Investigando a “Terra plana” no YouTube: contribuições para o ensino de Ciências

Palavras-chave: Terraplanismo, Ensino de Ciências, Natureza da Ciência

Resumo

Este estudo tem como objetivo depreender como o fenômeno do terraplanismo se constitui, de acordo com os vídeos mais populares do YouTube brasileiro, contemplando tanto o Universo dos terraplanistas quanto o de quem se propõe a desnudá-lo. A onda crescente de negacionismo científico demanda cada vez mais um ensino contextualizado, à medida que professores são confrontados com discursos anticientíficos em sala de aula. Para exame dos vídeos, foram adotados pressupostos da análise de conteúdo de Bardin. Definiu-se, a posteriori, três categorias: aspectos de ordem conceitual, aspectos históricos e aspectos referentes à Natureza da Ciência. Os vídeos mais populares se propõem a combater as ideias terraplanistas, entretanto o fazem, em sua maioria, superficialmente, além de reverberar aspectos centrais do terraplanismo e visões ingênuas sobre a natureza do conhecimento científico. Esta pesquisa pode subsidiar a prática de professores de ciências sobre um tema que extrapolou as mídias sociais, fomentando também discussões sobre Natureza da Ciência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALBUQUERQUE, A.; QUINAN, R. Crise epistemológica e teorias da conspiração: o discurso anti-ciência do canal “professor terra plana”. Revista Mídia e Cotidiano, Niterói, v.13, n. 3, p. 83-104, 2019.

AMADOR, R. Y.; OSPINA, N.; ADÚRIZ, A. Representaciones de naturaleza de la ciência en libros de texto de química: indagando por los tópicos epistemológicos de Representación y Lenguajes. Entre Ciencia e Ingeniería, Pereira, v. 12, n. 24, p. 116-123, 2018.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2011.

BEJARANO, N. R. R.; ADURIZ-BRAVO, A; BONFIM, C. S. Natureza da Ciência (NOS): Para além do Consenso. Ciência & Educação, Bauru, v. 25, n. 4, p. 967-982, 2019.

BEZERRA, R. A Terra plana é aqui. Revista X, Curitiba, v. 15, n. 4, p. 21-29, 2020.

COELHO, F. R. F.; ASSIS, T. S.; BARROS, M. D. M. Proposta pedagógica para utilização do filme Bicho de Sete Cabeças na perspectiva da saúde mental e redução de danos do uso abusivo de drogas. REnCiMa, São Paulo, v. 10, n. 5, p. 301-317, 2019.

DAVIES, A. A navegação de Fernão de Magalhães. Tradução: Maria Lúcia Carneiro. Revista de História, São Paulo, n. 45, p. 173-189, 1961.

DUTKA, J. Eratosthenes’ Measurement of the Earth Reconsidered. Archive for History of Exact Sciences, Heidelberg, v. 46, n. 1, p. 55-66, 1993.

EL-HANI, C. N. Notas sobre o Ensino de História e Filosofia das Ciências na Educação Científica de Nível Superior. In: SILVA, C. C. (Org.). Estudos de História e Filosofia das Ciências: Subsídios para Aplicação no Ensino. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2006, p. 3-21.

EVANS, J. The History and Practice of Ancient Astronomy. Nova Iorque: Oxford University Press, 1998.

FERNANDES, P. 95% dos brasileiros assistem a vídeos no YouTube. 2019.

FEYERABEND, P. Contra o método. Tradução: Cezar A. Mortarl. 2. ed. São Paulo: Editora Unesp, 2011.

FISCHER, I. The Figure of the Earth – Changes in Concepts. Geophysical Surveys, Drodrecht, v. 2, p. 3-54, 1975.

FORATO, T. C. M.; PIETROCOLA, M.; MARTINS, R. A. Historiografia e Natureza da Ciência na sala de aula. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, Florianópolis, v. 28, n. 1, p. 27-59, 2011.

