Metodologias de intervenção pedagógica no ensino de temáticas sobre sexualidade no Ensino Médio

Palavras-chave: Ensino de Biologia, Metodologias de Ensino, Orientação Sexual

Resumo

Devido à precocidade da iniciação sexual entre os jovens, é fundamental que as metodologias de abordagem sobre sexualidade promovam uma reflexão e um diálogo com os estudantes no sentido de despertar interesse e auxiliar na aprendizagem dos conceitos científicos relacionados ao tema. Com esse intuito, o objetivo geral desta pesquisa foi aplicar sequências didáticas voltadas para o ensino de educação sexual e fazer uma avaliação a partir do comportamento e da percepção dos estudantes diante da metodologia adotada. O trabalho envolveu estudantes do ensino médio de uma escola pública estadual e fora dividido em duas sequências pedagógicas. A primeira adotou estratégias na abordagem de temas relacionados à microbiologia, reprodução humana, sexualidade, IST e gravidez na adolescência. A segunda abordou conteúdos de biologia e química relacionados ao tema “Bioquímica da Sexualidade”. Durante a aplicação das atividades fez-se uma avaliação da percepção dos estudantes sobre as estratégias adotadas mediante a aplicação de um questionário e por observações sistematizadas. Os adolescentes esclareceram dúvidas e preencheram lacunas do conhecimento por meio das atividades interativas aplicadas, desenvolvendo um senso crítico e reflexivo sobre os temas. Assim, a vivência com as estratégias teve uma excelente aceitação por todos os envolvidos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AMORAS, B. C.; CAMPOS, A. R.; BESERRA, E. P. Reflexões sobre vulnerabilidade dos adolescentes a infecções sexualmente transmissíveis. PRACS: Revista Eletrônica de Humanidades do Curso de Ciências Sociais da UNIFAP, Macapá, v. 8, p. 163-171, jan./jun. 2015.

BARBOSA, E. F.; MOURA, D. G. Metodologias ativas de aprendizagem na Educação Profissional e Tecnológica. Boletim Técnico do Senac – A revista da Educação Profissional, Rio de Janeiro, v. 39, n. 2, p. 48-67, maio/ago. 2013.

BESERRA, E. P.; TORRES, C. A.; BARROSO, M. G. T. Dialogando com professores na escola sobre sexualidade e doenças sexualmente transmissíveis. Revista Rene, Fortaleza, v. 9, p. 151-157, 2008.

BEVITÓRIO, L. Z.; GOMES, M. L. M.; PIROVANI, J. C. M. Uso de jogos didáticos como estratégia para o ensino de educação sexual no ensino médio. Enciclopédia biosfera, Centro Científico Conhecer - Goiânia, v. 16 n. 30, p. 614-629, 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Resolução Nº 510. Brasília, DF: MEC, 2016.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Orientações curriculares para o ensino médio. Brasília, DF: MS, 135 p., v. 2, 2006.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular: ensino médio. Brasília, DF: MEC, SEB, 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Boletim epidemiológico: HIV/AIDS. v. 48. Brasília, DF: MS, SVS, 2017.

CARVALHO, A. M. P. Ensino e aprendizagem de Ciências: referenciais teóricos e dados empíricos das sequências de ensino investigativas (SEI). In: LONGHINI, M. D. (Org.). O uno e o diverso na educação. Uberlândia, MG. EDUFU: p. 253-266, 2011.

CARVALHO, R. C. S.; SILVA, F. A. R. Uma sequência didática para o ensino de temas de sexualidade no ensino fundamental: puberdade e adolescência. Experiências em Ensino de Ciências, v. 13, n. 5, p. 617-630, 2018.

CASTRO, B. J.; COSTA, P. C. F. Contribuições de um jogo didático para o processo de ensino e aprendizagem de química no ensino fundamental segundo o contexto da Aprendizagem Significativa. Revista Electrónica de Investigación En Educación En Ciencias, Buenos Aires, v. 6, n. 2, p. 1-13, 2011.

DIAS, S. C. G. Educação sexual nas escolas do Conselho de Oeiras: percepção de professores e alunos. Dissertação (Mestrado em Ciências da Educação na Especialidade de Educação para a Saúde) - Programa de Pós-Graduação em Ciências da Educação na Especialidade de Educação para a Saúde, Universidade Técnica de Lisboa, Lisboa, 2013.

FAZENDA, I. C. A.; VARELLA, A. M. R. S.; ALMEIDA, T. T. O. Interdisciplinaridade: tempos, espaços, proposições. Revista e-Curriculum PUCSP, São Paulo, v. 11, n. 3, p. 847-862, set./dez. 2013.

FERNANDES, R. Medicina, primeiros socorros, DST e drogas: debatendo francamente temas essenciais em saúde. Grupo Saúde e Vida, São Paulo, v. 2, 2017.

GEMIGNANI, E. Y. M. Y. Formação de professores e metodologias ativas de ensino-aprendizagem: ensinar para a compreensão. Fronteiras da Educação, Recife, v. 1, 2012.

