Os desafios e as potencialidades das relações interpessoais intraescolares: percepções de pós-graduandos stricto sensu em Educação em Ciências e Matemática

Palavras-chave: Educação em Ciências e Matemática, Relações Interpessoais, Ensino Básico

Resumo

O objetivo deste trabalho é identificar os entendimentos sobre as relações interpessoais no ambiente escolar de estudantes de um curso de pós-graduação stricto sensu em Educação em Ciências e Matemática. Aplicou-se um questionário aos participantes e as repostas foram analisadas por meio da Análise Textual Discursiva, sendo assim construídas quatro categorias finais: i) Problemas Estruturais e Pedagógicos; ii) Problemas Socioafetivos; iii) Relações Dialógicas; e iv) Incentivo à formação e mudança das práticas docentes. Evidenciou-se, entre outros fatores, que há relações entre as categorias de problemas e potencialidades e, sendo uma investigação sobre relações interpessoais, mostraram-se mais presentes questões estruturais e pedagógicas ao invés de relações sociais, propriamente ditas. Além disso, percebeu-se que os currículos de formação básica nas licenciaturas são eminentemente técnicos, enfocando muito mais a área específica das ciências do que o tema das relações interpessoais no ensino.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANDRADE, A. B. G. Relações interpessoais no ensino de ciências. 2007. 126f. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemática) – Faculdade de Física, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Porto Alegre, 2007.

ANTUNES, C. Relações interpessoais e autoestima: a sala de aula como um espaço do crescimento integral. Fascículo 16. 10ª Ed. Petrópolis (RJ): Vozes, 2014.

ANTUNES, D. D.; PLASZEWSKI, H.; DECKER, D. A.; SILVA, L. R. Formação continuada de professores no lócus escolar. In: ANTUNES, D. D.; PLASZEWSKI, H. Educação continuada: um paradigma em diferentes ações, distintas experiências e significativos contextos. Porto Alegre: Evangraf, 2017.

BATISTA, L. C.; SANTOS, F. P. Arquétipos e Jung: a importância dos contos de fadas para a contextualização do jovem e a prevenção de drogas. Brazilian Journal of Development, São José dos Pinhais, v. 6, n. 2, 2020.

BRASIL. Ministério da Educação - MEC, Secretaria da Educação Básica - SEB. Orientações Curriculares Nacionais para o ensino médio. Brasília, v. 2, 2006.

BRASIL. Ministério da Educação - MEC, Secretaria da Educação Básica - SEB. Base Nacional Comum Curricular – BNCC. Brasília, 2018.

CARRANO, P. Jovens, escolas e cidades: entre diversidades, desigualdades e desafios à convivência. In: VIEIRA, M. M.; RESENDE, J.; NOGUEIRA, M. A.; DAYRELL, J.; MARTINS, A.; CALHA, A. (Org.) Habitar a escola e as suas margens: Geografias plurais em confronto. Instituto Politécnico de Portalegre (MG) – Escola Superior de Educação, 2013, p. 99-108.

DARÚ, M. R. H. A formação do professor para as relações interpessoais.

DEMO, P. Educar pela Pesquisa. Campinas, SP: Autores Associados, 2003. 130 p.

DENZIN, N. K.; LINCOLN, Y. S. Introduction: The discipline and practice of qualitative research. The Sage handbook of qualitative research, 4 ed., p. 01-19. 2011.

FLICK, U. Introdução à Pesquisa Qualitativa. Porto Alegre: Artmed, 2009.

FONTOURA, C. F.; STOBÄUS, C. D.; MOSQUERA, J. J. M. O docente como modelo de relações afetivas motivadoras para aprendizagens positivas. Educação, Ciência e Cultura, v. 16, n. 1, p. 73-88, 2011.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia. 18 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1998.

FRESCHI, E. M.; FRESCHI, M. Relações interpessoais: a construção do espaço artesanal no ambiente escolar. Revista de Educação do Ideal. v. 8, n. 18, dez. 2013.

