Ludicidade como mediação pedagógica: desenvolvimento de um projeto voltado ao ensino de Química

  • Christina Vargas Miranda Carvalho Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiano – Campus Urutaí
  • Joceline Maria da Costa Soares Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiano – Campus Urutaí
  • Renan Bernard Gléria Caetano Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiano – Campus Urutaí
  • Luciana Aparecida Siqueira Silva Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiano – Campus Urutaí
Palavras-chave: Atividades Lúdicas, Jogos, Ensino de Química, Formação Docente

Resumo

O presente texto tem por finalidade relatar as atividades executadas em um projeto voltado à ludicidade no ensino de Química, desenvolvido com os alunos do Ensino Médio de uma escola pública, conveniada ao Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (Pibid). O projeto foi realizado em cooperação com o Programa de Consolidação das Licenciaturas (Prodocência), sendo uma das ações propostas a partir do diagnóstico da realidade escolar, no intuito de promover aulas diferenciadas, proporcionado uma maior motivação entre os alunos no ensino de Química. As atividades foram mediadas pelos pibidianos que elaboraram e construíram jogos e atividades lúdicas para alunos de diferentes séries. Os conteúdos de Química abordados nas atividades foram: 1ª série (Tabela Periódica e Ligações Químicas), na 2ª série (Termoquímica, Tabela Periódica e Ligações Químicas) e na 3ª série (Funções Orgânicas). A partir disso, verificamos por meio de um questionário, que atividades desta natureza favorecem a interação entre sujeitos (alunos, pibidianos e professores) e proporcionam a aprendizagem do conteúdo por meio da diversão. Enfatizamos que as atividades promoveram aperfeiçoamentos de conceitos, desenvolvimento de habilidades e construção do conhecimento. Reconhecemos assim que, a execução desse projeto nos revela que é possível aprender Química por meio da ludicidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Christina Vargas Miranda Carvalho, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiano – Campus Urutaí

Docente do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiano – Campus Urutaí; Licenciada e Especialista em Química; Mestra em Ciências; Doutoranda em Educação em Química. Coordenadora de área do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (Pibid/Capes - subprojeto Química) e integrante do Programa de Consolidação das Licenciaturas (Prodocência/Capes).

Joceline Maria da Costa Soares, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiano – Campus Urutaí

Acadêmica do curso de Licenciatura em Química do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiano - Campus Urutaí; Graduada em Tecnologia em Gestão Ambiental e Mestra em Conservação dos Recursos Naturais do Cerrado pela mesma instituição. Integrante do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (Pibid/Capes - subprojeto Química) e do Programa de Consolidação das Licenciaturas (Prodocência/Capes).

Renan Bernard Gléria Caetano, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiano – Campus Urutaí

Acadêmico do curso de Licenciatura em Química do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiano - Campus Urutaí; Integrante do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (Pibid/Capes - subprojetos Química e Interdisciplinar) e do Programa de Consolidação das Licenciaturas (Prodocência/Capes).

Luciana Aparecida Siqueira Silva, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiano – Campus Urutaí

Docente do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiano – Campus Urutaí; Licenciada em Ciências Biológicas; Especialista e Mestra em Biologia; Doutoranda em Educação. Coordenadora de área do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (Pibid/Capes - subprojeto Interdisciplinar) e integrante do Programa de Consolidação das Licenciaturas (Prodocência/Capes).

 

Referências

BERGAMO, M. Uso de metodologias diferenciadas em sala de aula: uma experiência no Ensino Superior. Revista Eletrônica Interdisciplinar, v. 2, n. 4, p. 1-10, 2010.

CABRERA, W. B.; SALVI, R. A ludicidade no Ensino Médio: aspirações de pesquisa numa perspectiva construtivista. In: V Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências – ENPEC. Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – UNESP. Bauru, SP, 2005.

CARVALHO, C. V. M.; SILVA, L. A. S.; OLIVEIRA, N. C.; CARVALHO, R. Pibid e Prodocência: diálogos (trans)formadores da profissão docente. Crítica Educativa, v. 3, n. 2, p. 401-412, 2017.

CARVALHO, H. W. P.; BATISTA, A. P. L.; RIBEIRO, C. M. Ensino e Aprendizado de Química na Perspectiva Dinâmico-Interativa. Revista Experiências em Ensino de Ciências, v. 2, n. 3, p. 34-47, 2007.

CASTOLDI, R.; POLINARSKI, C. A. A Utilização de Recursos Didático-Pedagógicos na Motivação da Aprendizagem. In: I Simpósio Nacional de Ensino de Ciência e Tecnologia- SINECT. Universidade Tecnológica Federal do Paraná – UTFPR. Ponta Grossa-PR, p. 684-692, 2009.

CASTRO, D. F.; TREDEZINI, A. L. M. A importância do jogo/lúdico no processo de ensino-aprendizagem. Revista Perquirere, v. 11, n. 1, p. 166-181, 2014.

CHAGURI, J. P. O uso de atividades lúdicas no processo de ensino/aprendizagem de espanhol como língua estrangeira para aprendizes brasileiros. Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP. Campinas, SP, 2006. Disponível em: http://www.unicamp.br/iel/site/alunos/publicacoes/textos/u00004.htm. Acesso em 18 de abril de 2018.

