Crime na mansão: uma oficina investigativa no ensino de Química

Palavras-chave: Ensino de Ciências, Ensino Médio, Experimentação Investigativa, Química Forense, Ácidos e Bases

Resumo

Este trabalho apresenta o desenho e as respectivas reflexões a respeito de uma experiência didática de elaboração de uma oficina de caráter investigativo realizada com alunos das séries do ensino médio de uma escola pública no interior do estado de São Paulo. A oficina “Investigações em Química”, proposta e executada pelos próprios professores de Química, teve por objetivo proporcionar aos alunos vivências com a experimentação investigativa, o fazer e o agir científico e a argumentação, na busca pelo desenvolvimento conceitual, atitudinal, procedimental e uma formação crítica do aluno. Estruturada em três momentos, contou com a participação de dez alunos que desenvolveram suas atividades seguindo as etapas do método investigativo, da elaboração de hipóteses às considerações finais, para desvendar um crime. Embora com poucas experiências em investigações, os estudantes alcançaram satisfatoriamente os objetivos, principalmente ao pensar-se no desenvolvimento dos conceitos científicos, da leitura e da escrita, da argumentação e suas próprias aprendizagens, uma vez que os estudantes foram convidados a refletir sobre o impacto de atividades experimentais em sua formação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renan Vilela Bertolin, Universidade Federal de São Carlos

Licenciando em Química pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Foi bolsista de Iniciação à Docência (PIBID) e Professor de Educação Básica - Química na Secretaria de Educação do Estado de São Paulo.

Caroindes Julia Corrêa Gomes, Universidade Federal de São Carlos

Licenciada em Química pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), mestre em Química pela mesma universidade, doutoranda em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação na UFSCar. Foi Professora de Educação Básica - Química na Secretaria de Educação do Estado de São Paulo.

Referências

ARAÚJO, M. S. T.; ABIB, M. L. V. S. Atividades experimentais no ensino de Física: diferentes enfoques, diferentes finalidades. Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 25, n. 2, p. 176-194, 2003.

AZEVEDO, L. B. S.; FIREMAN, E. C. Sequência de ensino investigativa: problematizando aulas de ciências nos anos iniciais com conteúdos de eletricidade. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 8, n. 2, p. 143-161, 2017.

AZEVEDO, M. C. P. Ensino por investigação: problematizando as atividades em sala de aula. In: CARVALHO, A. M. P. (Org.). Ensino de Ciências: unindo a pesquisa e a prática. 1. ed., São Paulo: Thomson, p. 19-33, 2004.

BARROSO, T. O desenvolvimento do discurso argumentativo por crianças do ensino fundamental: articulação e coordenação de sequências argumentativas no texto de opinião. Revista de Estudos Linguísticos Veredas, v. 11, n. 2, p. 101-117, 2007.

CAAMAÑO, A. Los trabajos prácticos en ciencias experimentales: una reflexión sobre sus objetivos y una propuesta para su diversificación. Aula de Innovación Educativa, v. 9, p. 61-68, 1992.

CAMPOS, M. C. C.; NIGRO, R. G. O ensino-aprendizagem como investigação. 1. ed. São Paulo: FTD, 1999.

DEL CARMEN, L. M. La investigación en el aula: análisis de algunos aspectos metodológicos. Investigación en la escuela, v. 1, p. 51-56, 1987.

GIBIN, G. B. Atividades experimentais investigativas como contribuição ao desenvolvimento de modelos mentais de conceitos químicos. 2013. 226 f. Tese (Doutorado em Química) – Departamento de Química, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2013.

GIBIN, G. B.; FERREIRA, L. H. Concepções de estudantes do ensino médio sobre atividades experimentais investigativas. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENSINO DE QUÍMICA, 17., 2014, Ouro Preto. Anais... Ouro Preto: UFOP, p. 848, 2014.

GIL-PÉREZ, D. New trends in science education. International Journal of Science Education, v. 18, n. 8, p. 889-901, 1996.

GIL-PÉREZ, D.; VALDÉS-CASTRO, P. La orientación de las prácticas de laboratorio como investigación: un ejemplo ilustrativo. Enseñanza de Las Ciencias, v. 14, n. 2, p. 155-163, 1996.

GONDIM, M. S.; MOL, G. S. Experimentos investigativos em laboratório de química fundamental. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS, 6., 2007, Florianópolis. Anais... Florianópolis: ABRAPEC, 2007.

GOUVEIA-MATOS, J. A. M. Mudanças nas cores dos extratos de flores e do repolho roxo. Química Nova na Escola, v. 10, p. 6-10, 1999.

GUIMARÃES, C. C. Experimentação no ensino de química: caminhos e descaminhos rumo à aprendizagem significativa. Química Nova na Escola, v. 31, n. 3, p. 198-202, 2009.

