O Ensino de Ciências pautado nos vieses CTS e das questões sociocientíficas para a construção da argumentação: um olhar para as pesquisas no contexto brasileiro

  • Agnaldo Ronie Pezarini Universidade Cruzeiro do Sul
  • Maria Delourdes Maciel UNIVERSIDADE CRUZEIRO DO SUL
Palavras-chave: Argumentação, Ensino de Ciências, CTS, Questões Sociocientíficas

Resumo

Como está constituída a educação brasileira pelos vieses CTS e Sociocientíficos na promoção da Argumentação no Ensino de Ciências? Este artigo tem por objetivo apresentar a resposta a esta problemática e, para tanto, por meio de um levantamento bibliográfico das produções acadêmicas de 2010 a 2018, elabora o estado da arte sobre as pesquisas em nosso país afim de configurar a educação brasileira nas premissas citadas. Para tanto, recorremos a análise de conteúdo temática de Bardin 2006. Configuramos a temática frente as categorias: Ano de realização/publicação; Instituição de Ensino Superior de Origem; Disciplina da área da Ciência da Natureza; Foco temático quanto à natureza dos trabalhos, isto é, se são empíricos ou Teóricos; Se a Argumentação fora construída ou favorecida por questões CTS ou Sociocientíficas; Identificação dos objetivos das pesquisas; Ação específica para a promoção da Argumentação e os Resultados obtidos e sua relação com a Argumentação. Os resultados apontam que há pouca produção acadêmica para a construção da argumentação pelas questões CTS e Sociocientíficas, fato que nos preocupa dada a expressividade e poder de contribuição das questões CTS e Sociocientífica no caráter discursivo para a efetivação da Argumentação no Ensino de Ciências.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ACEVEDO, J. A.; VÁZQUEZ, Á.; MANASSERO, M. A. Papel de la educación cts en una alfabetización científica y tecnológica para todas las personas. Revista electrónica de enseñanza de las ciencias, v. 2, n. 2, 2003.

AULER, D. Enfoque ciência-tecnologia-sociedade: pressupostos para o contexto brasileiro. Ciência & ensino, v. 1, número especial, novembro de 2007.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: edições 70, 2006.

BRASIL. Ministério da educação (MEC), conselho nacional de educação (CNE), câmara de educação básica (CEB). Diretrizes curriculares nacionais para o ensino médio. Resolução CEB nº 3, de 26 de junho de 1998. Brasília: MEC/CNE/CEB, 1998.

BRASIL. Ministério da educação (MEC), secretaria de educação média e tecnológica (SEMTEC). Parâmetros nacionais para o ensino médio: parte III – ciências da natureza, matemática e suas tecnologias. Brasília: MEC/SEMTEC, 2000.

BROFMAN, P. R. A importância das publicações científicas. Cogitare enfermagem, v. 17, n. 3, jul./set. P. 419-421, 2012.

CHAVES, A. L. R. Abordagem CTS (ciência, tecnologia & sociedade) em sala de aula: uma alternativa didática. Temas & conexões, n. 2, 2015.

CHRISPINO, A. Ciência, tecnologia e sociedade. Módulo do curso de especialização em educação tecnológica, UAB/CEFET-RJ, aula 11. Mimeo, 2008.

DE CHIARO, S.; AQUINO, K. A. S. Argumentação na sala de aula e seu potencial metacognitivo como caminho para um enfoque CTS no ensino de química: uma proposta analítica. Educação e pesquisa, v. 43, n. 2, p. 411-426, 2017.

FERREIRA, N. S. A. As pesquisas denominadas ‘estado da arte’. Educação & sociedade, ano 23, p. 257-272, ago. 2002.

FIORENTINI, D. Memória e análise da pesquisa acadêmica em educação matemática no Brasil: o banco de teses do CEMPEM/FE-UNICAMP. Zetetiké, v. 1, n. 1, p. 55-76, mar. 1993.

GUIMARÃES, M. A. Raciocínio informal e a discussão de questões sociocientíficas: o exemplo das células-tronco humanas. Tese de doutorado em educação para a ciência - universidade estadual paulista, faculdade de ciências, Bauru, 2011.