CUNHA, M. B. Jogos no Ensino de Química: considerações teóricas para sua utilização em sala de aula. Química Nova na Escola, v. 34, n. 2, p. 92-98, 2012.

GOIÁS. Secretaria Estadual de Educação. Currículo Referência da Rede Estadual de Educação de Goiás. Goiânia: SEE, 2013, 380 p. Disponível em: http://docplayer.com.br/2371070-Curriculo-referencia-da-rede-estadual-de-educacao-de-goias.html . Acesso em: 17 de abril de 2018.

GOMES, M. G.; ALENCAR, F. M. S.; DIÓGENES, D. O.; FREITAS, A. D. L.; MATIAS, D. P. Confecção de histórias em quadrinhos na melhoria do aprendizado de química no ensino médio. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 8, n. 2, p. 28-38, 2017.

KISHIMOTO, T. M. O jogo e a educação infantil. Perspectiva, n. 22, p. 105-128, 1994.

MARISCAL, A. J. F.; IGLESIAS, M. J. Soletrando o Brasil com símbolos químicos. Química Nova na Escola, v. 31, n. 1, p. 31-33, 2009.

MELO, C. M. R. As atividades lúdicas são fundamentais para subsidiar ao processo de construção do conhecimento. Información Filosófica, v. 2, n. 1, p. 128-137, 2005.

MELO, D. J. F.; JUNQUEIRA M. P. A importância do diagnóstico da realidade dos alunos para o planejamento das atividades do Pibid. In: II Encontro Interinstitucional do PIBID/UFU/UFTM. Universidade Federal de Uberlândia - UFU, Universidade Federal do Triângulo Mineiro - UFTM. Uberlândia, MG, 2012.

MOZZ, S.; MACHADO, G.; ARIOTTI, J. A.; VIECELI, G. O Pibid e a dinamização de atividades lúdicas para a aprendizagem dos alunos da Educação Básica. In: V Seminário Institucional do PIBID. Universidade do Oeste de Santa Catarina – Unoesc. Joaçaba: SC, p. 53, 2016.

NEITZEL, A. A.; FERREIRA, V. S.; COSTA, D. Os Impactos do PIBID nas Licenciaturas e na Educação Básica. CONJECTURA: Filosofia e Educação, v. 18, n. especial, p. 98-121, 2013.

PIRES, R. O.; ABREU, T. C.; MESSEDER, J. C. Proposta de ensino de química com uma abordagem contextualizada através da história da ciência. Revista Ciência em Tela, v. 3, n. 1, p. 1-10, 2010.

SANTANA, E. M.; REZENDE, D. de B. O Uso de Jogos no ensino e aprendizagem de Química: Uma visão dos alunos do 9º ano do ensino fundamental. In: XIV Encontro Nacional de Ensino de Química - ENEQ. Universidade Federal do Paraná - UFPR. Curitiba, PR, p. 1-10, 2008.

SANTOS, D. M.; NAGASHIMA, L. A. Potencialidades das atividades experimentais no ensino de química. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 8, n. 3, p. 94-108, 2017.

SILVA, B.; CORDEIRO, M. R.; KIILL, K. B. Jogo didático investigativo: uma ferramenta para o ensino de Química Inorgânica. Química Nova Escola, v. 37, n. 1. p. 27-34, 2015.

SOARES, J. M. C.; CARVALHO, C. V. M.; SILVA, L. A. S.; MOREIRA, D. A.; SANTOS, J. C. C.; COTA, G.S. C. Diagnóstico da Realidade Escolar como Instrumento Norteador de Ações do Programa Institucional de Iniciação à Docência (Pibid). Itinerarius Reflectionis, v. 12, n. 1, p. 1-12, 2016.

SOARES, M. H. F. B. Jogos e Atividades Lúdicas para o Ensino de Química. 2 ed., v. 1. Goiânia: Kelps, 2015. 196p.

SOARES, M. H. F. B.; CAVALHEIRO, E. T. G. O Ludo Como um Jogo para Discutir Conceitos em Termoquímica. Química Nova na Escola, n. 23, p. 27-31, 2006.

SOUZA, H. Y. S.; SILVA, C. K. O. Dados Orgânicos: um Jogo Didático no Ensino de Química. HOLOS, v. 3, n. 28, p. 107-121, 2012.

ZANON, D. A. V.; GUERREIRO, M. A. S.; OLIVEIRA, R. C. Jogo didático Ludo Químico para o ensino de nomenclatura dos compostos orgânicos: projeto, produção, aplicação e avaliação. Ciências & Cognição, v. 13, n. 1, p. 72-81, 2008.

Publicado
2019-10-07
Como Citar
CARVALHO, C. V. M.; SOARES, J. M. DA C.; CAETANO, R. B. G.; SILVA, L. Ludicidade como mediação pedagógica: desenvolvimento de um projeto voltado ao ensino de Química. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 10, n. 5, p. 191-205, 7 out. 2019.
Seção
Artigos Gerais