Possíveis aproximações entre o grau de alfabetização científica de alunos do Ensino Médio e a prática pedagógica do professor de Física

Palavras-chave: Alfabetização Científica, Ensino de Física, Ensino Médio, TACB, Licenciatura em Física

Resumo

Este trabalho parte do pressuposto de que os documentos nacionais de educação podem ser mais bem compreendidos sob a óptica da Alfabetização Científica. Portanto, tem como objetivo identificar as aproximações existentes entre a Alfabetização Científica dos alunos e a prática do professor de Física no Ensino Médio. A pesquisa contou com a participação de 481 alunos do Ensino Médio e seis alunos do curso de Licenciatura em Física. Os principais instrumentos utilizados na coleta dos dados foram o Círculo Hermenêutico Dialético e o Teste Básico de Alfabetização Científica, e, para o tratamento dos dados, a análise estatística implicativa. Foi observado que o grau de Alfabetização Científica dos alunos se relaciona fortemente com a prática pedagógica do professor de física. No contexto do curso de Licenciatura em Física, foi visto, por meio do discurso dos alunos, que existem dificuldades provenientes da academia e da escola. Na primeira, foi relatado que existe uma distância entre a academia, formação do professor de Física, e a realidade das escolas. Já na segunda, parte dos alunos relataram que o modelo de escola atual dificulta o desenvolvimento de metodologias fundadas na Alfabetização Científica, por exemplo, por ainda prevalecer um modelo de ensino voltado aos exames e vestibulares.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ASSUNÇÃO, T. V.; NASCIMENTO, R. R. O inventário de estilos de aprendizagem de David Kolb e os professores de ciências e matemática: diálogo sobre o método de ensino. Góndola, Enseñanza y Aprendizaje de las Ciencias, Colômbia, v.14, n.1, p.14-34, 2019a.

ASSUNÇÃO, T. V; NASCIMENTO, R. R. Alfabetização científica e a academia: um olhar sobre o ensino de física moderna e contemporânea na educação básica. Revista de Ensino de Ciências e Matemática (RenCiMa), São Paulo, v.10, n.3, p. 1- 17, 2019b.

ASSUNÇÃO, T. V.; SILVA, A. P. Dos PCNEM à nova BNCC para o ensino de ciências: um diálogo sob a ótica da alfabetização científica. Revista de Educação, Ciência e Cultura, Canoas, v.25, n.1, p.235-251, 2020.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Brasília: MEC/ SEMTEC, 2000.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Base nacional comum curricular. Brasília, 2018.

BROCKINGTON, G.; PIETROCOLA, M. Serão as regras da transposição didática aplicáveis aos conceitos de física moderna? Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v.10, n.3, p. 387-404, 2005.

CEBRAP. O que pensam os jovens de baixa renda sobre a escola, 2013. Encontrado em: <http://bit.ly/2TmjnGr>. Acesso em: Jul. 2020.

CRESWELL, J. W.; CLARK, V. L. Pesquisa de métodos mistos.2. ed. Porto Alegre: Penso, 2013.

COUTURIER, R.; BODIN, A.; GRAS, R. A classificação Hierárquica Implicativa e Coesitiva. Revista Educação Matemática e Pesquisa, São Paulo, v.4, n.2, p.1-22, 2002.

COPPI, M. A. Estudo da Alfabetização Científica de alunos do 9° ano do Ensino Fundamental de um colégio particular de São Paulo – SP – Elaboração de uma proposta de formação para os professores de ciência. 2016. 118f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo.

CHASSOT, A. Alfabetização científica: uma possibilidade para a inclusão social. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 22, p. 89-100, 2003.

ELOI, Q. C; ANDRADE, V. L. V. X. Relações entre o livro didático e o contrato didático: a proposição do contrato didático potencial. Educação Matemática Pesquisa, São Paulo, v.22, n.1, p.231-252, 2020.

FOUREZ, G. Alphabétisation Scientifique et Technique: Essai sur les finalités de l’enseignement des sciences, Bruxelas: DeBoeck-Wesmael, 1994.

FLICK, U. Introdução à pesquisa qualitativa. Tradução: Joice Elias Costa. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

FREITAS, D.; VILLANI, A. Formação de professores de ciências: um desafio sem limites. Investigações em ensino de Ciências, Porto Alegre, v.7, n. 3, p.215-230, 2002.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz & Terra, 1996.

GATTI, B. Formação de professores: condições e problemas atuais. Revista internacional de formação de professores, Itapetininga, v. 1, n. 2, p.161-171, 2016.

GATTI, B. Formação de professores no Brasil: características e problemas. Educação e Sociedade, Campinas, v.31, n.113, p.1355-1379, 2010.

GOODSON, I. Currículo, narrativa e o futuro social. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 12, n. 35, p. 241-252, 2007.

