991.

CÂNDIDO, G. G.; DECCACHE-MAIA, E. O ensino de ciências por meio de atividades musicais nos primeiros anos de escolaridade. Enseñanza de las ciencias, n. extra, p. 869-874, 2017.

CARNEIRO, I. Educação Física e Música: possibilidades de integração. Revista Principia – Divulgação Científica e Tecnológica do IFPB, n. 47, p. 37-47, dez. 2019.

COSTA, J. O.; SUTIL, N.; ALVES, J. A. P. Paisagens sonoras, música e indústria cultural: problematização na formação inicial de professores de Física. Góndola, Enseñanza y Aprendizaje de las Ciencias, v. 14, n. 2, p. 322-339, 2019.

COUTINHO, F. Â.; GOULART, M. I. M.; PEREIRA, A. F. Aprendendo a ser afetado: contribuições para a Educação em Ciências na educação infantil. Educação em revista, v. 33, p. e155748, 2017.

COUTINHO, F. Â.; VIANA, G. M. (Org.). Teoria Ator-Rede e Educação. Curitiba: Appris, 2019. 193 p.

DRIVER, R.; SQUIRES, A.; RUSHWORTH, P.; ROBINSON, V. W.; Making sense of secondary science: research into children’s ideas. London: Routledge, 1994. 210p.

ESHACH, H. Development of a student-centered instrument to assess middle school students’ conceptual understanding of sound. Physical Review Physics Education Research, v. 10, n. 1, 010102, p. 1-14, 2014.

ESHACH, H.; LIN, T.-C.; TSAI, C.-C. Taiwanese middle school students’ materialistic concepts of sound. Physical Review Physics Education Research, v. 12, n. 1, 010119, p. 1-9, 2016.

FENWICK, T.; EDWARDS, R. Actor-Network: Theory in Education. London: Routledge, 2010.

FENWICK, T.; EDWARDS, R. Networks of knowledge matters of learning, and criticality in higher education. Higher Education, v. 67, n. 1, p. 35-50, 2014.

FENWICK, T.; EDWARDS, R.; SAWCHUK, P. Emerging approaches to educational research. London: Routledge, 2011.

FERREIRA, G. C. B. Explorando fenômenos sonoros com crianças da educação infantil. 2019. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2019.

GOMES, H. Percepção e pesquisa na paisagem sonora: os fluxos do meio e o observador participante. OuvirOUver, v. 13, n. 2, p. 494-508, 2017.

HEWITT, P. G. Física Conceitual. Porto Alegre: Bookman, 2002.

HREPIC, Z.; ZOLLMAN, D. A.; REBELLO, N. S.. Identifying students’ mental models of sound propagation: The role of conceptual blending in understanding conceptual change. Physical Review Special Topics – Physics Education Research, v. 6, n. 2, 020114, p. 1-19, 2010.

LATOUR, B. How to Talk About the Body? The Normative Dimension of Science Studies. Body & Society, v. 10, n. 2-3, p. 205-229, 2004.

LATOUR, B. Ciência em ação: como seguir cientistas e engenheiros sociedade afora. 2. ed. São Paulo: Ed. da Unesp. 2011.

LATOUR, B. Reagregando o social. Bauru, SP: EDUSC/ Salvador, BA: EDUFBA. 2012.

LATOUR, B. Faturas/Fraturas: da noção de rede à noção de vínculo. Tradução Theophilos Rifiotis e Dalila Floriani Petry. ILHA, v. 16, n. 2, p. 123-146. ago./dez. 2015.

LATOUR, B. A esperança de Pandora: ensaios sobre a realidade dos estudos científicos. Bauru, SP: EDUSC, 2017.

LATOUR, B. Investigação sobre os modos de existência: uma antropologia dos modernos. Petrópolis, RJ: Vozes, 2019. (Coleção Antropologia).

LAVE, J.; WENGER, E. Situated Learning: Legitimate Peripheral Participation. New York: Cambridge University Press, 1991.

LEITE, L.; AFONSO, A. S. Natureza e propagação do som: concepções de alunos dos ensinos básico, secundário e superior. In: BARROS, S. G.; LOSADA, C. M (Ed.). La didáctica de las ciencias: tendencias actuales: actas de los Encuentros de Didáctica de las Ciencias Experimentales, v. 18, p. 345-358, 1999.

