Metodologias Ativas de Aprendizagem: relato de experiência em uma oficina de formação continuada de professores de Ciências

Palavras-chave: Ensino de Física, Formação continuada, Aprendizagem Baseada em Investigação

Resumo

O uso de metodologias ativas é uma prática que pode trazer benefícios ao ensino e à aprendizagem de Ciências. No entanto, novas técnicas e recursos pedagógicos são, geralmente, pouco abordados durante os cursos de licenciatura, tornando a existência de cursos de formação continuada tão importantes para o aprimoramento docente. O presente artigo se propõe a documentar a realização de uma oficina sobre metodologias ativas de aprendizagem, ministrada a professores de Ciências em exercício na rede municipal de Fortaleza, bem como a analisar a opinião e os discursos dos mesmos acerca do tema abordado. Durante a oficina foi dada especial atenção à Aprendizagem Baseada em Investigação (ABI), ao uso de Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDIC) e à gamificação. Concluiu-se que as técnicas apresentadas durante a oficina foram vistas com bons olhos pelos profissionais da educação e que os mesmos estão inclinados a adotá-las em suas salas de aula.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Diego Oliveira Silva, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará

Mestre em Ensino de Ciências e Matemática pelo Instituto Federal do Ceará (2018). Graduado em Licenciatura em Física pelo Instituto Federal do Ceará (2016).

Matheus Fernandes Mourão, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará

Mestrando do Programa de Pós Graduação em Ensino de Ciências e Matemática, do Instituto Federal do Ceará (2016).

Gilvandenys Leite Sales, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará

Doutor em Engenharia de Teleinformática pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Atualmente é Professor Titular de Física do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE).

Bento Duarte Silva, Universidade do Minho

Doutor em Educação, na área da Tecnologia Educativa. Coordenador da área de Especialização de Tecnologia Educativa do Mestrado em Ciências da Educação; membro da Comissão Diretiva do Programa de Doutoramento em “Aprendizagem Enriquecida com Tecnologia e Desafios Societais”.

Referências

ARAÚJO, M. S. T., ABIB, M. L. V. S. Atividades experimentais no ensino de Física: diferentes enfoques, diferentes finalidades. Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 25, n. 2, p. 176-194, 2003.

BARAB, Sasha Alexander, LUEHMANN, April Lynn. Building sustainable science curriculum: Acknowledging and accommodating local adaptation. Science Education, [s.l.], v. 87, n. 4, p.454-467, 6 jun. 2003. Wiley. http://dx.doi.org/10.1002/sce.10083.

BORGES, Antônio Tarciso. Novos rumos para o laboratório escolar de ciências. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, Florianópolis, v. 19, n. 3, p. 291-313, jan. 2002.

BRAND-GRUWEL, S., WOPEREIS, I., WALRAVEN, A. A descriptive model of information problem solving while using internet. Computers & Education, [s.l.], v. 53, n. 4, p.1207- 1217, dez. 2009. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/j.compedu.2009.06.004.

BRUNER, Jerome. The Act of Discovery. Harvard Educational Review, v. 31, n. 1, p. 21-32, 1996.

BUSARELLO, R. I., ULBRICHT, V. R., FADEL, L. M. A gamificação e a sistemática de jogo: conceitos sobre a gamificação como recurso motivacional. In: Gamificação na educação/Luciane Maria Fadel, Vania Ribas Ulbricht, Claudia Regina Batista, Tarcísio Vanzin, organizadores. - São Paulo: Pimenta Cultural, 2014. 300p.

DETERDING, S. et al. From Game Design Elements to Gamefulness: Defining “Gamification”. In: International Academic Mindtrek Conference: Envisioning Future Media Environments, 15., 2011, Tampere/Finland. Proceedings... Tampere/Finland: ACM, 2011. p. 9-15.

DIESEL, A., BALDEZ, A., MARTINS, S. Os princípios das metodologias ativas de ensino: uma abordagem teórica. Revista Thema, [s.l.], v. 14, n. 1, p. 268-288, 23 fev. 2017. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-Rio-Grandense. http://dx.doi.org/10.15536/thema.14.2017.268-288.404. Acesso em: 07 jun. 2018.

DOMÍNGUEZ, Adrián et al. Gamifying learning experiences: Practical implications and outcomes. Computers & Education, [s.l.], v. 63, p. 380-392, abr. 2013. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/j.compedu.2012.12.020.

DUARTE, Sergio Eduardo. Física para o Ensino Médio usando simulações e experimentos de baixo custo: um exemplo abordando dinâmica da rotação. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, [s.l.], v. 29, p. 525-542, 8 out. 2012. Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). http://dx.doi.org/10.5007/2175-7941.2012v29nesp1p525.

