Formação docente e ensino de Botânica: reflexões além de uma análise documental

Palavras-chave: Desenvolvimento Profissional, Ensino-aprendizagem em Botânica, Ensino Superior Noturno, Formação Inicial, Pesquisa-Ensino-Extensão

Resumo

A formação inicial de professores de Biologia é historicamente discutida na área da Educação. No entanto, ainda há questões que necessitam ser objeto de reflexão e intervenção, dentre elas a qualidade do ensino de Botânica. Este trabalho objetivou investigar, por meio de uma análise documental, o ensino e o desenvolvimento científico da Botânica em um curso superior público noturno de Licenciatura em Ciências Biológicas. Pretendeu-se identificar entraves e potencialidades para um ensino de Botânica que favoreça aprendizagens significativas a partir da articulação entre teoria e prática.  Analisando o Projeto Político Curricular e as produções acadêmicas desenvolvidas entre 2014 e 2021, vinculadas ao trabalho de curso ou a projetos de pesquisa, ensino e extensão, verificou-se que os componentes curriculares de Botânica seguem uma base norteadora conteudista, ocasionando fragilidades no processo de ensino-aprendizagem. Constatou-se também que a indissociabilidade entre pesquisa, ensino, extensão não tem se efetivado plenamente durante a formação docente. Por fim, observou-se que o aprofundamento científico entre os licenciandos tem acontecido superficialmente, especialmente na área da Botânica.  Diante desse cenário, sugere-se novos estudos e mudanças que viabilizem um ensino de Botânica de qualidade, bem como impulsionem um maior engajamento dos discentes nesta área, que apresenta relevância científica, social e profissional.   

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARAÚJO, J.N.; SILVA, M.F.V. Aprendizagem significativa de botânica em ambientes naturais. Rev. ARETÉ, Manaus, vol. 8, n. 15, p. 100-108, 2015.

ARAUJO, R.S.; VIANNA, D.M. A carência de professores de ciências e matemática na educação básica e a ampliação das vagas no ensino superior. Ciência & Educação, vol. 17, n. 4, p. 807-22, 2011.

ARROYO, M. G. A. Universidade, o trabalho e o curso noturno. Estudos e debates, Brasília, nº. 17, p. 91- 94, 1990.

AUSUBEL, D. P. Aquisição e retenção de conhecimentos: uma perspectiva cognitiva. Lisboa: Plátano, 2003.

AUSUBEL, D.P. Educational psychology: a cognitive view. New York, Holt, Rinehart and Winston, 1968.

AUSUBEL, D. P.; NOVAK, J. D.; HANESIAN, H. Psicologia educacional. Rio de Janeiro: Interamericana, 1980.

BRASIL. Ministério da Ciência e Tecnologia. Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Botânica no Brasil: Descrição do quadro atual/linhas de ação. Brasília, 1987.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Conselho Pleno. Resolução CNE/CP nº 02, de dezembro de 2015. Brasília, 2 de jul. 2015.

CARVALHO, A.M.P. Construção do conhecimento e ensino de ciências. Em Aberto, Brasília, ano 11, nº 55,1992.

CHASSOT, A. Alfabetização científica: questões e desafios para a educação. 2. ed. Ijuí: Ed. UNIJUÍ, 438 p, 2001.

CORRÊA, G. S.; TEIXEIRA, E.; DOMINGUEZ, L. A. E.; CARVALHO, P. M. G. As principais dificuldades enfrentadas por alunos da Licenciatura em Química no curso noturno do IFSul – Campus Visconde da Graça (IFSUL – CAVAG). Anais de evento – 37º Encontro de Debates sobre o Ensino de Química – EDEQ 37 anos: Rodas de Formação de Professores na Educação Química. FURG, 2017.

COSTA, E. A. et al. Percepção de professores sobre a disciplina botânica geral no ensino superior alagoano. Revista Insignare Scientia, vol. 2, n. 4, 2019.

CRUVINEL, P.H.M.; TAVARES-NETO, J.Q. mudança do habitus das Instituições Federais de ensino superior através de políticas públicas inclusivas: a necessidade de ir mais além. Revista de Direito Brasileira, Florianópolis, SC, vol. 27, n. 10, 2020.

