Abordagens de educação científica equitativa em gênero e perspectivas de formação docente

Palavras-chave: Educação Científica Sensível ao Gênero, Formação Docente, Perspectivas Feministas

Resumo

Este artigo buscou contribuir com propostas focadas na problemática de como formar docentes de Ciências para que essas/es promovam uma práxis pedagógica equitativa em gênero em contextos de ensino complexos. Elaborou-se, conforme um ensaio, uma síntese a partir de interpretações e reflexões acerca das abordagens de Educação Científica equitativa em gênero distinguidas por Astrid Sinnes e das perspectivas de formação docente apresentadas por Angel Pérez Gómez. Nessa síntese, ponderou-se que uma abordagem de Educação Científica sensível ao gênero, orientada por uma perspectiva de formação docente da prática reflexiva reconstrutiva, apresenta potencial para a finalidade proposta. Esse resultado foi relacionado com os de pesquisas empíricas que lhes forneceram sustentação. A partir disso, sugeriu-se elementos orientadores para elaboração de uma práxis metodológica e pedagógica voltada para a apropriação e desenvolvimento de saberes capazes de instrumentalizar docentes para o exercício de práxis de ensino de Ciências equitativas em gênero. Esses elementos referiram-se aos conhecimentos acerca: das discriminações de gênero na Ciência e na Educação Científica e de sua relevância à prática pedagógica; da delimitação e confiabilidade do conhecimento científico; da relação entre a Ciência e os valores e do reconhecimento de que essa, historicamente, incorporou o androcentrismo

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALARCÃO, I. Professor reflexivo em uma escola reflexiva. 2ª ed. São Paulo: Cortez, 2003.

BATISTA, I. L. Uma adoção da História e Filosofia da Ciência no desenvolvimento dos saberes docentes interdisciplinares. In: BATISTA, I. L (Org.). Conhecimento e saberes na Educação em Ciências e Matemática. Londrina-PR: Editora Uel, 2016. p. 157-167.

BATISTA, I. L. History and Philosophy of Science Improving Interdisciplinary Teacher Knowledge. In: CONFERÊNCIA INTERNACIONAL HISTORY, PHILOSOPHY AND SCIENCE TEACHING GROUP, 2011. Anais do IHPST, Thessaloniki, 2011.

BATISTA, I. L.; TOREJANI, A. T. C.; HEERDT, B; LUCAS, B. L.; OHIRA, M. A.; CORRÊA, M. L.; BARBOSA, R. G; BASTOS, V.C. Gênero feminino e formação de professores na pesquisa em Educação Científica e Matemática no Brasil. In: ENCONTRO NACIONAL EM PESQUISA EM ENSINO DE CIÊNCIAS, 8, 2011. Atas do VIII ENPEC. Campinas, 2011.

BATISTA, I. L.; HEERDT, B.; KIKUCHI, L. A.; CORRÊA, M. L.; BARBOSA, R. G.; BASTOS, V. C. Saberes docentes e invisibilidade feminina nas Ciências. In: ENCONTRO NACIONAL EM PESQUISA EM ENSINO DE CIÊNCIAS, 9, 2013. Atas do IX ENPEC, Águas de Lindóia, 2013.

BATISTA, I. L.; SOUZA, D. C.; KIKUCHI, L. A.; CORRÊA, M. L; HEERDT, B.; STAL, J.Ç.; COSTA, M.; CHIARI, N. D. A. Formação de professores no Brasil e questões de gênero feminino em atividades científicas. In: ENCONTRO NACIONAL EM PESQUISA EM ENSINO DE CIÊNCIAS, 10, 2015. Atas do X ENPEC. Águas de Lindóia, 2015.

CAMACHO GONZÁLEZ, J. P. Concepciones sobre Ciencia y Género en el Profesorado de Química: Aproximaciones desde un Estudio Colectivo de Casos. Ciência & Educação (Bauru), Bauru, v. 19, n. 2, 2013.

CARVALHO, A. M. P.; GIL-PÉREZ, D. Formação de professores de Ciências: tendências e inovações. São Puro: Cortez, 1993.

CHETCUTI, D. Identifying a Gender‐inclusive Pedagogy from Maltese Teachers’ Personal Practical Knowledge. International Journal of Science Education, [s. l.], v. 31, n. 1, p. 81-99, 2009.

FORDE, C. Is ‘gender-sensitive education’ a useful concept for educational policy? Cultural Studies of Science Education, v. 9, n. 2, p. 369-376, 2014.

