Organização de unidades de aprendizagem em Química: o estado do conhecimento a partir de dissertações

Palavras-chave: Estado do Conhecimento, Pesquisa em sala de aula, Unidade de Aprendizagem, Química.

Resumo

Este artigo tem como objetivo inventariar a produção científica no Brasil no que se refere ao modo como Unidades de Aprendizagem são organizadas no âmbito do componente curricular de Química. Trata-se de uma pesquisa inserida no estado do conhecimento, em que se recorreu às bases eletrônicas: Catálogo de Teses e Dissertações da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior e Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações. Esta busca foi orientada a partir do descritor “Unidade de Aprendizagem”. Considera-se o tema relevante no campo da Química, uma vez que a organização das Unidades de Aprendizagem nesse componente curricular pode favorecer a superação de aulas convencionais centradas na mera exposição de conhecimentos previamente estruturados. Os resultados indicam que as Unidades de Aprendizagem, no que diz respeito ao componente curricular de Química, estão organizadas, em sua maioria, a partir dos pressupostos do educar pela pesquisa com foco nos conhecimentos iniciais dos estudantes e nas perguntas dos estudantes como matéria-prima para o seu arranjo e desenvolvimento. Também foi possível evidenciar Unidades de Aprendizagem orientadas por meio da abordagem de temáticas específicas com foco na aprendizagem significativa. O estudo pode contribuir com a prática pedagógica, na medida em que aborda possibilidades de tratar conhecimentos químicos de modo representativo para os estudantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALBUQUERQUE, F. M. Unidade de aprendizagem: uma alternativa para professores e alunos conviverem melhor. 2005. 95 f. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemática) - Faculdade de Física, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2005.

ANELE, A. C. O enfoque CTS em sala de aula: uma abordagem diferenciada utilizando a unidade de aprendizagem na educação química. 2007. 109 f. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemática) - Faculdade de Física, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2007.

BARREIRO, C. B. Questionamento sistemático: alicerce na reconstrução dos conhecimentos. In: MORAES, R.; LIMA, V. M. R. (orgs.). Pesquisa em sala de aula: tendências para a educação em novos tempos. 3. ed. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2012. p. 127-140.

BASSOTO, G. V. Nanotecnologia: uma investigação fundamentada na educação pela pesquisa se refletindo na formação de professores e no ensino de química. 2011. 130 f. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemática) - Faculdade de Física, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2011.

BDTD - Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações. Portal. 2019. Disponível em: http://bdtd.ibict.br. Acesso em: 25 mar. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasil: MEC/SEB, 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica. Brasília: MEC/SEB/DICEI, 2013.

CAMARGO, A. N. B. A influência da pergunta do aluno na aprendizagem: o questionamento na sala de aula de química e o educar pela pesquisa. 2013. 110 f. Dissertação (Mestrado Educação em Ciências e Matemática) - Pontifica Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2013.

CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Sobre o Catálogo de tese e dissertações da CAPES. 2019. Disponível em: https://catalogodeteses.capes.gov.br/catalogo-teses/#!/. Acesso em: 10 maio 2019.

CEDRAN, D. P.; KIOURANIS, N. M. M.; CEDRAN, J. C. A importância da simbologia no ensino de química e suas correlações com os aspectos macroscópicos e moleculares. Revista de Ensino de Ciências e Matemática (REnCiMa), v. 9, n. 4, p. 38-57, out. 2018.

DEMO, P. Educar pela pesquisa. 8. ed. Campinas: Autores Associados, 2007.

DEMO, P. Pesquisa como princípio educativo na universidade. In: MORAES, R.; LIMA, V. M. R. (orgs.). Pesquisa em sala de aula: tendências para a educação em novos tempos. 3. ed. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2012. p. 39-64.

FARIAS, B. M. P. Água como temática no ensino de química na educação de jovens e adultos. 2017. 90 f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática) - Faculdade de Educação, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2017.

FONSECA, M. C. O desenvolvimento de competências em química no ensino médio: uma unidade de aprendizagem em ação. 2011. 161 f. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemática) - Faculdade de Física, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2011.

FORSTER, C. J. F. Unidade de aprendizagem fundamentada no educar pela pesquisa sobre compostos inorgânicos: estudo de caso. 2012. 97 f. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemática) - Pontifica Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2012.

FREIRE, P.; FAGUNDEZ, A. Por uma pedagogia da pergunta. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1985.

FRESCHI, M.; RAMOS, M. G. Unidade de aprendizagem: um processo em construção que possibilita o trânsito entre senso comum e conhecimento científico. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, v. 8, n. 1, p. 156-170. 2009.

GALIAZZI, M. C.; GARCIA, F. A.; LINDEMANN, R. H. Construindo caleidoscópios: organizando unidades de aprendizagem. IN: MORAES, R.; MANCUSO, R. (Org.). Educação em Ciências: produção de currículos e formação e professores. Ijuí: UNIJUÍ, 2004. p. 65-94.

GALLE, L. A. V. Estudo sobre a reconstrução significativa de conteúdos no ensino fundamental por meio de uma unidade de aprendizagem sobre alimentos. 2016. 198 f. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemática) - Pontifícia Universidade de Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2016.

GATTI, B. Pesquisa em educação: metodologias quali-quantitativas. Entrevista concedida a Shirley Silva. IV Semana da Mostra de Pesquisas Científicas da Pós-Graduação na Educação Especial. São Paulo, 2015. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=NXGzxZ-NYQM. Acesso em: 04 maio 2019.