GHELLI, G. M. A construção do saber no ensino superior. Cadernos FUCAMP, 2004.

LOPES, I. E. S. A.; SILVA, J. V. L.; SOUZA, R. S. Quiz em metodologias ativas: suporte no ensino aprendizagem. In: FERREIRA, G. R. (Org.). Educação: políticas, estrutura e organização. 2ª ed. Ponta Grossa: Atena, p. 263-271, 2019.

LOPES, E. S. Orientação Sexual no Ambiente Escolar. Revista Insignare Scientia - Edição Especial: Ciclos Formativos em Ensino de Ciências, v. 2, n. 3, p. 109-116, 2019.

MELO, M. C. H.; CRUZ, G. C. Roda de conversa: uma proposta metodológica para a construção de um espaço de diálogo no ensino médio. Imagens da Educação, v. 4, n. 2, p. 31-39, 2014.

MINAYO, M. C. S. Análise qualitativa: teoria, passos e fidedignidade. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 17, n. 3, p. 621-626, 2012.

MIRANDA, L. S. M.; LEAL, I. C. R.; BARROS, J. C. A química do amor. Coleção Química no Cotidiano, v. 1, São Paulo: SBQ, 66 p. 2010.

NARDI, H. C. O estatuto da diversidade sexual nas políticas de educação no Brasil e na França: a comparação como ferramenta de desnaturalização do cotidiano de pesquisa. Psicologia e Sociedade. UFRGS, Porto Alegre, v. 20, n. esp., p. 12-23, 2008.

NOTHAFT, S. C. S. et al. Sexualidade do adolescente no discurso de educadores: possibilidades para práticas educativas. Reme - Revista Mineira de Enfermagem, v. 18, n. 2, p. 284-289, abr./jun. 2014.

OLIVEIRA, D. C. et al. Conhecimentos e práticas de adolescentes acerca das DST/HIV/AIDS em duas escolas públicas municipais do Rio de Janeiro. Escola Anna Nery Revista de Enfermagem, Rio de Janeiro, v. 4, p. 833-841, 2009.

PENSE - Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (PeNSE). Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Coordenação de População e Indicadores Sociais. Rio de Janeiro: IBGE, 2016. 132 p.

PERETTI, L.; TONIN DA COSTA, G. M. Sequência Didática na Matemática. Revista de Educação do Ideau, Getúlio Vargas, RS, v. 8, n. 17, p. 1-14, jan./jun. 2013.

PONTE, M. L.; MALDARIN, J. S. Corpo humano e a saúde na juventude: estratégia e recursos para o ensino médio. REnCiMa, v. 10, n. 6, p. 76-94, 2019.

RIBEIRO, P. R. C. Inscrevendo a sexualidade: discursos e práticas de professoras das séries iniciais do ensino fundamental. 2002. 125 f. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas: Bioquímica, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2002.

SANTOS, N. L. A. C. et al. Gravidez na adolescência: análise de fatores de risco para baixo peso, prematuridade e cesariana. Ciência e Saúde Coletiva, v. 19, n. 3, p. 719-726, 2014.

SASSERON, L. H. Alfabetização científica, ensino por investigação e argumentação: relações entre ciências da natureza e escola. Revista Ensaio, Belo Horizonte, v. 17, n. esp. p. 49-67, nov. 2015.

SEBOLD, L. F. et al. Metodologias ativas: uma inovação na disciplina de fundamentos para o cuidado profissional de enfermagem. Cogitare Enfermagem, v. 15, n. 4, 2010.

SILVA, R. B.; PIRES, L. L. A. Metodologias ativas de aprendizagem: construção do conhecimento. Anais VII CONEDU - Edição Online. Maceió-AL: Realize Editora, 2020.

SIQUEIRA, A. C. et al. Educação em saúde: um panorama dos trabalhos apresentados no encontro nacional de pesquisa em educação em ciências - ENPEC (2013-2017). REnCiMa, v. 9, n. 5, p. 76-93, 2018.

SOUZA, M. L.; CHAPANI, D. T. Aprendizagem da docência: análise de uma proposta de estágio curricular desenvolvida em articulação com o programa novos talentos - CAPES. REnCiMa, v. 7, n. 1, p. 102-118, 2016.

SUASSUNA, L. Pesquisa qualitativa em Educação e Linguagem: histórico e validação do paradigma indiciário. Perspectiva, Florianópolis, v. 26, n. 1, 341-377, jan./Jun. 2008.

VILAÇA, T. Metodologias de ensino na educação em sexualidade: desafios para a formação contínua. RIAEE - Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 14, n. 2, p. 1500-1537, jul. 2019.

ZABALA, A. A prática educativa: como ensinar. Tradução de Ernani F. da F. Rosa. Porto Alegre: Artmed, 1998.

Publicado
2021-09-30
Como Citar
MALDONADO, K. K.; SUDÉRIO, F. Metodologias de intervenção pedagógica no ensino de temáticas sobre sexualidade no Ensino Médio. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 12, n. 4, p. 1-24, 30 set. 2021.
Seção
Artigos Gerais