Mapas conceituais como recurso didático para o ensino da Educação Ambiental

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26843/rencima.v11i2.2714

Palavras-chave:

Educação Ambiental, Mapa Conceitual, Sensibilização

Resumo

Este trabalho descreve um relato de experiência envolvendo a construção de mapas conceituais como recurso didático para a revisão de temas relevantes sobre a Educação Ambiental desenvolvidos ao longo do ano letivo. Essa revisão teve como objetivo sensibilizar os alunos quanto ao seu papel na qualidade do meio ambiente. Participaram desta experiência 28 alunos de uma turma do 7º ano do Ensino Fundamental Anos Finais na disciplina de Ciências Físicas e Biológicas de uma escola pública localizada no interior de São Paulo. Os resultados dessa experiência mostraram que a utilização dos mapas conceituais auxiliaram não só na ampliação  e compreensão dos conceitos já trabalhados anteriormente, mas também para que os alunos compreendessem seu papel enquanto cidadão na qualidade do meio ambiente, pois embora muitos acreditem que a sua participação individual nessa qualidade não seja relevante, isso não é verdadeiro, nossas ações importam, e muito, pois vivemos relacionados uns com os outros e com toda a natureza.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ADAMS, B.G. A Importância da Lei 9.795/99 e das Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Ambiental para Docentes. Monografias Ambientais REMOA, Santa Maria, v.10, n.10, p. 2148 – 2157, out-dez, 2012.

AZEVEDO,E. Casos de dengue aumentam quase 600% no Brasil em 2019, aponta Ministério da Saúde. Jornal o Globo, 11 de set. 2019. Disponível em: https://oglobo.globo.com/sociedade/casos-de-dengue-aumentam-quase-600-no-brasil-em- 2019-aponta-ministerio-da-saude-23942229. Acesso em: 19 jan.2020.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, 2016.

BRASIL. Lei nº 9394/96. LDB : Lei de diretrizes e bases da educação nacional. 2. ed. Brasília: Senado Federal, Coordenação de Edições Técnicas, 2018. 58 p.

BRASIL. Lei nº 9.795, de 27 de abril de 1999 (Política Nacional de Educação Ambiental). Diário Oficial da União. Brasília, DF, 27 abril de 1999.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. 1998.

CERQUEIRA, P. A. R.; JUSTUS, J. F. C. Contribuição do Mapa Conceitual na Aprendizagem Significativa de Meio Ambiente e Saúde na Escola. Cadernos PDE. Os desafios da escola paranaense na perspectiva do professor PDE. 2016. Disponível em: http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/cadernospde/pdebusca/producoes_pde/201 6/2016_artigo_cien_uepg_patriciaadrianarocha.pdf. Acesso em: 17 jan.2020.

DIAS, S. D.; SABINO, C. V. S.; LOBATO, W. Uso da história em quadrinhos na educação ambiental em Santo Antônio de Pádua, RJ. Terra e Didática . Campinas, SP v.15. p. 1-12, 2019.

GAUTHIER, C. Por uma teoria da pedagogia: pesquisas sobre o saber docente. 3.ed. Ijuí: Unijuí. 480p. 2013.

GUIMARÃES, M. A dimensão ambiental na Educação. 11.ed. Campinas: Papirus. 96p. 2011.

LAGO,S.R. Educação em Quadrinhos. 22ed. Curitiba: Nossa Cultura. 2009.

LIPAI, E.M; LAYRARGUES, P.P; PEDRO, V.V. Educação ambiental na escola: tá na lei...In: RACHEL, S.S.M (Coord.). Vamos cuidar do Brasil: conceitos e práticas em educação ambiental na escola. Brasília: Ministério da Educação. UNESCO, 2007. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/publicacao3.pdf. Acesso em 19 jan. 2020.

MOREIRA,M.A. A teoria da aprendizagem significativa e sua implementação em sala de aula. Brasília: Universidade de Brasília, 186p. 2006.

MEIRA-CARTEA,P.A. A catástrofe do Prestige: leituras para a educação ambiental na sociedade global. In: SATO, M., CARVALHO, I. (Orgs.). Educação Ambiental: pesquisa e desafios. Porto Alegre: Artmed. p. 149-176. 2005.

MONTEIRO,R. A. A. Criar uma disciplina de Educação Ambiental na educação básica é uma boa ideia? In: Educação ambiental na educação básica: entre a disciplinarização e a transversalidade da temática socioambiental [livro eletrônico] / Valdir Lamim Guedes, Rafael de Araújo Arosa Monteiro (Orgs.). Vários autores. 2 ed. Revista e ampliada – São Paulo: Editora Na Raiz, 2019.

NOVAK, J. D.; GOWIN, D.B. Aprender a aprender. Lisboa: Pântano Edições Técnicas. Tradução do original:Learning How to Learn, 1996.

OLIVEIRA, T.M.R. Proposta de minicurso para a formação continuada de professores em educação ambiental. 2018, 143f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática), Universidade Cruzeiro do Sul. 2018.

OLIVEIRA,T.M.R; AMARAL,C.L.C. O Uso e Exploração de Dois Aplicativos de Celulares, Comics Panel E Stripcreator: Uma Experiência Realizada no Ensino de Matemática. Ensino da Matemática em Debate, São Paulo, v. 6, n. 3, p. 29-43, 2019.

OLIVEIRA, L.A. et al. Mapas conceituais e o ensino da Educação Ambiental crítica por meio de uma aula de campo na escola. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 14(3), 220-237.2019. Disponível em: https://doi.org/10.34024/revbea.2019.v14.2690. Acesso em: 17 jan.2020.

OLIVEIRA, M. M.; FROTA, P. R. O. Mapas Conceituais como Estratégias para o Ensino de Educação Ambiental. Atos de Pesquisa em Educação - PPGE/ME FURB. v. 7, n. 1, p. 228-241, jan./abr. 2012.

SAUVÉ, L. Uma cartografia das correntes em educação ambiental. In: SATO, M., CARVALHO, I. (Orgs.). Educação Ambiental: pesquisa e desafios. Porto Alegre: Artmed. p. 17-44. 2005.

SÃO PAULO, SP faz escola: Caderno do Aluno 9.º ano Ensino Fundamental Anos Finais. São Paulo, 4º bimestre, 2019.

SAVIANI, D. Escola e democracia. 42.ed. Campinas: Autores Associados. 92p. 2012.

SORRENTINO,M. Prefácio. In: SATO, M., CARVALHO, I. (Orgs.). Educação Ambiental: pesquisa e desafios. Porto Alegre: Artmed. p. 7- 8. 2005.

Downloads

Publicado

2020-03-30

Como Citar

OLIVEIRA, T. M. R. de; AMARAL, C. L. C. Mapas conceituais como recurso didático para o ensino da Educação Ambiental. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, [S. l.], v. 11, n. 2, p. 158–172, 2020. DOI: 10.26843/rencima.v11i2.2714. Disponível em: https://revistapos.cruzeirodosul.edu.br/index.php/rencima/article/view/2714. Acesso em: 6 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)