FOURÉZ, G. Crise no Ensino de Ciências? Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 8, n. 2, p. 109-123, 2003.

FREIRE-JÚNIOR, O. A relevância da filosofia e da história das ciências para a formação de professores de ciências. In: SILVA-FILHO, W. J. (Org.). Epistemologia e Ensino de Ciências. Salvador: Arcádia, p. 13 -30, 2002.

GARCIA, R. 7% dos brasileiros afirmam que Terra é plana, mostra pesquisa. 2019.

GOMES, H. S. Acha que a Terra é plana? YouTube vai esconder vídeos com teorias falsa. 2019.

GOULD, S. J. The late birth of a flat Earth. In: GOULD, S. J. (Ed.) Dinosaur in a haystack. Nova Iorque: Harmony Books, 1995. cap. 4, p. 38-50.

HAACK. S. Seis Sinais do Cientificismo. Tradução: Eli Vieira Araújo-Jr. Logos & Episteme, Belgrado, v. 3, n. 1 p.75-95, 2012.

JENKINS, H. Cultura da convergência. Tradução: Susana Alexandria. 2. ed. São Paulo: Aleph, 2009.

KARAT, M. T.; GIRALDI, P. M. A origem da vida: uma análise sobre a Natureza da Ciência em um vídeo educativo do YouTube. ACTIO, Curitiba, v. 4, n. 3, p. 58-76, 2019.

KNEUBIL, F. B.; PIETROCOLA, M. A pesquisa baseada em design: visão geral e contribuições para o Ensino de Ciências. Ienci, Porto Alegre, v. 22, n. 2, p. 1-16, 2017.

LANDRUM, A. R.; OLSHANSKY, A.; RICHARDS, O. Differential susceptibility to misleading flat earth arguments on youtube. Media Psychology, Abingdon, v. 22, n. 1, p. 1-30, 2019.

LEDERMAN, N. G. et al. Views of Nature of Science Questionnaire: Toward Valid and Meaningful Assessment of Learners’ Conceptions of Nature of Science. Journal of Research in Science Teaching, Nova Jersey, v. 39, n. 6, p. 331-359, 2002.

LEDERMAN, N. G. Nature of Science: Past, Present, and Future. In: ABELL, S. K.; LEDERMAN, N. G. (Ed.) Handbook of Research on Science Education. Mahwah: Lawrence Erlbraum Associates Inc., 2006. p. 831-880.

MASSONI, N. T.; MOREIRA, M. A.; SILVA, M. T. X. Revisitando a noção de “Método Científico”. Revista Thema, Pelotas, v. 15, n. 3, p. 905-926, 2018.

MATTHEWS, M. R. History, philosophy and science teaching: the present reapprochement. Science & Education, Nova Jersey, v. 1, n. 1, p. 11-47, 1992.

MATTHEWS, M. R. Feng Shui: Educational Responsibilities and Opportunities. In: MATTHEWS, M. R. (Ed.) History, Philosophy and Science Teaching New Perspectives. Gewerbestrasse: Springer, 2018, p. 3-41.

MENDES, L. H. R.; GONZAGA, E. P.; MOURA, S. V. O. Análise do canal Nerdologia: um modelo de edutenimento no YouTube. REnCiMa, v. 10, n. 6, p. 39-55, 2019.

MOHAMMED, S. D. Conspiracy Theories and Flat Earth Videos on YouTube. The Journal of Social Media in Society, Stephenville, v. 8, n. 2, p. 84-102, 2019.

MOLINA-CANÃBATE, P.; MAGALLÓN-ROSA, R. Desinformación y periodismo científico. El caso de Maldita Ciencia. Revista Med. de Comunicación, San Vicente del Raspeig, v. 11, n. 2, p. 1-11, 2020.

MOURA, B. A. O que é Natureza da Ciência e qual sua relação com a História e Filosofia da Ciência? Revista Brasileira de História da Ciência, Rio de Janeiro, v. 7, n. 1, p. 32-46, 2014.

