Investigação sobre o desenvolvimento do processo dedutivo nos cursos de Licenciatura em Matemática

  • Lilian Nasser Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • João Caldato Universidade Federal do Rio de Janeiro
Palavras-chave: processo dedutivo, formação de futuros professores, ENADE

Resumo

Este artigo relata parte de uma pesquisa que visa investigar se os cursos de Licenciatura em Matemática preparam os futuros professores para explorar, em suas aulas, atividades que promovam o desenvolvimento do pensamento dedutivo. O trabalho foi motivado pela observação de que, em geral, os professores de Matemática não se preocupam em desenvolver a habilidade de argumentação de seus alunos e não valorizam as justificativas informais apresentadas. Esse comportamento pode ser justificado pela formação prévia desses professores. Se o licenciando não teve oportunidade de vivenciar atividades que demandam argumentação ou provas na Escola Básica, é necessário que ele tenha essa experiência durante o curso de formação de professores. No entanto, os resultados de questões discursivas do ENADE que requerem raciocínio dedutivo evidenciam um desempenho preocupante dos licenciandos nesse quesito, pois as médias das notas são, em geral, muito baixas, sendo que a maioria das respostas ficou em branco. Em algumas questões, as respostas apresentadas se baseavam em argumento de natureza empírica, apenas experimentando a validade da afirmativa para poucos exemplos. Os relatórios indicam que os estudantes não encontram nos cursos de graduação em Matemática oportunidades para superarem tais dificuldades. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AGUILAR JUNIOR, C. A. Postura de docentes quanto aos tipos de argumentação e prova matemática apresentados por alunos do ensino fundamental. Dissertação (Mestrado em Ensino de Matemática) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2012.

ALMOULOUD, S. A.; FUSCO, C. A. S. Discutindo algumas dificuldades de professores dos Ensinos Fundamental e Médio a respeito da demonstração em Matemática. In: SIPEM, 3, 2006, Águas de Lindóia – SP, Anais. SBEM, 2006, p. 127.

BRASIL. Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes – Relatório Síntese: Matemática. Brasília: INEP/MEC, 2008.

BRASIL. Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes – Relatório Síntese: Matemática. Brasília: INEP/MEC, 2011.

BRASIL. Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes – Relatório de Área: Matemática. Brasília: INEP/MEC, 2014.

BRASIL. Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes – Relatório Síntese de Área: Matemática (Bacharelado/Licenciatura). Brasília: INEP/MEC, 2017.

BALACHEFF, N. Aspects of proof in pupil’s practice of school mathematics. In: D. PIMM (Ed.), Mathematics teachers and children. London: Hodder and Stoughton, 1988, p. 216-235.

CALDATO, J. C. Argumentação, prova e demonstração: uma investigação sobre as concepções de ingressantes no curso de licenciatura em Matemática. Dissertação (Mestrado em Ensino de Matemática) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2018.

CALDATO, J.; UTSUMI, M. C.; NASSER, L. Argumentação e Demonstração em Matemática: a visão de alunos e professores. Triângulo, v. 10, n. 2, p. 74-93, jul./dez. 2017.

COUTO, A. F.; FONSECA, M. O. S; TREVISAN, A. L. Aulas de Cálculo Diferencial e Integral organizadas a partir de episódios de resolução de tarefas: um convite à insubordinação criativa. Revista de Ensino de Ciências e Matemática (REnCiMa), v. 8, n. 4, p. 50-61, 2017.

D'AMBROSIO, B. S.; LOPES, C. E. Insubordinação Criativa: um convite à reinvenção do educador matemático. Bolema, v. 29, n. 51, p.1-17, 2015.

DE VILLIERS, M. The role and function of proof in Mathematics. Pythagoras, n. 24, p.17- 24, 1990.

FERREIRA, M. B. C. Uma organização didática em quadrilátero que aproxime o aluno de licenciatura das demonstrações geométricas. Tese (Doutorado em Educação Matemática) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2016.

HAREL, G.; SOWDER, L. Students' proof schemes: Results from exploratory studies In: SCHOENFELD, A.; KAPUT, J.; DUBINSKY, E. (Ed.), Research in Collegiate Mathematics Education III. Providence/RI: American Mathematical Society, 1998. p. 234- 283.

HOYLES, C. The curricular shaping of students’ approaches to proof. For the Learning Mathematics, v. 17, n. 1, p. 7-16, 1997.

MATEUS, M. E. A. Um estudo sobre os conhecimentos necessários ao professor de Matemática para a exploração de noções concernentes às demonstrações e provas na Educação Básica. Tese (Doutorado em Educação Matemática) – Universidade Anhanguera de São Paulo, 2015.

NASSER, L. O domínio do processo dedutivo por alunos de graduação em Matemática. In: SIPEM, 1, 2000, Serra Negra – SP, Livro de Resumos. SBEM, 2000, p. 140-145.

ORDEM, J. Prova e demonstração em geometria plana: concepções de estudantes da licenciatura em ensino de Matemática em Moçambique. Tese (Doutorado em Educação Matemática) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2015.

PEZARINI, A. R.; MACIEL, M. D. Avaliação dos argumentos e das argumentações produzidas pelos estudantes de Ciências e Biologia a partir de uma proposta didática pautada em Toulmin e Bonini. Revista de Ensino de Ciências e Matemática (REnCiMa), v. 10, n. 1, p. 27-47, 2019.

PIETROPAOLO, R. C. (Re)significar a demonstração nos currículos da educação básica e da formação de professores de Matemática. Tese (Doutorado em Educação Matemática) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2005.

REID, D. A.; KNIPPING, C. Proof in Mathematics Education: Research, Learning and Teaching. Rotterdam: Sense Publishers, 2010.

Publicado
2019-06-03
Como Citar
NASSER, L.; CALDATO, J. Investigação sobre o desenvolvimento do processo dedutivo nos cursos de Licenciatura em Matemática. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 10, n. 2, p. 80-96, 3 jun. 2019.
Seção
Artigos Gerais