GALIAZZI, M. C. Algumas faces do construtivismo, algumas críticas. In: MORAES, R. (Org.). Construtivismo e ensino de Ciências. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2003. 230 p.

GERHARDT, T. E.; SILVEIRA, D. T. Métodos de pesquisa. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009.

KATO, D. S.; KAWASAKI, C. M. As concepções de contextualização do ensino em documentos curriculares oficiais e de professores de ciências. Ciência & Educação (Bauru), v. 17, n. 1, 2011.

LEITE, S.; TASSONI, E. A afetividade em sala de aula: as condições de ensino e a mediação do professor. In: AZZI, R. G.; SADALLA, A. M. F. (Org.). Formação docente: desafios e conversas. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2002.

LIBÂNEO, J. C. Adeus professor, adeus professora? São Paulo: Cortez, 2014.

LOURENÇO, L. C. D. Relações interpessoais: contribuições para a Aprendizagem no ensino fundamental da escola municipal Zuleika David Chammas Cassar Eief. Curitiba: Universidade Federal do Paraná, 2014.

LOURENÇO, L. H. R.; CARNEIRO, G. M. O aluno e o papel do professor no contexto tecnológico contemporâneo. Eixo, Brasília-DF, v. 8, n. 3, jul-dez 2018.

MASETTO, M. T. Mediação pedagógica e o uso da tecnologia. In: MORAN, J. M (Org). Novas tecnologias e mediação pedagógica. 21 ed. Campinas: Papirus, p. 133-170, 2013.

MINUCUCCI, A. Relações Humanas: psicologia das relações interpessoais. São Paulo, Atlas 1978.

MORAES, R.; GALIAZZI, M. C. Análise textual discursiva. Ijuí: Unijuí, 2016.

MORAN, J. M. Desafios na comunicação pessoal. 3 ed. São Paulo: Paulinas, 2007.

MOSQUERA, J. J. M.; STOBÄUS, C. D. O professor, personalidade saudável e relações interpessoais: por uma educação da afetividade. In: ENRICONE, D. (Org.). Ser professor. 4 ed. Porto Alegre: Edipucrs, p. 91-107, 2004.

NOVELLO, R. Relações interpessoais positivas: um estudo etnográfico em uma escola municipal de Cascavel PR. 106f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE, Cascavel (PR), 2020.

OZELAME, D. M.; ROCHA FILHO, J. B. As dificuldades docentes em desenvolver práticas interdisciplinares no ensino de Ciências e Matemática. Acta Scientiae, v. 18, n. 1, 2016.

PETRY, L. S.; SILVA, V. J.; PETRY, V. J. Concepções de professores de Ciências e Matemática sobre as relações interpessoais no ambiente escolar. Anais do II Simpósio Nacional de Ensino de Ciência e Tecnologia. 2010.

POIANI, E. R. V.; ZANLORENZI, M. A. Olhar para si mesmo e ver o mundo – a construção do trabalho colaborativo dentro do ambiente escolar. Cadernos PDE. v. 1, 2016.

REIS, R. de C.; MORTIMER, E. F. Um estudo sobre Licenciaturas em Ciências da Natureza no Brasil. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 36, 2020.

ROCHA FILHO, J. B.; BASSO, N. R. S.; BORGES, R. M. R. Trandisciplinaridade: a natureza íntima da educação científica. 2 ed. Porto Alegre: Edipucrs, 2015.

SILVA, E. A. Relações interpessoais no ambiente escolar. Em Extensão, Uberlândia, v. 7, n. 2, p. 10 - 18, 2008.

SILVA, A. F. M.; PACHECO, L. Comunicação verbal na escola: um instrumento de identificação de escolares em sofrimento mental: uma revisão integrativa da literatura. Psicologia & Saberes, v. 9, n. 19, 2020.

Publicado
2021-05-04
Como Citar
FRASNELLI, D.; OLIVEIRA, B.; FILHO, J. Os desafios e as potencialidades das relações interpessoais intraescolares: percepções de pós-graduandos stricto sensu em Educação em Ciências e Matemática. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 12, n. 3, p. 1-21, 4 maio 2021.
Seção
Artigos Gerais