Modelo atômico de Thomson e o Ensino Fundamentado em Modelagem: uma intervenção no Ensino Médio

Palavras-chave: Pesquisa-Ação, Ensino de Química, Sequência Didática, Desenvolvimento de Habilidades, Átomo

Resumo

A palavra modelo apresenta uma série de significados de senso comum que divergem substancialmente de sua acepção na Ciência. Isso pode gerar entraves para o processo de ensino e aprendizagem de uma disciplina centrada em modelos, como é o caso da Química. Uma alternativa para se trabalhar de forma adequada com modelos em sala de aula é o Ensino Fundamentado em Modelagem. Nessa perspectiva, este texto apresenta uma intervenção focada no modelo atômico de Thomson. O objetivo foi apresentar com detalhes e analisar em que medida a sequência didática, Thomson: foste injustiçado pelos livros!, planejada para uma sala de 42 alunos, auxilia no aprendizado das principais características do modelo e no desenvolvimento/mobilização de habilidades de argumentação. A pesquisa se desenvolveu na perspectiva da pesquisa qualitativa, seguindo os princípios teóricos e metodológicos da pesquisa-ação. Os resultados de pesquisa evidenciaram que a intervenção didática possibilitou a aprendizagem das principais características do modelo atômico de Thomson e que, durante os processos de modelagem, os alunos desenvolveram/mobilizaram as capacidades de elaborar argumentos, lidar com evidências, contra-argumentar e refutar. Ademais, os momentos de testes mentais e de socialização foram importantes para esses resultados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALVES, M; BEGO, A. M. A. Celeuma em Torno da Temática do Planejamento Didático-Pedagógico: Definição e Caracterização de seus Elementos Constituintes. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, v. 20, p. 71 - 96, 2020.

BEGO, A. M. A implementação de Unidades Didáticas Multiestratégicas na formação inicial de professores de Química. Textos FCC, v. 50, p. 55 - 72, 2016.

FERRARINI, F. O. C. Desenvolvimento do conhecimento prático-profissional no processo de implementação de unidades didáticas multiestratégicas para o ensino de Química no contexto da formação inicial de professores. 2020. 424 f. Tese (Doutorado em Química) - Instituto de Química, Universidade Estadual Paulista, Araraquara, 2020.

FERREIRA, P. F. M.; JUSTI, R. S. Modelagem e o “fazer ciência”. Química Nova na Escola, v. 28, p. 32 - 36, 2008.

GILBERT, J. K; BOULTER, C. J; ELMER, R. Positioning Models in Science Education and in Design in Tecnology Education. In: GILBERT, J. K; BOULTER, C. J. (Orgs.). Developing model in Science Education. 1. ed. New York: Springer Science+Business Media, 2000. Cap. 1. p. 03 - 17.

JUSTI, R. La enseñanza de ciencias basada en la elaboración de modelos. Enseñanza de las Ciencias, v. 2, n. 24, p. 173 - 184, 2006.

JUSTI, R. Modelos e modelagem no Ensino de Química: um olhar sobre os aspectos essenciais poucos discutidos. In: SANTOS, W. L. P.; MALDANER, O. A. (Orgs.). Ensino de Química em foco. Unijuí: Ed. Unijuí, 2010. Cap. 8, p. 209 - 230.

JUSTI, R. Relações entre argumentação e modelagem no contexto da ciência e do ensino de ciências. Revista Ensaio, v. 17, n. especial, p. 31 - 48, 2015.

MAIA, P. F.; JUSTI, R. Contribuições de atividades de modelagem para o desenvolvimento de habilidades de investigação. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS, VII, 2009, Florianópolis. Anais... Florianópolis: Associação Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, 2009a. p. 1 - 12.

MAIA, P. F.; JUSTI, R. Desenvolvimento de habilidades em atividades de modelagem. Enseñanza de las ciências, n. especial, p. 775 - 778, 2009b.

MELO, M. R.; LIMA NETO, E. G. Dificuldades de ensino aprendizagem dos modelos atômicos em Química. Química Nova na escola, v. 35, n. 2, p.112 - 122, 2013.

MOREIRA, M. A. Metodologias e Pesquisa em Ensino. São Paulo: Livraria da Física, 2011. 243 p.

MORTIMER, E. F. Linguagem e formação de conceitos no ensino de ciências. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2000. 373 p.

NOBEL PRIZE. J. J. THOMSON. 2020. Disponível em: https://www.nobelprize.org/prizes/physics/1906/thomson/biographical/. Acesso em: 07 set. 2020.

PÁSCUI, M. Z; ALTARUGIO, M. H. Concepções prévias e obstáculos epistemológicos no ensino de atomística: uma abordagem a partir do método educacional psicodramático. REnCiMa, v. 11, n. 5, p. 53 - 70, 2020.

SÁ, C. R. A. A implementação de uma Unidade Didática Multiestratégica sobre modelos atômicos no Ensino Médio: desafios e potencialidades do ensino fundamentado em modelagem. Orientador: Amadeu Moura Bego. 2020. 217 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Química em Rede Nacional) - Instituto de Química, Universidade Estadual Paulista, Araraquara, 2020.

SANTANA, K. V. R.; SARMENTO, V. H. V.; WARTHA, E. J. Modelos Atômicos e Estrutura celular: Uma análise das ideias dos estudantes de Química do ensino médio. RenCiMa, v. 2, n. 2, p. 110 - 122, 2011.

THIOLLENT, M. Metodologia da Pesquisa-Ação. 18. ed. São Paulo: Editora Cortez, 2011. 136 p.

THOMSON, J. J. The corpuscular theory of matter. Cambridge: Archibald Constable & CO. LTD, 1907. 180 p.

YIN, R. K. Pesquisa Qualitativa: do início ao fim. Porto Alegre: Penso, 2016. 313 p.

ZABALZA, M. A. Diários de Aula: um instrumento de pesquisa e desenvolvimento profissional. 1. ed. Porto Alegre: Artmed, 2004.

Publicado
2021-03-01
Como Citar
SÁ, C.; MORALLES, V.; BEGO, A. Modelo atômico de Thomson e o Ensino Fundamentado em Modelagem: uma intervenção no Ensino Médio. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 12, n. 2, p. 1-24, 1 mar. 2021.
Seção
Artigos Gerais