HARTWIG, D. R.; FERREIRA, L. H. Experimentação no ensino superior: a abordagem investigativa na formação inicial de professores. In: PIERSON, A. H. C.; SOUZA, M. H. A. (Orgs.). Formação de professores na UFSCar: concepção, implantação e gestão de projetos pedagógicos das licenciaturas. 1. ed. São Carlos: EdUFSCar, p. 229-242, 2010.

HERRÓN, M. D. The nature of science enquiry. The School Review, v. 79, n. 2, p. 171- 212, 1971.

JIMÉNEZ VALVERDE, G.; LLOBERA JIMÉNEZ, R.; LLITJÓS VIZA, A. La atención a la diversidad en las prácticas de laboratorio de química: los niveles de abertura. Investigación Didáctica, v. 24, n. 1, p. 59-70, 2006.

KASSEBOEHMER, A. C. O método investigativo em aulas teóricas de química: estudo das condições da formação do espírito científico. 2011. 180 f. Tese (Doutorado em Química) – Departamento de Química, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2011.

KASSEBOEHMER, A. C.; GUZZI, M. E. R.; FERREIRA, L. H. Participação de estudantes em atividades investigativas: a influência do ambiente escolar para a motivação. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENSINO DE QUÍMICA, 16, 2012, Salvador. Anais... Salvador: UFBA, 2012.

KASSEBOEHMER, A. C.; FERREIRA, L. H. Elaboração de hipóteses em atividades investigativas em aulas teóricas de química por estudantes do ensino médio. Química Nova na Escola, v. 35, n. 3, p. 158-165, 2013.

KASSEBOEHMER, A. C.; HARTWIG, D. R.; FERREIRA, L. H. Contém Química 2: pensar, fazer e aprender pelo método investigativo. 1. ed., São Carlos: Pedro & João Editores, 2015.

KEMCZINSKI, A. R. et al. Atividades investigativas: a formação de professores no contexto da EJA. Crítica Educativa, v. 3, n. 3, p. 214-229, 2017.

KOSMINSKY, L.; GIORDAN, M. Visões de ciências e sobre cientistas entre estudantes do ensino médio. Química Nova na Escola, v. 15, p. 11-18, 2002.

MORTIMER, E. F.; SCOTT, P. Atividade discursiva nas salas de aula de ciências: uma ferramenta sociocultural para analisar e planejar o ensino. Investigações em Ensino de Ciências, v. 7, n. 3, p. 283-306, 2002.

OLIVEIRA, J. R. S. Contribuições e abordagens das atividades experimentais no ensino de ciências: reunindo elementos para a prática docente. Actia Scientiae, v. 12, n. 1, p. 139-153, 2010.

OLIVEIRA, R. C. Química e cidadania: uma abordagem a partir do desenvolvimento de atividades investigativas. 2009. 138 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Centro de Educação e Ciências Humanas, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2009.

SILVA, I.; VASCONCELOS, T. N. H.; AMARAL, C. L. C. Aplicação de uma atividade experimental investigativa para o ensino de tratamento de água. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 9, n. 1, p. 50-59, 2018.

SUART, R. C. Habilidades cognitivas manifestadas por alunos do ensino médio de química em atividades experimentais investigativas. 2008. 128 f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências) – Programa de Pós-Graduação Interunidades em Ensino de Ciências, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008.

SUART, R. C.; MARCONDES, M. E. R. As habilidades cognitivas manifestadas por alunos do ensino médio de química em uma atividade experimental investigativa. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, v. 8, n. 2, p. 1-22, 2008.

VIEIRA, R. D.; MELO, V. F.; BERNARDO, J. R. R. O júri simulado como recurso didático para promover argumentações na formação de professores de física: o problema do “gato”. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, v. 16, n. 3, p. 203-225, 2014.

ZANCUL, M. C. S. O ensino de ciências e a experimentação: algumas reflexões. In: PAVÃO, A. C.; FREITAS, D. (Orgs.). Quanta ciência há no ensino de Ciências. 1. ed. São Carlos: EdUFSCar, p. 63-68, 2008.

ZANON, D. A. V. Ensinar e aprender ciências no ensino fundamental com atividades investigativas: enfoque no projeto ABC na Educação Científica – Mão na Massa. 2005. 219f. Tese (Doutorado em Educação) – Centro de Educação e Ciências Humanas, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2005.

ZOMPERO, A. F.; LABURU, C. A. Implementação de atividades investigativas na disciplina de ciências em escola pública: uma experiência didática. Investigações em Ensino de Ciências, v. 17, n. 3, p. 675-684. 2012.

Publicado
2019-10-07
Como Citar
BERTOLIN, R. V.; GOMES, C. J. C. Crime na mansão: uma oficina investigativa no ensino de Química. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 10, n. 5, p. 100-118, 7 out. 2019.
Seção
Artigos Gerais