FARDO, M. L. A gamificação como estratégia pedagógica: estudo de elementos dos games aplicados em processos de ensino e aprendizagem. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade de Caxias do Sul, Caxias do Sul, 2013. Disponível em: <https://repositorio.ucs.br/handle/11338/457>. Acesso em: 15 jun.

GATTI, B. A. Análise das políticas públicas para formação continuada no Brasil, na última década. Revista Brasileira de Educação, v. 13, n. 3, 2008.

HAKE, Richard R. Interactive-engagement versus traditional methods: A six-thousand- student survey of mechanics test data for introductory physics courses. American Journal Of Physics, [s.l.], v. 66, n. 1, p. 64-74, jan. 1998. American Association of Physics Teachers (AAPT). http://dx.doi.org/10.1119/1.18809.

HEIDEMANN, L. A. Crenças e atitudes sobre o uso de atividades experimentais e computacionais no ensino de física por parte de professores do ensino médio. Dissertação de mestrado da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2011.

IMBERNÓN, F. Formação continuada de professores. Porto Alegre: Artmed, 2010.

KAPP, Karl M. The gamification of learning and instruction: game-based methods and strategies for training and education. San Francisco: Pfeiffer, 2012.

LIM, Byung-ro. Challenges and issues in designing inquiry on the Web. British Journal Of Educational Technology, [s.l.], v. 35, n. 5, p. 627-643, set. 2004. Wiley. http://dx.doi.org/10.1111/j.0007-1013.2004.00419.x.

LOPES, R. P. Concepções e práticas declaradas de ensino e aprendizagem com TDIC em cursos de licenciatura em matemática. 2014. 692 f. Tese (Doutorado em Educação) Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Estadual Paulista, Presidente Prudente, SP, 2014.

LÜDKE, M., BOING, L. A. Do Trabalho à Formação de Professores. In Cadernos de Pesquisa – Fundação Carlos Chagas, v. 42, n. 146, p. 428-451, 2012.

MATOS, Maria Goreti, VALADARES, Jorge. O Efeito da Actividade Experimental na Aprendizagem da Ciência Pelas Crianças do Primeiro Ciclo do Ensino Básico. Investigação em Ensino de Ciências, Rio Grande do Sul, v. 6, n. 2, p. 227-239, 2001.

OLIVEIRA, Luciano Amaral. Coisas que todo professor de português precisa saber: a teoria na prática. São Paulo: Parábola Editorial, 2010.

OLIVEIRA FILHO, V. H., SANTOS, G. T. Repercussões de um Curso de Formação Continuada a Distância em Matemática na Visão dos Participantes. Rencima: Revista de Ensino de Ciências e Matemática, [s.i.], v. 9, n. 3, p. 249-264, jun. 2018.

PEDASTE, Margus et al. Phases of inquiry-based learning: Definitions and the inquiry cycle. Educational Research Review, [s.l.], v. 14, p. 47-61, fev. 2015. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/j.edurev.2015.02.003.

PEREIRA, Rodrigo. Método Ativo: Técnicas de Problematização da Realidade aplicada à Educação Básica e ao Ensino Superior. In: VI Colóquio internacional. Educação e Contemporaneidade. São Cristóvão, SE. 20 a 22 setembro de 2012.

PERRENOUD, P. 10 Novas Competências para Ensinar. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.

PRADA, L. E. A, FREITAS, T. C, FREITAS, C. A. Formação continuada de professores: alguns conceitos, interesses, necessidades e propostas. Rev. Diálogo Educ., Curitiba, v. 10, n. 30, p. 367-397, maio/ago. 2010.

TARDIF, M., LESSARD, C., LEHAYE, L. Os professores face ao saber – Esboço de uma problemática do saber docente. Teoria e Educação, n. 4, p. 215-234, 1991.

RAMOS, P., GIANNELLA, T. G., STRUCHINER, M. A. Pesquisa Baseada em Design em Artigos Científicos Sobre o Uso de Ambientes de Aprendizagem Mediados Pelas Tecnologias da Informação e da Comunicação no Ensino de Ciências. Alexandria, v. 3, n. 1, 2010.

RYOO, Kihyun, LINN, Marcia C. Designing automated guidance for concept diagrams in inquiry instruction. Journal Of Research In Science Teaching, [s.l.], v. 53, n. 7, p.1003-1035, 3 abr. 2016. Wiley. http://dx.doi.org/10.1002/tea.21321.