JIMÉNEZ ALEIXANDRE, M. P.; AGRASO, M. F. A argumentação sobre questões sociocientíficas: processos de construção e justificação do conhecimento em sala de aula. Educação em revista, v. 43, 13-33, jun. 2006

JIMÉNEZ ALEIXANDRE, M. P.; BUGALLO RODRÍGUEZ, A.; DUSCHL, R. A. “Doing the lesson” or “doing science”: argument in high school genetics. Science education, v. 84, n. 6, p. 757- 792, 2000.

KRASILCHIK, M. O professor e o currículo das ciências. São Paulo: EDUSP, 1987.

KUHN, D. Science argumentation: implications for teaching and learning scientific thinking. Science education. V. 7, n. 3, p. 319-337, 1993.

LENHARO, A. F. L; LOPES, N. C. A potencialidade do uso de questões sociocientíficas para o desenvolvimento da competência argumentativa em alunos do ensino médio. Atas do IX encontro nacional de pesquisa em educação em ciências. Águas de Lindóia-SP, 2013.

LUJÁN LÓPEZ, J. L.; CEREZO LÓPEZ, J. A. Educación cts en acción: enseñanza secundaria y universidad. García, mig, cerezo, jal, lópez, jll ciencia, tecnología y sociedad: una introducción al estudio social de la ciencia y la tecnología. Madrid: editorial tecnos sa, 1996.

MEDINA, M.; SANMARTÍN, J. El programa tecnología, ciencia, natureza y sociedad. In: Ciencia, tecnología y sociedad: estudos interdisciplinares en la universidad, en la educación y en la gestión pública. Barcelona: anthropos, p. 114-121, 1990.

PEREIRA, R. G. O conhecimento mobilizado por estudantes do ensino médio na formulação de argumentos sobre temas científicos e sociocientíficos. 2010. Tese de doutorado. Universidade de são Paulo.

PEREIRA, R. G.; TRIVELATO, S. Estudantes do ensino médio utilizam conhecimentos científicos em seus posicionamentos acerca de questões Sócio-científicas. Atas do VIII encontro nacional de pesquisa em educação em ciências. Campinas - SP, 2011.

PERELMAN, C.; OLBRECHTS-TYTECA, l. Tratado da argumentação: a nova retórica. São Paulo: Martins Fontes, 2005, 653 p.

PINHEIRO, N. A. M.; SILVEIRA, R. M. C. F.; BAZZO, W. A. Ciência, tecnologia e sociedade: a relevância do enfoque CTS para o contexto do ensino médio. Ciência & educação, v. 13, n. 1, p. 71-84, 2007.

SADLER, T. D. Situating sócio-scientific issues in classrooms as a means of achieving goals of science education. In: Sadler, Troy D. (ed.) Socio-scientific issues in the classroom: teaching, learning and research. New york: springer science+business media, 2011.

SANTOS, W. L. P. Educação CTS e cidadania: confluências e diferenças. Amazônia - Revista de Educação em Ciências e Matemáticas, v. 9, n. 17, p. 49-62, 2012.

SANTOS, W. L. P.; MORTIMER, E. F. Tomada de decisão para ação social responsável no ensino de ciências. Ciênc. Educ. (Bauru), Bauru , v. 7, n. 1, p. 95-111, 2001 .

SILVA, A. H. et al. Análise de conteúdo: fazemos o que dizemos? Um levantamento de estudos que dizem adotar a técnica. Conhecimento interativo, v. 11, n. 1, p. 168-184, 2017.

VIEIRA, R. D.; NASCIMENTO, S. S. Avaliações de argumentação de licenciandos em física sobre um episódio de estágio curricular: em que critérios eles se baseiam? Xi encontro de pesquisa em ensino de física, Curitiba, 2008.

ZABALA, A. A prática educativa: como ensinar. Trad. Ernani F.da f. Rosa. Porto alegre: Artmed, 1998.

ZOLLER, U.; WATSON, F. G. Technology education for nonscience students in the secondary school. Science education, v. 58, n. 1, p. 105-116, 1974.

Publicado
2018-12-18
Como Citar
PEZARINI, A.; MACIEL, M. O Ensino de Ciências pautado nos vieses CTS e das questões sociocientíficas para a construção da argumentação: um olhar para as pesquisas no contexto brasileiro. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 9, n. 5, p. 169 - 188, 18 dez. 2018.
Seção
Artigos Gerais

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)