Carbono primário: quem é você, afinal?

Palavras-chave: Classificação do Carbono, Livros Didáticos, Ensino de Química

Resumo

O livro didático é o principal material didático usado no processo de escolarização. Entretanto, muitos livros usados apresentam erros ou inadequações conceituais que podem gerar confusões e dificultar os processos de ensino e aprendizagem. A análise desse material é de extrema importância, pois permite a identificação de equívocos conceituais e a reflexão sobre os conceitos que são apresentados. Este trabalho investiga como dez livros didáticos de Química do Ensino Médio abordam a classificação do carbono em Cadeias Carbônicas, com enfoque no conceito de carbono primário, tendo como base de referência livros de Química Orgânica usados em cursos de graduação no país e o Gold Book da IUPAC. Para o desenvolvimento desta pesquisa, foi utilizado como método de coleta de dados a pesquisa bibliográfica, com uso de uma abordagem qualitativa. Através dessa investigação, foi possível descobrir divergências nos conceitos de carbono primário presentes nos respectivos livros. Além disso, percebeu-se que a abordagem desse conteúdo é feita mecanicamente e desconectada dos demais conceitos químicos apresentados ao longo dos capítulos, ou seja, a maioria dos livros não relaciona os conceitos oriundos da referida classificação com os demais presentes ao longo do livro didático, contribuindo para a mera memorização e repetição de saberes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AUGUSTO, C. A.; SOUZA, J. P.; DELLAGNELO, E. H. L.; CARIO, S. A. F. Pesquisa Qualitativa: rigor metodológico no tratamento da teoria dos custos de transação em artigos apresentados nos congressos da Sober (2007-2011). Scielo, São Paulo, v. 51, n. 4, p.745-764, dez. 2013.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Edições 70: São Paulo, 2011.

BRUICE, P. Y. Organic Chemistry. 8a ed. Londres: Pearson, 2017.

BUTLEROY, A. Ueber den tertiaren Pseudobutylalkohol (den trimethylirten Methylalkohol). Z. Chem. Pharm., v. 7, p. 385−402, 1864.

CAREY, F.; GIULIANO, R. M. Organic Chemistry. 10a ed. Nova York: McGraw-Hill Education, 2016.

CLAYDEN, J.; GREEVES, N.; WARREN, S. Organic Chemistry. 2a ed. Oxford: Oxford University Press, 2012.

CISCATO, C. A. M.; PEREIRA, L. F.; CHEMELLO, E.; PROTI, P. B. Química. v. 3. São Paulo: Moderna, 2016.

DIAZ, O. R. T. A atualidade do livro didático como recurso curricular. Linhas Críticas, v. 17, n. 34, p. 609-624, 2011.

FELTRE, R. Química. v. 3. 7. ed. São Paulo: Moderna, 2008.

FONSECA, M. R. M. Química. v. 3. 2. ed. São Paulo: Ática, 2016.

FRANCO, D. Química: Cotidiano e Transformações. v. 3. São Paulo: FTD, 2015.

GARCIA, C. F.; LUCAS, E. M. F.; BINATTI, I. Química Orgânica. v. 3. São Paulo: Bookman, 2015.

GERHARDT, C. Traité de chimie organique. v. 4. ̀Paris: Didot Freres, 1856.

IUPAC. Compendium of Chemical Terminology, 2nd ed. (the "Gold Book"). Compiled by A. D. McNaught and A. Wilkinson. Blackwell Scientific Publications, Oxford (1997).

JENSEN, W. B. The origins of the qualifiers Iso-, Neo-, Primary, Secondary, and Tertiary in Organic Nomenclature. Journal of Chemical Education, v. 89, n.7, p. 953-954, 2012.

KATO, C. M.; KIOURANIS, N. M. M. O livro didático nas aulas de Química por estudantes do Ensino Médio. In: Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, 9., 2013, São Paulo. Anais... . São Paulo, 2013. p. 1 - 8.

LIMA, T. C. S. de; MIOTO, R. C. T. Procedimentos metodológicos na construção do conhecimento científico: a pesquisa bibliográfica. Katál, Florianópolis, v. 10, p.37-45, 2007.

LISBOA, J. C. F.; BRUNI, A. T.; NERY, A. L. P.; LIEGEL, R. M.; AOKI, V. L. M. Ser protagonista: Química. v. 3. 3. ed. São Paulo: SM, 2016.

McMURRY, J. Fundamental of Organic Chemistry. 7a ed. Londres: Cengage Learning, 2010.

McMURRY, J. Organic Chemistry. 9a ed. Londres: Cengage Learning, 2015.

MORTIMER, E. F.; MACHADO, A. H. Química. 3. ed. São Paulo: Scipione, 2016. 432 p.

NOVAIS, V. L. N. D.; ANTUNES, M. T.. Vivá: Química. v. 3. Curitiba: Positivo, 2016.

PRODANOV, C. C.; FREITAS, E. C. Metodologia do Trabalho Científico: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. Novo Hamburgo: Feevale, 2013.

REIS, A. S.; SILVA, M. D. B.; BUZA, R. G. C. O uso da história da ciência como estratégia metodológica para a aprendizagem do ensino de química e biologia na visão dos professores do ensino médio. História da Ciência e Ensino, v. 5, p. 1-12, 2012.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa Social: métodos e técnicas. 3.ed. São Paulo Atlas: 1999.

SANTOS, W. L. P.; MÓL, G. S. (coord.). Química Cidadã. v. 3. 3. ed. São Paulo: AJS, 2016.

SCHMIDT, J. Kurzes Lehrbuch der organischen Chemie, Stuttgart: Enke, 1904.

SIGANSKI, B. P.; FRISON, M. D.; BOFF, E. T. O. O Livro Didático e o Ensino de Ciências. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENSINO DE QUÍMICA, 14., 2008, Curitiba. Anais... . Curitiba, 2008. p. 1 - 11.

SOLOMONS, T. W. G.; FRYHLE, C. B.; SNYDER, S. A. Organic Chemistry. 10a ed. Nova Jersey: John Wiley & Sons, 2012.

Publicado
2021-05-11
Como Citar
SANTOS, S.; RESENDE FILHO, J. B.; ABRANTES, P. Carbono primário: quem é você, afinal?. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 12, n. 3, p. 1-17, 11 maio 2021.
Seção
Artigos Gerais