Oficina temática “Tintas Indígenas”: ensino de Ciências por meio da temática “indígena”

Palavras-chave: Temática, Tintas, Ensino de Ciências, Cultura Indígena

Resumo

A temática indígena começou a ser considerada objeto de estudo nos parâmetros curriculares brasileiros recentemente.  Desde o ano de 2008, tem se discutido a possibilidade de incluir a temática em sala de aula e como contemplar outras áreas do conhecimento que não sejam as estabelecidas pela legislação (Educação Artística, Literatura e História brasileira). Nesta perspectiva, esta oficina temática propõe inserir no ensino de Ciências conhecimentos que remetem a cultura indígena, possibilitando que por meio da abordagem conceitual de tintas, os estudantes desenvolvam saberes científicos e culturais. A oficina temática foi desenvolvida com estudantes do nono ano do ensino fundamental, com duração de 4 horas aula, com o objetivo de abordar os conceitos científicos contextualizados com a temática “indígena”. Dessa forma, os estudantes puderem por meio de uma atividade experimental, confeccionar tintas, com pigmentos naturais oriundos do saber indígena e aplicar em telas para pinturas, bem como reconhecer os conceitos científicos envolvidos na atividade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vânia Costa Ferreira Vanuchi, Universidade Federal de Santa Maria

Graduada em Química Licenciatura- IFRO-2016. Mestranda na UFSM, do Programa de pós-graduação, Educação em  Ciencia: Quimica da Vida e sáude. 

Luiz Eduardo Welter, Universidade Federal de Santa Maria

Acadêmico de Licenciatura em Química.

Luiza Bertoldo Stefanello, Universidade Federal de Santa Maria

Acadêmica de Licenciatura em Química.

Mara Elisa Fortes Braibante, Universidade Federal de Santa Maria

Atualmente é ProfessoraTitular no Departamento de Química da Universidade Federal de Santa Maria-RS, coordenadora do Curso de Química Licenciatura (2006-2010).Possui experiência na área de Química, com ênfase em Química Orgânica, na síntese de compostos enamino carbonílicos, heterociclos, emprego de metodologias com K-10, ultra-som e microondas. Atualmente orienta na na área de Ensino de Química, no programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde-UFSM, desenvolvendo trabalhos na área de Ensino utilizando Temáticas para contextualizar o Ensino de Química, bem como produção de material didático. Coordenadora projeto PIBID-Quimica-UFSM (2009-2018).

Referências

BALDUINO, Z. P.A. Estudo da Caracterização e composição de argilas de uso cosmético. Dissertação de Mestrado. Programa de pós-graduação em Ciências Aplicada a Saúde - Universidade Federal de Goiás.

BRAIBANTE, M. E. F.; PAZINATO, M. S. O ensino de Química através de temáticas: contribuições do LAEQUI para a área. Ciência e Natura, v. 36, Ed. Especial II, p. 819-816, 2014.

BRASIL. Governo Federal. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística- IBGE. Disponível em: https://www.ibge.gov.br. Acesso em: 12 Mar. 2018.

BRASIL. LDB. Lei 9394/96 – Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Disponível em: www.planalto.gov.br. Acesso em: 25 jun. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Brasília: MEC, 2000.

BRASIL. Presidência da República. Lei nº 10.639/2003. Brasília. 2003. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/2003/L10.639.htm. Acesso em: 20 Set .2017.

BRASIL. Presidência da República. Lei nº 11.645/2008. Brasília. 2008. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11645.htm. Acesso em: 20 out. 2017.

BUENO, A. J. A.; LEAL, S. E. B; LEAL, S. E; BERLONI, D. Atividades práticas/experimentais para o Ensino de Ciências além das barreiras do laboratório desenvolvidas na Formação inicial de professores. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 9, n. 4, p. 94-109, 2018.

CALDERAN, A. P. Ensino e aprendizagem de Química a partir da temática “Tintas para Tatuagem”, 2017. Dissertação de Mestrado. Programa de pós-graduação em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde - Universidade Federal de Santa Maria.