CRUZ, L.P.; JOAQUIM, W.M.; FURLAN, M.R. O estudo de plantas medicinais no ensino fundamental: uma possibilidade para o ensino da Botânica. Thesis, São Paulo, ano VII, n. 15, p. 78-92, 2011.

DELIZOICOV, D. Uma experiência em ensino de ciências na Guiné Bissau Depoimento. Revista de Ensino de Física, São Paulo, vol.2, nº. 4, 1980.

DURHAM, E. R. O ensino superior no Brasil: público e privado. Núcleo de Pesquisas sobre Ensino Superior da Universidade de São Paulo - USP, 2003.

ELIAS, M. A.; RICO, V. Ensino de Biologia a partir da metodologia de estudo de caso. Revista Thema, v. 17, n. 2, 2020.

FIGUEIREDO, J.A. O ensino de botânica em uma abordagem ciência, tecnologia e sociedade. 2009. 88f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática). Pontifícia Universidade Católica (PUC). Belo Horizonte.

FIRMINO, C.T.; ABREU, K.M.P. Dificuldades no ensino de botânica: uma análise da atuação do pibid nas escolas públicas na região sul do espírito santo. Revista Eletrônica Sala de Aula em Foco, vol. 6, nº 2, p. 49-58, 2017

FONSECA, L.R.; RAMOS, P. Ensino de botânica na licenciatura em ciências biológicas de uma universidade pública do rio de janeiro: contribuições dos professores do ensino superior. Revista Ens. Pesqui. Educ. Ciênc. (Belo Horizonte) vol. 20, Belo Horizonte, 2018.

FOUREZ, G. Crise no ensino de Ciências? Investigações em Ensino de Ciências, vol. 8, nº 2, p. 109-123, 2003.

FREITAS, L.M.; ARAÚJO, R.L. Praticando a tríade ensino-pesquisa-extensão no estágio supervisionado de licenciatura em ciências biológicas. Revista de Educação em Ciências e Matemáticas, vol. 8, nº 16, p. 186 -197, 2012.

FREITAS, W.R.S.; JABBOUR, C.J.C. Utilizando estudo de caso(s) como estratégia de pesquisa qualitativa: boas práticas e sugestões. ESTUDO & DEBATE, Lajeado, v. 18, n. 2, p. 07-22, 2011.

FURLANI, L. M. T. A. A claridade da noite: os alunos do ensino superior noturno. São Paulo: Cortez, 1998.

GONÇALVES, E. O estudante no direito do trabalho. São Paulo: LTR, 1987.

KINOSHITA, L.S., TORRES, R.B., TAMASHIRO, J.Y., FORNI-MARTINS, E.R. A Botânica no Ensino Básico: relatos de uma experiência transformadora. RiMa, São Carlos, p. 162. 2006.

KRASILCHIK, M. O professor e o currículo das ciências. São Paulo, EPU/Edusp, 1987.

KRASILCHIK, M. Práticas de ensino aprendizagem. 4º Edição. São Paulo, SP Edusp, 2004.

KRASILCHIK, M. Reformas e realidade: o caso do ensino das ciências. São Paulo em perspectiva, v. 14, n. 1, p. 85-93, 2000.

LUDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisas em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: Editora Pedagógica e Universitária LTDA - EPU, 1986.

MACHADO, T.A.; POLETTO, R.S.; ALVES, D.S. Ensino de Botânica e atualizações de conhecimentos científicos para o Ensino Superior: uma revisão sistemática de literatura. Ensino de Ciências e Tecnologia em Revista, Santo Ângelo – RS, v. 9, n. 2, mai/ago, 2019.

MARANHÃO, J.D.; VERAS, R.M. O ensino noturno na Universidade Federal da Bahia: percepções dos estudantes. Ensaio: aval. pol. públ. Educ., Rio de Janeiro, vol. 25, nº 96, p. 553-584, 2017.

MASSI, L.; QUEIROZ, S. L. Estudos sobre iniciação científica no Brasil: uma revisão. Cadernos de Pesquisa, v. 40, n. 139, São Paulo, 2010.

MENDES, A. O ensino superior noturno e a democratização do acesso à universidade. Debates e Propostas INEP. Mesa Redonda. Brasília. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, vol. 67, n. 157, p. 617-647, 1986.

