Educação Matemática crítica e uso de tecnologias: cenários para investigação com o jogo da corrida dos cavalos

Palavras-chave: Probabilidade, Cenários para Investigação, Educação Matemática Crítica, Recursos Computacionais

Resumo

Neste trabalho são expostos os resultados de uma investigação qualitativa, em andamento, cujo objetivo é apresentar e explorar as possibilidades educacionais no que concerne à ocorrência de cenários para investigação, que possam ocasionar a Educação Matemática Crítica, por meio do “Jogo da Corrida dos Cavalos”. O jogo é baseado nas concepções de Skovsmose (2000, 2001, 2006, 2008) e é relacionado aos eixos temáticos de Probabilidade e Estatística, como propõe a Base Nacional Comum Curricular (BNCC). A exploração e a apresentação das questões envolvidas nos cenários são feitas de forma investigativa, analisando as diversas estratégias de resolução, contrapondo-se ao paradigma do exercício e ao ensino tradicional. Além disso, na exploração dos possíveis cenários, os recursos tecnológicos, em especial o computador, tiveram um papel de destaque, visto que foi implementada uma simulação que auxiliou nas questões de tratamento analítico mais complexo. Sob a perspectiva das abordagens investigativas, assim como dos pressupostos teóricos da Educação Matemática Crítica, conseguimos constatar as potencialidades dos cenários para investigação e dos recursos tecnológicos para uma possível ação pedagógica em sala de aula.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALRØ, H.; SKOVSMOSE, O. Diálogo e Aprendizagem em Educação Matemática. 2. ed. São Paulo: Autêntica, 2006.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular: ensino médio. Brasília: MEC, 2018.

BORBA, M. C.; VILLARREAL, M. E. Humans-with-Media and the Reorganization of Mathematical Thinking: Information and Communication Technologies, Modelling, Experimentation and Visualization. 1. ed. Estados Unidos: Springer, 2005.

D’AMBRÓSIO, U. Informática, Ciências e Matemática. 1999.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. 1. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1970.

GIRALDO, V. Descrições e Conflitos Computacionais: O Caso da Derivada. 2004. 221f. Tese (Doutorado em Engenharia de Sistemas e Computação) – Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro.

MACHADO, Leandro da Silva; MUSMANNO, Leonardo Maricato; ALMEIDA, Moisés Ceni; SOUSA, Sérgio Gonçalves. Relato de Experiência: Probabilidade no Ensino Médio. EMR, Brasília, v.25, n. 66, p. 239 – 250. 2020.

SKOVSMOSE, Ole. Cenários para investigação. Tradução de Jonei Cerqueira Barbosa. Bolema, Rio Claro, v. 13, n. 14, p. 66-91, 2000.

SKOVSMOSE, O. Educação Matemática Crítica: a questão da democracia. 3. ed. Campinas: Papirus, 2001.

SKOVSMOSE, O. Educação Matemática Crítica: incerteza, matemática, responsabilidade. 1. ed. São Paulo: Cortez, 2006.

SKOVSMOSE, O. Desafios da reflexão em educação matemática crítica. 1. ed. Campinas: Papirus, 2008.

Teres, S. L. L. Em Direção à Educação Matemática Crítica: A análise de uma experiência de Modelagem pautada na Investigação e no uso da Tecnologia. 2014. 199f. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade do Vale do Itajaí. Itajaí.

WEN, Liu. An Analytic Technique to Prove Borel's Strong Law of Large Numbers. The American Mathematical Monthly. Londres. v. 98, n. 2, p. 146-148, 1991.

Publicado
2021-05-23
Como Citar
MUSMANNO, L.; SOUSA, S.; ALMEIDA, M.; MACHADO, L. Educação Matemática crítica e uso de tecnologias: cenários para investigação com o jogo da corrida dos cavalos. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 12, n. 3, p. 1-24, 23 maio 2021.
Seção
Artigos Gerais