As contribuições de uma oficina pedagógica com jornais impressos na aquisição da aprendizagem a partir da teoria Ator-Rede (tar): a tragédia de Mariana

Palavras-chave: Aprendizagem, Desastre ambiental, Teoria Ator-Rede

Resumo

O presente trabalho tem por objetivo apresentar as contribuições de uma oficina pedagógica com reportagens de jornais sobre o desastre da Samarco em 2015 no processo de ensino e aprendizagem de alunos do 3° ano do ensino médio. O referencial teórico-analítico adotado nesta pesquisa se pautou na Teoria Ator-Rede (TAR). Segundo a TAR humanos e não-humanos possuem a mesma importância ontológica e que quando se analisa uma prática sociomaterial como um processo de ensino deve-se investigar a aprendizagem como um “efeito” das associações e fluxos das redes performadas. Nossos resultados indicam que a oficina contribuiu para a aprendizagem dos alunos, uma vez que esses sujeitos se envolveram em novas alianças formadas durante o desenvolvimento da oficina. Entendemos que a oficina com jornais deve ser difundida e desenvolvida nas escolas, bem como os objetos, como os jornais, ser tomados para análise com a mesma relevância que as entidades humanas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALCADIPANI, R.; TURETA, C. Teoria Ator-Rede e análise organizacional: contribuições e possibilidades de pesquisa no Brasil. O&S-Salvador, v.16, n. 51, p. 647-664, out.- dez, 2009.

AZEVÊDO, L. B. S.; FIREMAN, E. C. Sequência de ensino investigativa: problematizando aulas de ciências nos anos iniciais com conteúdos de eletricidade. Revista REnCiMa, v.8, n. 2, p. 143-161, 2017.

CALLON, M. Elements pour une sociologie de la traduction. La domesticationdes coquilles Saint-Jacques et des marins pecheurs en baie de Saint-Brieu. L 'Annee sociologique, v. 36, p. 169-208, 1986a.

CALLON, M. Some elements of a sociology of translation: domestication of the scallops and fishermen of St. Brieuc Bay. In: LAW, J. Power, action and belief: a new sociology of knowledge? London, Routledge, p.196- 223,1986b.

CALLON, M. Reseaux technico-economiques et irreversibilites. In: BOYER, R., CHAVANCE, B. e SOIIS, O. G., Les Figures de i'irreversibilite en economie, Paris, Editions de l'EHESS, p. 195-230, 1991.

CARVALHO, M. S. et al. Concentração de metais no rio Doce em Mariana, Minas Gerais, Brasil. Acta Brasiliensis, v.1, n.3, p. 37-41, 2017. Disponível em: http://revistas.ufcg.edu.br/ActaBt. Acesso em: 16 jan. 2019.

COUTINHO, F. A. et al. Proposta de uma unidade de análise para a materialidade da cognição. Revista SBEnBIo, n. 7, p. 1930-1942, 2014.

COUTINHO, F. A. et al. Aprendendo a ser afetado: contribuições para a educação em ciências na educação infantil. Educação em Revista, n. 33, p. 1-31, 2017.

ESPÍNDOLA, M. A.; NODARI, E.S. Desastres ambientais e políticas públicas em Santa Catarina. In: XXVI Simpósio Nacional de História – ANPUH. São Paulo, julho 2011, Anais... Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC, 2011, 12 p.

LATOUR, B. Jamais fomos modernos: ensaio de Antropologia Simétrica. Bruno Latour/ tradução de Carlos lrineu da Costa. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1994.152 p.

LATOUR, B. Ciência em ação: como seguir cientistas e engenheiros sociedade afora. São Paulo: Unesp, 2000.

LATOUR, B. A Esperança de Pandora: ensaios sobre a realidade dos estudos científicos. Bauru, EDUSC, 2001. 372 p.

LATOUR, B. Gabriel Tarde and the end of the social. In: JOYCE, P (Ed.) The Social in Question: New Bearings in the History and the Social Sciences. London: Routledge, 2002. p. 117-32.