MOITA, F.M.G.S.C.; ANDRADE, F.C.B. Ensino-pesquisa-extensão: um exercício de indissociabilidade na pós-graduação. Revista Brasileira de Educação, vol. 14, n. 41, 2009.

MOREIRA, L.H.L.; FEITOSA, A.A.F.M.A.; QUEIROZ, R.T. Estratégias pedagógicas para o ensino de Botânica na Educação Básica. Experiências em Ensino de Ciências, Cuiabá – MT, v. 14, n. 2, p. 368-384, 2019.

MORO, C.F.S.; CANTO-DOROW, T.S. (Res) significando o ensino das plantas: princípios etnobotânicos em atividades práticas no Ensino Fundamental (Amazonas, Brasil). REnCiMa, São Paulo, vol. 11, n. 1, p. 494-509, 2020.

MORRETES, B.L. Felix Rawitscher. Estudos Avançados, vol. 8, nº 22, São Paulo, 1994.

NASCIMENTO, B. M.; DONATO, A. M.; SIQUEIRA, A. E.; BARROSO, C. B.; SOUZA, A. C. T.; LACERDA, S. M.; BORIM, D. C. D. E. Propostas pedagógicas para o ensino de botânica nas aulas de ciências: diminuindo entraves. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, Vigo, vol. 16, n. 2, p. 298-315, 2017.

NOGUEIRA, A.C. de O. Cartilha em quadrinhos: um recurso dinâmico para se ensinar botânica. In: ENCONTRO “PERSPECTIVAS DO ENSINO DE BIOLOGIA”, 6., 1997, São Paulo. Coletânea, São Paulo: USP, p. 248-249, 1997.

NOVAES, M.A.B.; MEDEIROS, J.L.; SILVA, A.M.O. O acesso à educação superior no brasil (1500-1996). Revista Eletrônica Arma da Crítica, n. 10, 2018.

NUNES, C.; SILVA, L.M.N. Acesso e permanência na educação superior x exercício da maternagem: entre trajetórias, representações e exigibilidade de políticas estudantis. Direito.UnB, vol. 04, nº. 1, ISSN 2357-8009, 2020.

ROMANOWSKI, J. P.; MARTINS, P. L. O.; KOGUTI, M. C.; MANIESI, P. S. A formação do professor nos cursos de licenciatura: o que dizem os professores. Revista Diálogo Educ., Curitiba, v. 17, n. 55, p. 1639-1661, 2017

ROSSO, A.J.; TAGLIEBER, J.E. Métodos ativos e atividades de ensino. Perspectiva, vol. 17, p. 37-46, 1992.

SALANTINO, A.; BUCKERIDGE M. Mas de que te serve saber Botânica? Estudos Avançados, vol. 30, n. 87, São Paulo, 2016.

SANTOS, C.P.C.; MARAFON, N.M. A Política de Assistência Estudantil na Universidade Pública Brasileira: desafios para o Serviço Social. Textos & Contextos (Porto Alegre), vol. 15, n. 2, p. 408-22, 2016.

SANTANA, G.T.; FERNANDES, G.W.R. O ensino de Botânica na Educação Básica e possíveis métodos para o aprimoramento da aprendizagem. REnCiMa, São Paulo, vol. 11, n. 6, p. 571-90, 2020.

SANTOS, A.L.C.; SILVA, F.V.C.; SANTOS, L.G.T.; FEITOSA, A.A.F.M.A. Dificuldades apontadas por professores do programa de mestrado profissional em ensino de biologia para o uso de metodologias ativas em escolas da rede pública na paraíba. Brasilian Journal of Development, Curitiba, v. 6, n. 4, p. 21959-21973, abr. 2020.

SANTOS, M.L. OLIVEIRA, R.R.S.; MIRANDA, S.C.; RAMOS, M.V.V. O Ensino de Botânica na Formação Inicial de Professores em Instituições de Ensino Superior Públicas no Estado de Goiás. In: X Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências – X ENPEC. Formação de professores de Ciências, Águas de Lindóia, SP, 2015.

SILVA, A.P.M.; SILVA, M.F.S.; ROCHA, F.M.R.; ANDRADE, I.M. Aulas práticas como estratégia para o conhecimento em botânica no ensino fundamental. HOLOS, vol. 8, 2015.

