Padrões e o trabalho com sequências recursivas: uma abordagem no desenvolvimento do pensamento algébrico

Palavras-chave: pensamento algébrico, padrões, sequências recursivas, OBMEP

Resumo

Este trabalho tem por objetivo apresentar propostas pedagógicas para o ensino da álgebra tendo em vista promover o desenvolvimento do pensamento algébrico dos alunos. Para tanto foi realizado um levantamento bibliográfico buscando trabalhos que demonstram que tal objetivo pode ser alcançado por meio de um ensino que prioriza o reconhecimento e a generalização de padrões matemáticos. Para contemplar o Ensino Médio, demos destaque às sequências definidas recursivamente, que se revelam como um bom ponto de partida para a generalização de padrões. Além disso, com o estudo de recorrências matemática, é possível propor uma abordagem alternativa para o ensino de progressões. Buscando trabalhar com regularidades numéricas para descrever e generalizar relações, sugerimos a utilização das questões da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP), como proposta metodológica no ensino da álgebra. 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BOOTH, L. R. Dificuldades das crianças que se iniciam em álgebra. In: COXFORD, A. F.; SHULTE, A. P. (Org.). As ideias da álgebra. Tradução de Hygino H. Domingues. São Paulo: Atual, 1995. p.23-27.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Base Nacional Comum Curricular: Matemática. Brasília, DF, 2018.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Orientações Curriculares Nacionais (Ensino Médio): Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias. 2006.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Parâmetros Curriculares Nacionais (Ensino Fundamental): Matemática. 1998.

COELHO, F. U; AGUIAR, M. A história da álgebra e o pensamento algébrico: correlações com o ensino. Estudos Avançados (USP. Impresso). v. 32, n. 34, p. 171-187, 2018.

DEVLIN, K. Matemática – a ciência dos padrões. Porto: Porto editora, 2002.

FERREIRA, M. C. N. Álgebra nos anos iniciais do Ensino Fundamental: uma análise dos documentos curriculares nacionais. REnCiMa, v. 8, n. 5, p. 16-34, 2017.

FIORENTINI, D.; MIORIM, M. A.; MIGUEL, A. Contribuições para um repensar... a educação algébrica elementar. Pro-Posições, Campinas, v.4, n.1, p.78-90, mar.1993.

HEFEZ, A. Elementos de aritmética. 2 ed. Rio de Janeiro: SBM, 2011.

LIMA, E. L. et al. A Matemática do Ensino Médio. v. 2. 6. ed. Rio de Janeiro: SBM, 2006.

LINS, R.C.; GIMENEZ, J. Perspectivas em aritmética e álgebra para o século XXI. 6.ed. Campinas: Papirus, 1997.

MORGADO, A. C.; WAGNER, E.; ZANI, S. Progressões e matemática financeira. 5. ed. Rio de Janeiro: SBM, 2001.

PARANÁ. Secretaria de Estado de Educação. Departamento de Educação Básica. Diretrizes Curriculares da Educação Básica: Matemática. Curitiba: SEED, 2008.

PORTANOVA, R. (Org.). Um currículo de matemática em movimento. 1.ed. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2005.

PONTE, J.; BRANCO, N.; MATOS, A. Álgebra no Ensino Básico. Ministério da Educação, Portugal. Direção Geral de Integração e de Desenvolvimento Curricular (DGIDC). Portugal, 2009.

RIBEIRO, A. J. Álgebra e seu Ensino: dando eco às múltiplas “vozes” da Educação Básica. REnCiMa, v. 7, n. 14, p. 1-14, 2016.

VALE, I.; PIMENTEL, T. Padrões: um tema transversal no currículo. Revista Educação e Matemática, Portugal, n. 85, p. 14-20, nov./dez., 2005.

WALLE, J. A. V. de. Matemática no Ensino Fundamental: formação de professores e aplicação em sala de aula. Tradução: Paulo Henrique Colonese. 6. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

Publicado
2020-01-01
Como Citar
THEODOROVSKI, R.; OLIVEIRA, F. Padrões e o trabalho com sequências recursivas: uma abordagem no desenvolvimento do pensamento algébrico. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 11, n. 1, p. 219-236, 1 jan. 2020.
Seção
Artigos Gerais