LINDER, C. J. Understanding sound: so what is the problem? Physics Education, v. 27, n. 5, p. 258-264, 1992.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. Pesquisas em Educação: abordagens qualitativas. São Paulo: E.P.U., 2017.

MAGALHÃES, N. S. Conversa de Golfinho: Reflexões sobre a Bioacústica como Recurso Pedagógico Interdisciplinar no Ensino Básico. Revista de Cultura e Extensão USP, v. 17, p. 101-117, 2017.

MAZENS, K.; LAUTREY, J. Conceptual change in physics: children’s naive representations of sound. Cognitive Development, v. 18, n. 2, p. 159-176, 2003.

MELO, M. F. A. Q. Discutindo a aprendizagem sob a perspectiva da teoria ator-rede. Educ. rev., Curitiba, n. 39, p. 177-190, abr. 2011.

MINAS GERAIS. Secretaria de Estado da Educação. Currículo Referência do Estado de Minas Gerais. 2018. 918 p.

MONTEIRO JÚNIOR, F. N. Educação sonora: encontro entre ciências, tecnologia e cultura. 2012. 315 f. Tese (Doutorado) – Faculdade de Ciências, Universidade Estadual Paulista, Bauru, 2012.

MONTEIRO JÚNIOR, F. N.; CARVALHO, W. L. P. O ensino de Acústica nos livros didáticos de Física recomendados pelo PNLEM: análise das ligações entre a física e o mundo do som e da música. Holos, v. 1, p. 137-154, 2011.

MONTEIRO JÚNIOR, F. N.; CARVALHO, W. L. P. Sensibilização da audição e educação sonora nos exercícios de limpeza de ouvidos: uma incursão na educação matemática. Zetetike, v. 22, n. 42, p. 151-180, 2014.

MONTEIRO JÚNIOR, F. N.; MEDEIROS, A. Distorções conceituais dos atributos do som presentes nas sínteses dos textos didáticos: aspectos físicos e fisiológicos. Ciência & Educação, v. 5, n. 2, p. 1-14, 1998.

OLIVEIRA, A. C. Estesia e Experiência do Sentido. Cadernos de Semiótica Aplicada, v. 8, n. 2, dez. p.1-12. 2010.

OLIVEIRA, K. E. J.; PORTO, C. M. Educação e teoria ator-rede: fluxos heterogêneos e conexões híbridas. Ilhéus: Editus, 2016.

SANTOS, V. M. F. Abrindo a caixa-preta de uma sequência didática: uma análise ator-rede da aprendizagem profissional docente de um professor de Biologia. 2016. 181 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2016.

SCHAFER, R. M. A afinação do mundo. São Paulo: Ed. da UNESP, 2011.

SILVA, H.; NETO, J. Transparência versus opacidade na educação em ciências: as imagens na física de partículas elementares. Em Aberto, v. 31, n. 103, p. 125-147, 2018.

SILVA, H. C.; ZIMMERMANN, E.; CARNEIRO, M. H. S.; GASTAL, M. L.; CASSIANO, W. S. Cautela ao usar imagens em aulas de ciências. Ciência & Educação, v. 12, n. 2, p. 219-233, 2006.

SILVA, R. I.; ZOBOLI, F. Música, corpo e educação física. Motrivivência, Florianópolis, v. 27, n. 44, p. 125-141, 2015.

SOUZA, A.; LIMA, F. C.. O Corpo como Interface: Latour e um aprendizado menos afirmativo. Urdimento – Revista de Estudos em Artes Cênicas, v. 3, n. 30, p. 5-13, 2017.

SØRENSEN, E. The Materiality of Learning: technology and knowledge in educational practice. Cambridge: Cambridge University Press, 2009.

WISNIK, J. M. O som e o sentido: uma outra história das músicas. São Paulo: Companhia das Letras, 1999. 285 p.

Publicado
2021-08-18
Como Citar
VIANA, G.; SILVA, F.; GOMES, A. Uma proposta de ensino “sobre-com” o som para os conteúdos de Ciências no Ensino Fundamental: uma aprendizagem enquanto um corpo afetado. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 12, n. 4, p. 1-24, 18 ago. 2021.
Seção
Artigos Gerais

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)