SALINAS LANCIOTTI, J. Las Prácticas de Física Básica en Laboratorios Universitarios. Tesis Doctoral. Universitat de València, 1994.

SANDOVAL, W. A., DANISZEWSKI, K. Mapping Trade-Offs in Teachers' Integration of Technology-Supported Inquiry in High School Science Classes. Journal Of Science Education And Technology, [s.l.], v. 13, n. 2, p. 161-178, jun. 2004. Springer Nature. http://dx.doi.org/10.1023/b:jost.0000031256.45142.e5.

SANTANA, Ronaldo Santos, FRANZOLIN, Fernanda. O ensino de Ciências por investigação e os desafios da implementação na práxis dos professores. Rencima: Revista de Ensino de Ciências e Matemática, [s.i.], v. 9, n. 3, p.218-237, 2018.

SANTOS, W. L. P. et al. Formação de professores: uma proposta de pesquisa a partir da reflexão sobre a prática docente. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, v. 8, n. 1, jul. 2006.

SAVERY, J. Overview of problem-based learning: definitions and distinctions. The Interdisciplinary Journal of Problem based Learning, v. 1, p. 9-20, 2006.

SCANLON, E. et al. How technology resources can be used to represent personal inquiry and support students' understanding of it across contexts. Journal Of Computer Assisted Learning, [s.l.], v. 27, n. 6, p. 516-529, 10 maio 2011. Wiley. http://dx.doi.org/10.1111/j.1365-2729.2011.00414.x.

SILVA, Bento Duarte da, ALVES, Elaine Jesus, PEREIRA, Isabel Cristina Auler. Do quadro negro ao Tablet: Desafios da docência na era digital. Revista Observatório, [s.l.], v. 3, n. 3, p. 532-560, 1 maio 2017. Universidade Federal do Tocantins. http://dx.doi.org/10.20873/uft.2447-4266.2017v3n3p532.

SILVA, Diego, SALES, Gilvandenys, CASTRO, Juscileide. A utilização do aplicativo Plickers como ferramenta na implementação da metodologia Peer Instruction. Revista Eletrônica Científica Ensino Interdisciplinar, [s.l.], v. 4, n. 12, p. 502-516, 30 nov. 2018. http://dx.doi.org/10.21920/recei72018412502516.

SILVA, J. B., SALES, G. L. Gamificação aplicada no ensino de Física: um estudo de caso no ensino de óptica geométrica. Acta Scientiae, Canoas, v. 19, n. 5, p. 782-798, set./out. 2017.

SILVA, J. B., SALES, G. L. Um panorama da pesquisa nacional sobre gamificação no ensino de Física. Tecnia, v. 2, p. 105-121, 2017.

SANTOS, W. L. P. et al. Integração da universidade com a escola fundamental e média e a educação continuada de professores. Participação, Revista do Decanato de Extensão da Universidade de Brasília, n. 2, p. 53-58, dez/1997.

SOUZA NETO, José Gregório de. A experimentação em Cinemática como facilitador da aprendizagem da Física no Ensino Médio. 2018. 125 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Mestrado Profissional de Ensino de Física (MNPEF), Programa de Pós-graduação em Ensino de Física, Universidade Federal do Vale do São Francisco, Juazeiro, 2018. Disponível em: <http://www1.fisica.org.br/mnpef/sites/default/files/dissertacao_josegregorio.pdf>. Acesso em: 04 jun. 2018.

STUDART, N. Simulação, games e gamificação no ensino de Física. In: SIMPÓSIO NACIONAL DE ENSINO DE FÍSICA, 21, 2015, Uberlândia. Anais... São Paulo: SBF, p.1-17, 2015.

SUN, Daner, LOOI, Chee-kit, XIE, Wenting. Collaborative Inquiry with a Web-Based Science Learning Environment: When Teachers Enact It Differently. Educational Technology & Society, [s. L.], v. 17, n. 4, p. 390-403, jun. 2014.

WILSEK, M., TOSIN, J. Ensinar e aprender ciências no ensino fundamental com atividades investigativas através da resolução de problemas. Estado do Paraná, v. 3, n. 5, 2012. Disponível em: <http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos>. Acesso em: 06 jun. 2018.

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1984.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2001.

Publicado
2019-10-07
Como Citar
SILVA, D. O.; MOURÃO, M. F.; SALES, G. L.; SILVA, B. D. Metodologias Ativas de Aprendizagem: relato de experiência em uma oficina de formação continuada de professores de Ciências. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 10, n. 5, p. 206-223, 7 out. 2019.
Seção
Artigos Gerais