Reflexões sobre a potencialidade da inserção da História das Ciências no ensino de Ciências através da temática da Revolução Científica

Palavras-chave: Revolução Científica, Historiografia, História das Ciências, Educação Científica.

Resumo

Neste artigo iremos refletir acerca da potencialidade do diálogo entre a História das Ciências e o ensino de ciências, através de análise da temática da Revolução Científica dos séculos XVII-XVIII, abordada em aspectos historiográficos e conceituais, visando promover uma educação científica problematizadora e crítica, distanciada da proposta de educação bancária teorizada por Paulo Freire. Buscando alcançar nosso objetivo expresso acima, o estudo aborda diferentes narrativas historiográficas sobre a Revolução Científica, bem como valoriza a proposta de compreensão de justaposição conceitual entre o aristotelismo e a nova ciência da modernidade. A metodologia da pesquisa, de abordagem qualitativa a partir de análise bibliográfica, se apoia na discussão teórica de estudos relacionados à interface da História das Ciências e o ensino e a discussão historiográfica sobre a Revolução Científica e sobre o aristotelismo presente naquele contexto, como forma de fundamentar nossas reflexões sobre o potencial da História das Ciências no ensino de ciências. Consideramos que esta abordagem, ao apresentar o desenvolvimento científico como um processo complexo e dialógico às demandas socioculturais, favorece uma educação em ciências crítica e problematizadora.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALVIM, M. H. O conhecimento europeu acerca da natureza: a Filosofia Natural e as crônicas elaboradas na Nova Espanha do século XVI. In Anais Eletrônicos do VII Encontro Internacional da ANPHLAC. Campinas: 2006, p.1-12.

ALVIM, M. H. Dos céus e da terra: astrologia judiciária e descrição da superfície terrestre nos relatos missionários da nova Espanha do século XVI. 2007. Tese de Doutorado - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Geociências, Campinas, 2007.

ALVIM, M. H.; ZANOTELLO, M. História das Ciências e educação científica em uma perspectiva discursiva: contribuições para a formação cidadã e reflexiva. Revista Brasileira de História da Ciência, v. 7, p. 349-359, 2014.

ASSUNÇÃO, T. V.; NASCIMENTO, R. R. Alfabetização científica e a academia: um olhar sobre o ensino de Física moderna e contemporânea na educação básica. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 10, n.3, p. 01-17, 2019.

CAMENIETZKI, C. Z. A cruz e a luneta: a ciência e a religião na Europa Moderna. Rio de Janeiro: Access, 2000.

COHEN, I. B. Revolución en la ciencia. Barcelona: Editorial Gedisa S.A, 1989.

COHEN, H. F. The Scientific Revolution: Historiographical Inquiry. Chicago: The University of Chicago Press, 1994.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

GARIN, E. O Zodíaco da vida: a polémica sobre a astrologia do séc. XIV ao séc. XVI. Lisboa: Estampa, 1997.

GRANT. E. Os fundamentos da ciência moderna na Idade Média. São Paulo: Madras, 2009.

HENRY, J. A revolução científica e as origens da ciência moderna. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1998.

KOYRÉ, A. Do mundo fechado ao universo infinito. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006.

KUHN, T. A estrutura das revoluções científicas. São Paulo: Perspectiva, 1998.

MODY, C. C. M. Scientific Practice, Science Education, 2015. Apud, MOURA, C. R.; GUERRA, A. História Cultural da Ciência: Um Caminho Possível para a Discussão sobre as Práticas Científicas no Ensino de Ciências? Revista Brasileira de pesquisa em educação em Ciências, v. 16. n. 3. p. 725–74, 2016.

MOURA, B. A. Formação crítico-transformadora de professores de Física: uma proposta a partir da História da Ciência. 2012, Tese de Doutorado - Universidade de São Paulo, São Carlos, 2012.

MOURA, C. B.; GUERRA, A. História Cultural da Ciência: Um Caminho Possível para a Discussão sobre as Práticas Científicas no Ensino de Ciências? Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, v.16, p. 725-748, 2016.

NASCIMENTO, L. A.; CARVALHO, H. R.; SILVA, B. V. C. A Astronomia, a Historiografia da Ciência e os livros didáticos: Uma história mal contada? Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 7, n. 5, p. 40-52, 2016.

NEWERLA, V. B. Rios vistos e revistos: as expedições de exploração do Sertão da Comissão Geográfica e Geológica na história da ciência e ensino de ciências naturais. 2000, Dissertação de Mestrado - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2000.

ROBILLOTA, M. R. O cinza, o branco e o preto – da relevância da história da ciência no ensino de Física. Caderno Catarinense de Ensino de Física, v.5 p.7-22, 1988.

ROSSI, P. A ciência e a filosofia dos modernos. São Paulo: Editora Unesp, 1992.

ROSSI, P. O “cientista”. In, VILLARI, Rosário, O homem barroco. Lisboa: Editorial Presença,1995, p. 229-250.

ROSSI, P. O nascimento da ciência moderna na Europa. Bauru: Edusc, 2001.

SHAPIN, S. La revolución científica: una interpretación alternativa. Barcelona: Paidós, 2000.

SILVA, C. P., et al. Subsídios para o uso da História das Ciências no Ensino: exemplos extraídos das Geociências. Ciência & Educação, v.14, p.497-517, 2008.

SILVA, F. A. Historiografia da revolução científica: Alexandre Koyré, Thomas Kuhn e Steven Shapin. 2010. Dissertação de Mestrado - Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2010.

THOMAS, K. Religião e o declínio da magia: crenças populares na Inglaterra, séculos XVI e XVII. São Paulo: Companhia das Letras, 1991.

VAZ, H. C. L. Escritos de filosofia VII: Raízes da Modernidade. São Paulo: Editora Loyola, 2002.

VERGER, J. Homens e Saber na Idade Média. Bauru: EDUSC, 1999.

WESTFALL, R. The Scientific Revolution Reasserted. In,OSLER, Margaret J, Rethinking the Scientific Revolution. Cambridge: Cambridge University Press, 2000, p.41-55

ZANETIC, J. Física e Cultura. Ciência & Cultura, v. 57, p.21-24, 2005.

Publicado
2020-01-01
Como Citar
SOARES, C.; ALVIM, M. Reflexões sobre a potencialidade da inserção da História das Ciências no ensino de Ciências através da temática da Revolução Científica. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 11, n. 1, p. 478-493, 1 jan. 2020.
Seção
Artigos Gerais