DELIZOICOV, D.; ANGOTTI, J. A.; PERNAMBUCO, M. M. Ensino de Ciências: Fundamentos e Métodos. 4. ed., São Paulo: Cortez, 2011.

FAZENDA, J. M. R. Tintas e Vernizes: Ciência e Tecnologia, 2. ed. ABRAFATI: São Paulo, 1995.

FIGUEREDO, P.G. Propriedades físico-quimicas de Argilas e Zeólitas do estado do Maranhão. 2010. Dissertação de mestrado. Programa de pós-graduação em Química- Universidade Federal do Maranhão.

GOULARTE, S. R.; MELO, R. K. A lei 11.645/08 e sua abordagem nos livros didáticos do ensino fundamental. Entretextos, v. 13, n. 2, p. 33-54, 2013.

KERDNA, Produção Editorial 2017. Cultura Indígena- Disponível em: http://indios- brasileiros.info/cultura-indigena.html. Acesso em: 17 de set. 2017.

MARCONDES, M. E. R. Proposições metodológicas para o Ensino de Química: Oficinas Temáticas para a Aprendizagem da Ciência e o Desenvolvimento da Cidadania. Revista em extensão, Uberlândia, v. 7, 2008.

MENDA, M. Corantes e Pigmentos. Conselho Regional de Química- IV região. Jun. 2011. Disponível em: https://www.crq4.org.br/quimicaviva_corantespigmentos. Acesso em: Out.de 2017.

MILANEZ, W.K.; Incorporação de Resíduo de Galvanoplastia na produção de pigmentos Inorgânicos. 2003.89 p. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós- Graduação em Engenharia Química- Universidade Federal de Santa Catarina, 2003.

MORAES, R.; GALIAZZI, M. do C. Análise textual discursiva: processo reconstrutivo de múltiplas faces. Revista Ciência & Educação, v. 12, n. 1, p. 117-128, 2006.

PAZINATO, M. S.; BRAIBANTE, M. E. F. Oficina temática composição Química dos alimentos: uma possibilidade para o ensino de Química. Química Nova na Escola, v. 36, n. 4, p. 289-296, 2013.

PINHEIRO, N. A.; A Química dos Pigmentos? Disponível em: http://gpquae.iqm.unicamp.br/textos/T10.pdf. Acesso em: 14 mar. 2017.

PINTO, A.C. Corantes Naturais e Cultura indígenas. 2016. Sociedade Brasileira de Química. Disponível em: http://www.memoriasdaquimica.ccs.ufrj.br/historia.php.Acesso em: 20 out. 2018.

REIS, T. M. O ensino de Química e Arte por meio de uma abordagem interdisciplinar com a Temática Tintas. 2018. Dissertação de Mestrado. Programa de pós-graduação em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde - Universidade Federal de Santa Maria.

SANTOS, P.E.; AQUINO, B. G.; GUEDES, T.J.A contextualização no ensino de Química no ensino médio: Um estudo de caso no colégio Estadual Presidente Costa e Silva. GT4- Práticas investigativas. UNIT, 2011.

SELBACH, S. (sup.) Ciências e Didáticas. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010. Coleção como bem ensinar. VIDAL. L (org.). Grafismo indígena estudo de antropologia estética. 2 ª ed., Studio Nobel- FAPESP. Editora da Universidade de São Paulo-SP, 2000.

VIEIRA, V. V.; BRAIBANTE, F. E. M. A Química dos Tecidos Têxteis abordada por meio de Estudo de Casos. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 8, n. 1, p. 26-45, 2017.

Publicado
2019-10-07
Como Citar
VANUCHI, V. C. F.; WELTER, L. E.; STEFANELLO, L. B.; BRAIBANTE, M. E. F. Oficina temática “Tintas Indígenas”: ensino de Ciências por meio da temática “indígena”. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 10, n. 5, p. 253-270, 7 out. 2019.
Seção
Artigos Gerais

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)