GUERRA, A; FREITAS, J.; REIS, J.; BRAGA, M. A interdisciplinaridade no ensino de ciências a partir de uma perspectiva histórico-filosófica. Caderno Catarinense de Ensino de Física, Florianópolis, v.15, n.1, p.32-46, 1998.

HURD, P. Scientific Literacy: New Minds for a Changing World, Science Education, Hoboken, v. 82, n. 3, p.407-416, 1998.

LAUGKSCH, R. Scientific Literacy: A Conceptual Overview, Science Education, Malden, v.84, n.1, 71-94, 2000.

LAUGKSCH, R.; SPARGO, P. Construction of a paper-and-pencil Test of Basic Scientific Literacy based on selected literacy goals recommended by the American Association for the Advancement of Science. Public Understanding of Science, v. 5, n. 4, p. 331-359, 1996.

LEÃO, D. Paradigmas contemporâneos de educação: escola tradicional e escola construtivista. Cadernos de pesquisa, São Paulo, n. 107, p.186-206, 1999.

MILLAR, R. Um currículo de ciências voltado para a compreensão por todos. Ensaio, Belo Horizonte, v. 5, n. 2, p. 146-164, 2003.

MILLER, J. D. Scientific literacy: a conceptual and empirical review. Daedalus, Londres, v. 112, n. 2, p. 29-48, 1983.

MIZUKAMI, M. G. N. Ensino: as abordagens do processo. São Paulo: EPU, 1986.

NASCIMENTO-SCHULZE, C. Um estudo sobre alfabetização científica com jovens catarinenses. Psicologia: teoria e prática, Rio de Janeiro, v. 8, n. 1, p. 95-106, 2006.

OLIVEIRA, M. M. Círculo hermenêutico-dialético como sequência didática interativa. Interfaces Brasil/Canadá, v. 11, n. 1, p. 235-252, 2011.

OLIVEIRA, W.; SILVA-FORSBERG, M. Níveis de alfabetização científica de estudantes da última série do ensino fundamental. In: VIII Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, 2011, Campinas. Anais [...]. Campinas, 2011.

PERNAMBUCO. Secretaria de educação: governo do estado de Pernambuco. Disponível em <http://www.educacao.pe.gov.br/portal/?pag=1&men=70>. Acesso em: 19 de Set. 2018.

POMBO, O. Epistemologia da interdisciplinaridade. Ideação, Feira de Santana, v. 10, n. 1, p. 9-40, 2008.

RICARDO, E.C. Física. Brasília: MEC/SEMTEC, 2004.

SASSERON, L. Alfabetização Científica no Ensino Fundamental: Estrutura e Indicadores deste processo em sala de aula. 2008. 265f. Tese (Doutorado em Educação) — Faculdade de Educação. Universidade de São Paulo. São Paulo.

SASSERON, L.; DE CARVALHO, A. M. P. Alfabetização científica: uma revisão bibliográfica, Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 16, n. 1, p. 59-77, 2011.

SASSERON, L.; DE CARVALHO, A. M. P. Almejando a alfabetização científica no ensino fundamental: a proposição e a procura de indicadores do processo. Investigações em ensino de ciências, Porto Alegre, v. 13, n. 3, p. 333-352, 2008.

SAVIANI, D. Escola e democracia: polêmicas do nosso tempo.32 ed. Campinas: Autores Associados, 1999.

SOARES, M. Letramento: um tema em três gêneros. 4.ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2007.

SOUZA, K.; KERBAUY, M. Abordagem quanti-qualitativa: superação da dicotomia quantitativa-qualitativa na pesquisa em educação. Educação e Filosofia, Uberlândia, v. 31, n. 61, p. 21-44, 2017.

SUART, R.; MARCONDES, M. O processo de reflexão orientada na formação inicial de um licenciando de química visando o ensino por investigação e a promoção da alfabetização científica. Ensaio, pesquisa em educação em ciências, v. 20, p. 1-28, 2018.

VIZZOTTO, P.; MACKEDANZ, L. Teste de alfabetização científica básica: processo de redução e validação do instrumento na língua portuguesa. Revista prática docente, Confresa, v. 3, n. 2, p. 575-594, 2018a.

VIZZOTTO, P.; MACKEDANZ, L. Validação de instrumento de avaliação da alfabetização científica para egressos do ensino médio no contexto de física no trânsito. Educação em revista, Belo Horizonte, v. 34, p. 1-37, 2018b.

Publicado
2021-03-04
Como Citar
ASSUNÇÃO, T.; TENÓRIO, A. Possíveis aproximações entre o grau de alfabetização científica de alunos do Ensino Médio e a prática pedagógica do professor de Física. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 12, n. 1, p. 1-25, 4 mar. 2021.
Seção
Artigos Gerais