NASCIMENTO, L. A. O eclipse solar de 1919 em revistas de divulgação científica: concepções sobre Natureza da Ciência e possíveis implicações para o Ensino de Ciências. REnCiMa, São Paulo, v. 10, n. 1, p. 115-129, 219.

OXFORD ENGLISH DICTIONARY. Word of the Year 2016. 2016. Disponível em: <https://languages.oup.com/word-of-the-year/2016/>. Acesso em: 28 abr. 2020.

OLSHANSKY, A.; PEASLEE, R. M.; LANDRUM, A. R. Flat-Smacked! Converting to Flat Eartherism. The Journal of Media and Religion, Oxford, v. 19, n. 2, p. 1-36, 2020.

OMER, S. B. The discredited doctor hailed by anti-vaccine movement. Nature, Londres, v; 586, p. 668-669, 2020.

PACETE, L. G. Quem são os usuários do YouTube no Brasil? 2017.

PANCHENKO, D. Parmenides, the Nile and the Circumnavigation of Africa by the Phoenicians. In: MORÓN, J. M. C.; GONZÁLEZ-PONCE, F. J.; CHÁVEZ-REINO, A. L. (Coord.). Libyae Lustrare Extrema: Realidad y literatura en la vision grecorromana de África. Sevilha: Universidad de Sevilla/Secretariado d Publicaciones, 2008.

PORTO, K. S.; SANTANA, L. S.; SOARES-NETO, A. O.; BORGHI, I. S. M. Aprendizagem da Matemática em aulas de streaming: uma análise à luz das teorias da transposição didática e da transposição informática. REnCiMa, v. 11, n. 1, p. 27-47, 2020.

PRAIA, J.; GIL-PÉREZ, D.; VILCHES, A. O papel da Natureza da Ciência na educação para a cidadania. Ciência & Educação, Bauru, v. 13, n.2, p. 141-156, 2007

RIBEIRO, R. M. L.; MARTINS, L. 2007. O potencial das narrativas como recurso para o Ensino de Ciências: Uma análise em livros didáticos de física. Ciência & Educação, Bauru, v. 13, n. 3, p. 293-309, 2007

RIDER, S. On Knowing How to Tell the Truth. In: PETERS, M. A.; RIDER, S.; HYVÖNEN, M.; BESLEY, T. (Ed.). Post-Truth, Fake News: Viral Modernity & Higher Education. Singapura: Springer, 2018, p. 189-194.

ROCHLIN, N. Fake news: belief in post-truth. Library Hi Tech, Melbourne, v. 35, n. 2, p. 386-392, 2017.

SELLY, P. H. The Geographical Meaning of “Earth” and “Seas” in Genesis 1:10. Westminster Theological Journal, Glenside, v. 59, p. 231-255, 1997.

SCHADEWALD, R. The Plane Truth. 2015.

SIMANEK, D. E. The Flat Earth. 2006.

SOUZA, S. T. Aprendizagem na Cibercultura por meio de e para o audiovisual. Rev. Latinoamericana de Ciencias de La Comunicación, São Paulo, v. 14, n. 26, p. 116-127, 2017.

SPRUCH, G. M. The Legend of Christopher Columbus. The American Scholar, Washington, v. 71, n. 4, p. 61-68, 2002.

SWAMI, V. Social psychological origins of conspiracy theories: the case of the Jewish conspiracy theory in Malaysia. Frontiers in Psychology, Lausanne, v. 3, p. 1-9, 2012.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação: o positivismo, a fenomenologia, o marxismo. São Paulo: Atlas, 2013.

VIDEIRA, A. A. P. Historiografia e história da ciência. Revista Escritos, Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p. 111-158, 2007.

Publicado
2021-05-23
Como Citar
BONFIM, C.; GARCIA, P. Investigando a “Terra plana” no YouTube: contribuições para o ensino de Ciências. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 12, n. 3, p. 1-25, 23 maio 2021.
Seção
Artigos Gerais