SILVA, E.O. Restrição e extensão do conhecimento nas disciplinas científicas do ensino médio: nuances de uma “epistemologia de fronteiras”. Investigações em Ensino de Ciências, vol. 4, nº. 1, p. 51-72, 1999.

SILVA, J.R.S. Ensino de Botânica centrado na mera transmissão de conteúdo. 2013. 208 f. Tese (Doutorado em Ciências na Área de Botânica) – Instituto Biociência da Universidade de São Paulo. Departamento de Botânica.

SILVA, L.M.; ALQUINI, Y.; CAVALLET, V.J. Inter-relações entre a anatomia vegetal e a produção vegetal. Acta Botanica Brasilica, vol. 19, n. 1, p. 183-94. 2005.

SILVA, L.M.; CAVALLET, V.J.; ALQUINI, Y. Contribuição à reflexão sobre a concepção de Natureza no ensino de Botânica. R. bras. Est. pedag., Brasília, vol. 86, n. 213/214, p. 11-20, 2005.

SILVA, N.V.; SOUSA, D.F.; GUIMARÃES, S.S.M.; SANTOS, J.B. GOLDSCHMIDT, A.I. A história da taxonomia no ensino de botânica a partir de atividades práticas. Experiências em Ensino de Ciências, vol. 15, nº. 1, 2020.

SILVA, T.L.; RESENDE, G.S.L. A docência no ensino superior: ensino, pesquisa e extensão. Revista FACISA ON-LINE. Barra do Garça. vol. 6, n. 2, p. 32- 46, 2017.

SILVEIRA, H.E. Memórias sobre o Pibid: concepções, criação e dinâmica de funcionamento. Crítica Educativa (Sorocaba/SP), vol. 3, n. 2 - Especial, p. 50-62, 2017.

SODRÉ-NETO, L.; OLIVEIRA, M.L.A. Aulas experimentais no ensino superior: a visão de estudantes do curso de licenciatura em ciências biológicas sobre esse tipo de prática. Revista de Educação, Ciências e Matemática, vol. 5 n. 2, 2015.

SOUZA, C.L.P.; GARCIA, R.N. Buscando produções acadêmicas acerca do ensino de botânica: uma pesquisa de levantamento bibliográfico. REnCiMa, vol. 9, n. 3, p. 54-69, 2018.

SOUZA, E.A.M. História da Educação no Brasil: o elitismo e a exclusão no ensino. Cadernos de Pedagogia, vol. 12 (23), p. 15-33, 2016.

TRIVELATO, S. F.; SILVA, R. L. F. Ensino de ciências. São Paulo: Cengage Learning, 2014.

TOWATA, N.; URSI, S.; SANTOS, D. M. Análise da percepção dos licenciandos sobre o “ensino de botânica na educação básica”. In: III ENEBIO & IV EREBIO – Regional 5, V Congreso Iberoamericano de Educación en Ciências Experimentales. Revista da SBenBio. n. 03, p. 1603-1612, 2010.

UNO, G. E. Botanical literacy: what and how should students learn about plants? American Journal of Botany, vol. 96, n. 10, p. 1753-9, 2009.

URSI, S.; BARBOSA, P. P.; SANO, P. T.; BERCHEZ, F. A. S. Ensino de Botânica: conhecimentos e encantamentos na educação científica. Estudos Avançados, v. 32, n. 94, 2018.

XAVIER, A. E.; ARRAIS NETO, E. A.; FEIJÓ, J.P. A educação como instrumento de transformação da realidade: uma aplicação no sertão central do Ceará. Revista Labor, Fortaleza, CE, vol. 02, nº 21, pp.103-113, 2019.

WANDERSEE, J.H.; SCHUSSLER, E. E. Preventing plant blindness. The American Biology Teacher, Oakland, v. 61, n. 2, p. 284-286, 1999.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 2ª Ed. – Porto Alegre: Bookman, 2001.

Publicado
2021-08-31
Como Citar
GOMES, J. V.; NUNES, L.; OLIVEIRA, R.; GODOY, H. Formação docente e ensino de Botânica: reflexões além de uma análise documental. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 12, n. 4, p. 1-25, 31 ago. 2021.
Seção
Artigos Gerais