LATOUR, B. How to talk about the body? The normative dimension of science studies. Body & Society, v. 10, n. 2-3, p. 205-229, 2004.

LATOUR, B. Reagregando o social. Salvador: Ed UFBA, 2012; Bauru. São Paulo: EDUSC, 400 p.

LATOUR, B. Cogitamus: seis cartas sobre as humanidades científicas. São Paulo: Editora 34, 2016.

LAW, J. Notes on the Theory of the Actor-Network: Ordering, Strategy, and Heterogeneity. Systems Practice, v.5, n.4, p. 379-393. 1992.

LOSTADA, L. R.; LORENÇATTO, M. Os tangenciamentos entre a teoria ator-rede e a EAD para a formação de educadores na rede pública de ensino. Revista RP, Florianópolis-SC, 2017, 10p.

MAESTRELLI, S. G.; LORENZETTI, L. As relações CTSA nos anos iniciais do Ensino Fundamental: analisando a produção acadêmica e os livros didáticos. Amazônia-Revista de Educação em Ciências e Matemática, v.13, n. 26, p. 5-21, 2017.

MEIHY, J.C. S. B. Manual de história oral. 5 ed. São Paulo: Edições Loyola, 2005.

MELO, M. F. A. Q. Discutindo a aprendizagem sob a perspectiva da teoria ator-rede. Educar em Revista, n. 39, p.177-190, 2011.

PAVIANI, N. M. S.; FONTANA, N. M. Oficinas pedagógicas: relato de uma experiência. Conjectura. v. 14, n. 2, p. 77-88, 2009.

REIS, M. R. C.; SANTOS, M. E. P. O desastre em Mariana (MG): expressão da luta pela garantia dos direitos humanos. In: Seminário Científico da FACIG, 2, 2016, Minas Gerais, Anais...Minas Gerais, 2016,

RIBEIRO, A. L. Os desafios da escola pública paranaense na perspectiva do professor PDE: Produções Didático-Pedagógicas. Cadernos PDE. Volume II. PR. 2013. 27p.

SANTOS, C. F.; MARIMON, M. P. C; Indústria das enchentes: Impasses e desafios dos desastres socioambientais no Vale do Itajaí. Geosul, v. 29, n. 57, p 197-216, 2014.

SCHLIECK, D.; BORGES, M. K. Teoria Ator-Rede e educação: no rastro de possíveis associações. Revista Triang. v.11 n.2, p.175-198, 2018.

SERRA, C. Tragédia em Mariana: a história do maior desastre ambiental do Brasil. 1ª ed., Rio de Janeiro: Record, 2018. 461p.

SILVA, J.P.R.P. Riscos e desastres ambientais causados por inundações em áreas urbanas: um estudo da paisagem sob a visão sistêmica. Trabalho de Conclusão de Curso, UNESP, 2009, 76 p.

SILVA, T. C.; AMARAL, C. L. C. Jogos e avaliação no processo ensino-aprendizagem: uma relação possível. Revista REnCiMa, v. 2, n. 1, p. 1-8, 2011.

SOUZA, P. C. A.; LOUREIRO, C. F. Reflexões sobre os desastres ambientais no Estado do Rio de Janeiro: Questões socioambientais e psicossociais. Revista VITAS – Visões Transdisciplinares sobre Ambiente e Sociedade, v.8, 2014. 22p.

SOUZA, V. A. Oficinas pedagógicas como estratégia de ensino: uma visão dos futuros professores de ciências naturais. Trabalho de Conclusão de Curso, 2016. 35p.

VIEIRA, E.; VOLQUIND, L. Oficinas de ensino: O quê? Por quê? Como? 4. ed. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2002.

Publicado
2020-03-30
Como Citar
DOS REIS, A.; SILVA, F. As contribuições de uma oficina pedagógica com jornais impressos na aquisição da aprendizagem a partir da teoria Ator-Rede (tar): a tragédia de Mariana. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 11, n. 2, p. 107-126, 30 mar. 2020.
Seção
Artigos Gerais