A utilização do jogo Hidrocart no processo de ensino e aprendizagem em Química

Palavras-chave: Material Didático, Jogos, Ensino de Química

Resumo

Este estudo teve como objetivo, construir um jogo de cartas de apoio didático-pedagógico no ensino de Química Orgânica, para auxiliar o desenvolvimento de conteúdos que envolvam os grupos funcionais com suas respectivas nomenclaturas, de acordo com a IUPAC. Trata-se de uma pesquisa do tipo qualitativa, com a utilização da metodologia da pesquisa-ação, uma vez que esta, associa a ação com atividade de pesquisa, bem como, propõe que os indivíduos sejam sujeitos ativos em todo o processo de desenvolvimento das atividades propostas. Os sujeitos deste estudo foram 28 estudantes do 3° ano do Ensino Médio, de uma escola estadual de Campina Grande – PB. A coleta de dados foi desenvolvida em quatro momentos distintos: a) O primeiro momento, foi a apresentação do jogo denominado de ‘Hidrocart’ e sua composição; b) Segundo momento, foi demonstrar as regras que fazem parte do jogo; c) O terceiro momento, está relacionado a intervenção prática do material didático-pedagógico com os estudantes, em que estes poderão ‘aprender brincando’, desenvolvendo funções e nomenclaturas dos compostos orgânicos; d) A quarta etapa, foi a aplicação do questionário semiestruturado, com o objetivo de poder avaliar o processo de ensino, como também, o material didático construído e sua utilidade em colaboração com o conteúdo científico. Os resultados obtidos, apontam a necessidade de inserir materiais de apoio didático-pedagógicos, que possibilitem aos estudantes e professores a manipulação e participação nas aulas de forma mais igualitária, uma vez que os estudantes relataram que este tipo de material contribui de forma dinâmica e participativa no processo ensino e aprendizagem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABBAGNANO, N. Dicionário de filosofia. 5ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

ALVES, L.; BIANCHIN, M. A. O jogo como recurso de aprendizagem. Rev. Psicopedag., São Paulo, v. 27, n. 83, p. 282-287, 2010.

BAUER, Martin W. Análise de conteúdo clássica: uma revisão. In: BAUER, Martin W.; GASKELL, George (Org.). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Petrópolis, RJ: Vozes, 2000.

BRASIL. Ministério da Educação (MEC), Secretaria de Educação Média e Tecnológica (Semtec). PCN+ Ensino médio: orientações educacionais complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais – Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias. Brasília: MEC/Semtec, 2002.

CAMPOS, L. M. L.; BORTOLOTO, T. M.; FELICIO, A. K. C. A produção de jogos didáticos para o ensino de ciências e biologia: uma proposta para favorecer a aprendizagem. Cadernos dos Núcleos de Ensino, São Paulo, p. 35-48, 2003.

CARVALHO, A. M. P.; GIL-PÉREZ, D. Formação de professore de ciências tendências e inovações. 10ª ed. – São Paulo: Cortez, 2011.

CARVALHO, R. E. Removendo barreiras para a aprendizagem: educação inclusiva. 4ª. Ed. Porto Alegre: Mediação; 2000, p.111.

CUNHA, M. B. Jogos no Ensino de Química: Considerações Teóricas para sua Utilização em Sala de Aula. Revista Química Nova. N° 2, p. 92-98, 2012.

OLIVEIRA, S. G.; CALEJON, L. M. C. O jogo Torre de Hanói para o ensino de conceitos matemáticos. REnCiMa, v. 7, n. 4, p. 149-158, 2016.

SILVA, T. C.; AMARAL, C. L. C. Jogos e avaliação no processo ensino-aprendizagem: REnCiMa, v. 2, n. 1, p. 1-8, jan/jun 2011.

THIOLLENT. M. Metodologia da pesquisa-ação. 14ª Ed. São Paulo: Cortez; 2005.

VIGOTSKI, L. S. A construção do pensamento e da linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 2009.

Publicado
2020-04-01
Como Citar
ARAÚJO, R.; PIRES NETO, J. A utilização do jogo Hidrocart no processo de ensino e aprendizagem em Química. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 11, n. 3, p. 407-417, 1 abr. 2020.
Seção
Artigos Gerais