Construção de cenários animados por alunos com indicativos de altas habilidades/superdotação como atividade Matemática

Palavras-chave: Educação Matemática, Atividade Matemática, Cenários Animados, Altas Habilidades

Resumo

A concepção de aprendizagem de Matemática dos alunos está arraigada ao tradicionalismo. A utilização de softwares, em especial o GeoGebra, tem sido uma forma de quebrar paradigmas da sala de aula, provocando a formulação de conjecturas pelos alunos e, consequentemente, sua validação. Nesse sentido, este estudo apoiou-se nas pesquisas sobre a natureza da Matemática de Ponte et al. (1997), que permitiu refletir sobre o que é um bom ensino da Matemática a partir da compreensão do que é Matemática. Logo, este trabalho teve por objetivo investigar as características que conferem, a construções de cenários animados por alunos com indicativo de altas habilidades/superdotação, o status de atividade Matemática. Para tanto, o trabalho assume pressupostos metodológicos de investigação e pesquisa Design-Based Research (DBR), uma recente e inovadora abordagem de investigação que agrega as vantagens das metodologias qualitativas e quantitativas. O episódio analisado permitiu verificar que o aluno formulou e verificou hipóteses quando alterou os valores dos coeficientes da função do primeiro grau para determinar a inclinação da reta e para posicioná-la onde deveria interceptar a função quadrática, sendo esta uma das características que conferem à construção dos cenários animados o status de atividade Matemática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BICUDO, M. A. G.; GARNICA, A. V. M. Filosofia da Educação Matemática. 4.ed. – Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2011.

BORUCH, I. G.; BASNIAK, M. I. Animações no GeoGebra e o Ensino de Matemática: uma experiência com alunos com altas habilidades/superdotação. Revista de la Facultad de Ciencia y Tecnologia; 2018.

BROUSSEAU, G. Fundamentos e Métodos da Didáctica da Matemática. In: BRUN, J. Didática das Matemáticas. Tradução de Maria José Figueiredo. Lisboa: Instituto Piaget, 1996. Cap. 1. p. 35-113.

BUENO, A. C.; BASNIAK, M. I. Construcción de escenarios en GeoGebra en la movilización de conocimientos matemáticos por alumnos con altas habilidades/ superdotados. Revista Paradigma (Extra 2), v. XLI, agosto 2020. p. 252-276.

MATTA, A. E. R.; SILVA, F. P. S.; BOAVENTURA, E. M. Design-based research ou pesquisa de desenvolvimento: metodologia para pesquisa aplicada de inovação em educação do século XXI. Revista da FAEEBA – Educação e Contemporaneidade, Salvador, v. 23, n. 42, p. 23-36, jul./dez. 2014.

PONTE, J. P.; BOAVIDA, A.; GRAÇA, M., ABRANTES, P.; A natureza da Matemática - Didáctica da matemática. Lisboa: DES do ME, 1997.

PROCÓPIO, W. O Currículo de Matemática do Estado de São Paulo: sugestões de atividades com o uso do GeoGebra. 2011. 193 f. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, 2011.

SCALDELAI, D.; ESTEVAM, E. J. G.; SOUZA, H. C. T.; BASNIAK, M. I.. O Software GeoGebra. In: Maria Ivete Basniak, Everton José Goldoni Estevam. (Org.). O GeoGebra e a Matemática da Educação Básica: Frações, estatística, círculo e circunferência. 1ed.Curitiba: Íthala, 2014, v. 1, p. 13-23.

Publicado
2021-05-23
Como Citar
PADILHA DOS SANTOS, L.; BASNIAK, M. Construção de cenários animados por alunos com indicativos de altas habilidades/superdotação como atividade Matemática. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 12, n. 3, p. 1-20, 23 maio 2021.
Seção
Artigos Gerais