GONZÁLES, J. F.; ESCARTÍN, N. E.; JIMÉNEZ, T. M.; GARCÍA, J. F. R. ¿Cómo hacer Unidades Didáticas inovadoras? Sevilha: Diada, 1999.

HAGAY, G.; BARAM‐TSABARI, A. A strategy for incorporating students’ interests into the high‐school science classroom. Journal of Research in Science Teaching, v. 52, n. 7, p. 949-978. 2015.

LARA, J. I. M. Ambientes interativos e a aprendizagem do conteúdo de soluções no ensino médio. 2008. 69 f. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemática) - Faculdade de Física, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2008.

LAZZAROTTO, V. Unidade de aprendizagem: o educar pela pesquisa no cotidiano por meio do estudo da Química. 2017. 160 f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática) - Centro Universitário Franciscano, Santa Maria, 2017.

LIMA, M. E. C. C.; SILVA, N. S. A química no ensino fundamental: uma proposta em ação. In: ZANON, L. B.; MALDANER, O. A. (orgs.). Fundamentos e propostas de ensino de química para a educação básica no Brasil. Ijuí: UNIJUÍ, 2012. p. 89-107.

MORAES, R. Produção em uma sala de aula com pesquisa: superando limites e construindo possibilidades. In: MORAES, R.; LIMA, V. M. R. (Org.). Pesquisa em sala de aula: tendências para a educação em novos tempos. 3. ed. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2012. p. 151-174.

MORAES, R.; GALIAZZI, M. C.; RAMOS, M. G. A pesquisa em sala de aula: fundamentos e pressupostos. In: MORAES, R.; LIMA, V. M. R. (Org.) Pesquisa em sala de aula: tendência para a educação em novos tempos. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2012. p. 11-20.

MORAES, R.; GOMES, V. Uma unidade de aprendizagem sobre unidades de aprendizagem. In: GALIAZZI, M. C. et al. (org.). Construção curricular em rede na educação em ciências: uma aposta de pesquisa na sala de aula. Ijuí: UNIJUÍ, 2007. p. 243-280.

MOREIRA, Marco Antônio; MASINI, Elcie. Aprendizagem significativa: a teoria de David Ausubel. 2. ed. São Paulo: Centauro, 2001.

MORGAVI, R. B. L. Investigando o uso de unidades de aprendizagens como estratégia de ensino de Química. 2019. 166 f. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde) - Instituto de Ciências Básicas da Saúde da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2019.

MOROSINI, M. C. Estado do conhecimento e questões de campo científico. Revista da Educação, Santa Maria, v. 40, n. 1, p. 101-116, jan./abr. 2015.

MOROSINI, M. C.; NASCIMENTO, L. M. Internacionalização da Educação Superior no Brasil. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 33, p. 1-27, 2017.

MUCHULSKI, D. W. Reconstrução de conhecimentos dos alunos sobre a educação ambiental por meio de uma unidade de aprendizagem: um estudo de caso. 2011. 92 f. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemática) - Faculdade de Física, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2011.

PACHECO, R. S. Ambientes virtuais de aprendizagem colaborativa e sua contribuição para o ensino de ciências. 2017. 104 f. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemática) - Faculdade de Física, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2017.

RODEN, J. Levantamento e análise de questões e o uso de fontes secundárias. In: WARD, H.; RODEN, J.; HEWLETT, C.; FOREMAN, J. Ensino de Ciências. Tradução de Ronaldo Cataldo Costa. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2010. p. 64-82.

ROMANOWSKI, J. P.; ENS, R. T. As pesquisas denominadas do tipo “Estado da Arte”. Diálogos Educacionais, Curitiba, v. 6, n. 6, p. 37-50, set./dez. 2006.

SANTA MARIA, L. D.; AMORIM, M. C. V.; AGUIAR, M. R. M. P.; SANTOS, Z. A. M.; CASTRO, P. S. C. B. G.; BALTHAZAR, R. G. Petróleo: Um tema para o ensino de química. Química Nova na Escola, São Paulo, v. 15, n. 1, p.19-23, maio. 2002.

SANTOS, W. L. P.; SCHNETZLER, R. P. Educação em química: compromisso com a cidadania. 4. ed. Ijuí: UNIJUÍ, 2014.

SILVA, C. C. Química aplicada ao cotidiano do aluno: o ensino de química para a formação do cidadão. 2006. 110 f. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemática) - Faculdade de Física, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2006a.

SILVA, C. S. Estudo da unidade de aprendizagem no ensino de química para aprendizagem significativa das leis ponderais. 2006. 135 f. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemática) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2006b.

SILVA, D. A Química dos chás: uma temática para o ensino de Química Orgânica. 2011. 99 f. Dissertação (Mestrado em educação em Ciências: Química da Vida e Saúde) - Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2011.

SOUZA, D. M.; SILVA, E. L. Contribuições da pesquisa como eixo nas disciplinas de ensino de ciências: um estudo sobre ideias de alunos acerca de química orgânica. Revista de Ensino de Ciências e Matemática (REnCiMa), v. 4, n. 1, p. 20-31. 2013. Disponível em: http://revistapos.cruzeirodosul.edu.br/index.php/rencima/article/view/558/rencima/article/view/558. Acesso em: 12 dez. 2019.

WERTSCH, J. V. La mente en acción. Buenos Aires: Aiqué, 1999.

Publicado
2020-04-01
Como Citar
GALLE, L. A.; LIMA, V. M.; RAMOS, M. Organização de unidades de aprendizagem em Química: o estado do conhecimento a partir de dissertações. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 11, n. 3, p. 345-365, 1 abr. 2020.
Seção
Artigos Gerais