O ensino de Botânica no contexto das escolas públicas de Altamira-PA: um estudo sobre dificuldades e possibilidades

Palavras-chave: Educação Científica, Herbário Escolar, Protagonismo Juvenil

Resumo

Este artigo apresenta os resultados de uma pesquisa de abordagem qualitativa, desenvolvida em 2019, com os objetivos de: (1) conhecer opiniões de professores de Ciências/Biologia sobre entraves e possibilidades para o ensino de Botânica; e (2) analisar possibilidades para que o professor de Ciências/Biologia construa um herbário escolar como estratégia metodológica atrativa para o ensino de Botânica, mediante a participação protagonista dos alunos. A pesquisa coletou dados por meio do contato com dois grupos de sujeitos: 1. Professores de Ciências e Biologia que atuam em escolas públicas na cidade de Altamira-PA; e 2. Alunos do Ensino Médio de uma das escolas desses professores. Como técnicas e instrumentos de coleta de dados, os pesquisadores usaram entrevista com roteiro semiestruturado junto aos professores e observação direta e roda de conversa com os alunos. Entre os resultados alcançados destaca-se que o maior entrave para o ensino de Botânica nessas escolas está fortemente relacionado à falta de materiais didáticos para aulas práticas mais atrativas e que sejam de fácil acesso para os professores. Assim, destacamos, também, que a produção de herbário escolar pode ser uma possibilidade viável para o enfrentamento desse problema/obstáculo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Tradução Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro. São Paulo: Edições 70, 2011.

BRASIL. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial [da União], Brasília, DF, 23 dez. 1996.

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais: ciências naturais. Brasília: MEC; SEF, 1998.

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais: Ensino Médio. Brasília: MEC; SEMT, 1999.

BRASIL. Ministério da Educação. Orientações Curriculares para o Ensino Médio: ciências da natureza, matemática e suas tecnologias. Brasília: MEC; SEB, 2008.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica. Brasília: MEC; SEB; Dicei, 2013.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, 2017.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Censo da Educação Básica 2019: notas estatísticas. Brasília, 2020.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Ideb 2019. Brasília, 2020.

CARVALHO, A. M. P.; GIL-PÉREZ, D. Formação de professores de ciências: tendências e inovações. 10. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

DELIZOICOV, D.; ANGOTTI, J. A.; PERNAMBUCO, M. M. Ensino de Ciências: fundamentos e métodos. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

DEMO, P. Pesquisa: princípio científico e educativo. 12. ed. São Paulo: Cortez, 2006.

DEMO, P. Educar pela pesquisa. 9. ed. Campinas: Autores Associados, 2011.

GARCIA, P.; BIZZO, N. A pesquisa em livros didáticos de ciências e as inovações no ensino. Educação em Foco, v. 13, n. 15, p. 13-35, 2010.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

IMBERNÓN, F. Qualidade do ensino e formação do professorado: uma mudança necessária. Tradução Silvana Cobucci Leite. São Paulo: Cortez, 2016.

KARAT, M. T.; RAMOS, B. M. Audiovisuais no ensino de ciências: o silêncio da autoria discursiva. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS, 9., 2013. Águas de Lindoia. Anais [...]. Águas de Lindóia, SP: Enpec, 2013.

LAVILLE, C.; DIONNE, J. A construção do saber: manual de metodologia da pesquisa em Ciências Humanas. Tradução Heloísa Monteiro e Francisco Settineri. Porto Alegre: Artmed; Belo Horizonte: Editora UFMG, 1999.

MARANDINO, M.; SELLES, S. E.; FERREIRA, M. S. Ensino de biologia: histórias e práticas em diferentes espaços educativos. São Paulo: Cortez, 2009.

MASSONI, N. T.; MOREIRA, M. A. Pesquisa qualitativa em educação em ciências: projetos, entrevistas, questionários, teoria fundamentada, redação científica. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2016.

MIRANDA, V. B. S.; LEDA, L. R.; PEIXOTO, G. F. A importância da atividade prática no ensino de biologia. Revista de Educação, Ciências e Matemática, Rio de Janeiro, v. 3, n. 2, p. 85-101, 2013.

MOREIRA, A. A. A. O espaço do desenho: a educação do educador. 6. ed. São Paulo: Loyola, 1995.

MOREIRA, M. A. Metodologias de pesquisa em ensino. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2011.

NASCIMENTO, B. M.; DONATO, A. M.; SIQUEIRA, A. E.; BARROSO, C. B.; SOUZA, A, C. T.; LACERDA, S. M.; BORIM, D. C. D. E. Propostas pedagógicas para o ensino de botânica nas aulas de ciências: diminuindo entraves. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, v. 16, n. 2, p. 298-315, 2017.

NICOLA, J. A.; PANIZ, C. M. A importância da utilização de diferentes recursos didáticos no ensino de biologia. Inovação e Formação, v. 2, n. 1, p. 355-381, 2016.

ROCHA, C. J. T.; MALHEIRO, J. M. S. Experimentação investigativa e interdisciplinaridade como promotora da escrita e desenho no ensino de ciências. REnCiMA, v. 11, n. 6, p. 409-426, 2020.

SANTORI, R. T.; SANTOS, M. G. (org.). Ensino de ciências e biologia: um manual para elaboração de coleções didáticas. Rio de Janeiro: Editora Interciência, 2015.

SANTOS, W. L. P. Educação científica na perspectiva de letramento como prática social: funções, princípios e desafios. Revista Brasileira de Educação, v. 12, n. 36, 2007.

SCHOLLMEIER, A. M. L.; PIRES, F. L. B.; MACHADO, A.; WISNIEWSKI, R.; NONENMACHER, S. O estudante do século XXI frente à aprendizagem de química. In: AGERTT, A. P. S.; STÄHLER, T. B.; TOLFO, V. R. PIRES, F. L. B.; KESKE, C. (org.). Da discência à docência: problematizando a formação inicial. Campo Grande: Ekos Editora, p. 11-23, 2017.

SILVA, J. N.; GHILARDI–LOPES, N. P. Botânica no Ensino Fundamental: diagnósticos de dificuldades no ensino e da percepção e representação da biodiversidade vegetal por estudantes de escolas da região metropolitana de São Paulo. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, v. 13, n. 2, p. 115-136, 2014.

SOARES, J. P. R.; SILVA, J. R. S. A prática no ensino de botânica: o que dizem os principais congressos? REnCiMA, v. 11, n. 6, p. 73-93, 2020.

VIANNA, H. M. Pesquisa em educação: a observação. Brasília: Plano Editora, 2003.

VIEIRA, F. L.; SILVA, G. M.; PERES, J. P. S.; ALVES, E. Causas do desinteresse e desmotivação dos alunos nas aulas de biologia. Universitas Humanas, Brasília, v. 7, n. 1.2, p. 95-109, 2010.

Publicado
2021-03-30
Como Citar
SANTOS, R.; FIGUEREDO, F.; PARRY, M. O ensino de Botânica no contexto das escolas públicas de Altamira-PA: um estudo sobre dificuldades e possibilidades. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 12, n. 1, p. 1-25, 30 mar. 2021.
Seção
Artigos Gerais