A Educação Matemática como campo científico-acadêmico: percorrendo memoriais acadêmicos de pesquisadores

Palavras-chave: Área de Pesquisa, História da Educação Matemática, Indicadores Sociológicos, Memorial, Pesquisa em Educação Matemática

Resumo

Este texto nasce de uma pesquisa que teve como objetivo traçar um panorama da Educação Matemática no cenário científico-acadêmico brasileiro a partir de memoriais acadêmicos produzidos por pesquisadores da área. Reconhecendo as potencialidades desses memoriais, foram analisados documentos produzidos em concursos para os cargos de livre-docente e professor titular para levantar e discutir aspectos da constituição e da consolidação da Educação Matemática como área de pesquisa no Brasil. Particularmente neste texto, trazemos relatos sobre a aproximação e a permanência de pesquisadores no campo da Educação Matemática, destacando como marcas de inserção na área a oportunidade e a necessidade. A pesquisa insere-se em um projeto maior denominado A posição científico-acadêmica da Educação Matemática no Brasil: representações, instituições e políticas, financiado pelo CNPq.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARAÚJO, P. H. S. A constituição da comunidade científico-acadêmica em Educação Matemática no Brasil: uma análise de memoriais acadêmicos. 2020. 95 f. Dissertação (Mestrado em Educação: conhecimento e inclusão social) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2020.

BICUDO, M. A. V. A Pós-Graduação em Educação Matemática de Rio Claro: historiando sua trajetória. In: NARDI, R.; GONÇALVES, T. V. O. (Orgs.). A Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática no Brasil. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2014, p. 85-97.

BOURDIEU, P. Questões de sociologia. Rio de Janeiro: Marco Zero, 1983.

CÂMARA, S. C. X.; PASSEGGI, M. C. Memorial autobiográfico: investigando sua gênese. In: PASSEGGI, M. C.; BARBOSA, T. M. N. (Orgs.). In: PASSEGGI, M. C.; BARBOSA, T. M. N. (Orgs.) Memórias, memoriais: pesquisa e formação docente. Natal: EDUFRN; São Paulo: Paulus, 2008. p. 93-116.

D’AMBROSIO, U. Tendências historiográficas na história da ciência. In: ALFONSO-GOLDFARB, A. M.; BELTRAN, M. H. R. (Orgs.). Escrevendo a História da Ciência: tendências, propostas e discussões historiográficas. São Paulo: Livraria da Física, 2004. p. 166-200.

D’AMBROSIO, U. Uma síntese do Programa Experimental de Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática da UNICAMP/OEA/MEC (1975 a 1984). In: NARDI, R.; GONÇALVES, T. V. O. (Orgs.). A Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática no Brasil. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2014. p. 56-84.

FERNANDES, F. S. Histórias da posição cientifico-acadêmica da Educação Matemática no Brasil: sistematização e perspectivas. Zetetiké, v. 25, n. 2, Maio/Ago., p. 222-239, 2017.

HEY, A. P. Bourdieu epistêmico-prático: o espaço de produção acadêmica na educação superior do Brasil. Educação & Linguagem, v. 10, n. 16, p. 86-105, Jul./Dez. 2007.

MIGUEL, A. et al. A educação matemática: breve histórico, ações implementadas e questões sobre sua disciplinarização. Revista Brasileira de Educação, n. 27, p. 70-93, Set./Dez. 2004.

PASSEGGI, M. C. Memoriais auto-bio-gráficos: a arte profissional de tecer uma figura pública de si. In: PASSEGGI, M. C.; BARBOSA, T. M. N. (Orgs.) Memórias, memoriais: pesquisa e formação docente. Natal: EDUFRN; São Paulo: Paulus, 2008. p. 27-42.

PEREIRA, D. J. R. História do movimento democrático que criou a Sociedade Brasileira de Educação Matemática – SBEM. 2005. 261 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2005.

SOUZA, E. C. Pesquisa narrativa e escrita (auto) biográfica: interfaces metodológicas e formativas. In: CONGRESSO INTERNACIONAL SOBRE PESQUISA (AUTO) BIOGRAFICA, 2, 2006, Salvador. Anais II CIPA. Salvador: EDUNEB, v. 1, 2006.

SOUZA, E. C. Diálogos cruzados sobre pesquisa (auto)biográfica: análise compreensiva-interpretativa e política de sentido. Educação, v. 39, p. 39-50, 2014.

VILELA, M. L. Compreensões históricas das disciplinas de estágio curricular supervisionado no curso de Licenciatura em Matemática da UFMG (1968-1994). 2020. 206 f. Dissertação (Mestrado em Educação: conhecimento e inclusão social) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2020.

Publicado
2021-08-24
Como Citar
ARAÚJO, P. H.; FERNANDES, F. A Educação Matemática como campo científico-acadêmico: percorrendo memoriais acadêmicos de pesquisadores. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 12, n. 5, p. 1-21, 24 ago. 2021.