FORTNEY, B.; MORRISON, D.; RODRIGUEZ, A. R.; UPADHYAY, B. Equity in science teacher education: toward an expanded definition. Cultural Studies of Science Education, v. 14, p. 259-263, 2019.

GAUTHIER, C.; MARTINEAU, S.; DESBIENS, J-F.; MALO, A.; SIMARD, D. Por uma teoria da pedagogia: pesquisas contemporâneas sobre o saber docente. Rio Grande do Sul: Ed. Unijuí, 1998.

HEERDT, B.; BATISTA, I. L. Questões de gênero e da natureza da Ciência na formação docente. Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 21, n. 2, p. 30-51, ago. 2016b.

HEERDT, B.; BATISTA, I. L. Unidade didática na formação docente: natureza da Ciência e a visibilidade de gênero na Ciência. Experiências em Ensino de Ciências, v. 11, n. 2, p. 39-60, 2016a.

IDIN, S.; DÖNMEZ, I. The views of Turkish Science teachers about Gender Equity within Science Education. Science Education International, [s. l.], v. 28, n. 2, p. 119-127, 2017.

IMBERNÓN, F. Formação docente e profissional: Formar-se para a mudança e a incerteza. São Paulo: Cortez, 2000.

JARA, N.; CAMACHO GONZÁLEZ, J. Creencias sobre ciencia – género en la educación científica. Análisis de un estudio de caso en la formación inicial docente. Revista Educação e Políticas em Debate, Uberlândia, v. 4, n. 2, p. 344-361, ago. 2015.

LIMA, W. S.; MEGLHIORATTI, F. A.; DELLA JUSTINA, L. A. A sexualidade no ambiente escolar: regulamentações e orientações nacionais. In: SOARES, A. S. Ferrari; MARTELLI, A. C.; GARCIS, D. A. Olhares às sexualidades e aos gêneros. São Carlos: Pedro & João Editores, 2019. p. 95-120.

LOURO, G. L. Gênero, sexualidade e educação: Uma perspectiva pós-estruturalista. 8ª ed., Petrópolis: Vozes, 1997.

LORENCINI JÚNIOR, Á. As demandas formativas do professor de ciências. In: CAINELLI, M. R.; SILVA, I. F. O estágio na licenciatura: a formação e a experiência interdisciplinar na Universidade Estadual de Londrina. Londrina: Eduel, 2009.

MENEGHETTI, F. K. O que é um ensaio-teórico? Rev. adm. contemp., Curitiba, v. 15, n. 2, p. 320-332, 2011.

PÉREZ GÓMEZ, A. I. A função e formação do professor/a no ensino para a compreensão: diferentes perspectivas. In: GIMENO, S., J. PÉREZ GÓMEZ, A. I. Compreender e transformar o ensino. 4ª ed. Porto Alegre: Artmed Editora, 2000.

SCHÖN, D. A. Educando o profissional reflexivo: um novo design para o ensino e aprendizagem. Tradução de Roberto Cataldo Costa. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.

SINNES, A. T. Approaches to Gender Equity in Science Education: two Initiatives in Sub-Saharan Africa Seen Through a Lens Derived from Feminist Critique of Science. 2004. 293f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade de Oslo. Oslo.

SINNES, A. T; LØKEN, M. Gendered education in a gendered world: looking beyond cosmetic solutions to the gender gap in Science. Cult Stud of Sci Educ, v. 9, n.1, p. 343-364, 2014.

STAPLETON, S. R. Supporting teachers for race-, class-, and gender-responsive Science teaching. Cultural Studies of Science Education, [s. l.], v. 10, n. 2, p. 411-418, 2015.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. 17ª ed. Rio de Janeiro: Vozes, 2014.

TEO, T. W. Inside versus outside the Science classroom: examining the positionality of two female science teachers at the boundaries of science education. Cultural Studies of Science Education, [s. l.], v. 10, n. 2, p. 381-402, 2015.

TINDALL, T.; HAMIL, B. Gender disparity in science education: the causes, consequences, and solutions. Education, [s. l.], v. 125, n. 2, p. 282-296, 2004.

UNESCO. A Guide for gender equality in teacher education policy and practices. Paris: United Nations Educational, Scientific and Cultural Organization, 2015.

Publicado
2021-09-30
Como Citar
SACHS, J.; SOUZA, D.; BATISTA, I. Abordagens de educação científica equitativa em gênero e perspectivas de formação docente. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 12, n. 4, p. 1-25, 30 set. 2021.
Seção
Artigos Gerais