Conhecimentos de alunos de Iniciação Científica Júnior sobre procedimentos em Ciência

  • Andreia Freitas Zompero Universidade Norte do Paraná e Universidade Estadual de Londrina
  • Cinthia Hock Batista Souza Universidade Norte do Paraná
  • Tiago Henrique dos Santos Garbim Universidade Norte do Paraná
  • Diliane Barichelo Barichelo Universidade Norte do Paraná
Palavras-chave: Ensino de Ciências, Iniciação Científica, Procedimentos em Ciências

Resumo

A aprendizagem de procedimentos da ciência tem sido incentivado por propostas educacionais nacionais e internacionais. Uma iniciativa que tem se tornado frequente para atender essa finalidade é a inserção dos alunos em projetos de Iniciação Cientifica Jr. Neste estudos temos por objetivo investigar a compreensão sobre procedimentos realizados em ciência de alunos participantes de um projeto de Iniciação Científica Jr, como entendimento sobre o problema pesquisado, emissão de hipótese, planejamento da investigação e registro de dados. Os alunos responderam a quarto perguntas com base a uma situação-problema apresentada. As respostas dos estudantes classificadas em “totais”, “parcias” e “nulas”, conforme Programme for International Student Assessment. Os alunos tiveram melhor desempenho quanto à emissão e confronto de hipóteses.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AGUERRI, M.; BRAVO-TORIJA, B. El uso de pruebas en la resolución de problemas reales em 4º de ESO: ¿debemos dragar el río Ebro? Revista Eureka sobre Enseñanza y Divulgación de las Ciencias, Barcelona, v. 14, n. 2, p. 302–316, 2017.

AUSTRALIAN COUNCIL FOR EDUCATION RESEARCH (ACER). 19 Prospect Hill Road. Camberwell, Victoria, 3124, 2007.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, 2017.

BRASIL, Ministério da Educação. PCN+ Ensino médio: Orientações. 2002. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/CienciasNatureza.pdf. Acesso em: 29 jun 2018.

BRASIL, Orientações Curriculares para o Ensino Médio. Linguagens, Códigos e suas Tecnologias. 2006. Disponível em http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/book_volume_01_internet.pdf. Acesso em:29 de junho de 2018.

CARVALHO, A. M. P. Las practices experimentales en el proceso de enculturación cientifica. In: Gatica, M. Q.; Adúriz-Bravo, A. (Eds). Enseñar ciencias en el nuevo milenio: retos e propuestas. X.ed. Santiago: Universidade Católica de Chile, 2006.

COSTA, W. L; ZOMPERO, A. F. A Iniciação científica no Brasil e sua propagação no Ensino Médio. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, São Paulo, v. 8, n. 1, p. 14-25, 2017. Disponível em: http://revistapos.cruzeirodosul.edu.br/index.php/rencima/issue/view/62/showToc. Acesso em 18.jan 2018.

DIAZ, M. T. T; CUELLAR,Z. Implementacion de algunos contenidos procedimentales em la ensenãnza del contenido conceptual: célula Ysus características para el reconocimiento de los seres vivos, com estudientes de grado sexto de la instituicion educativa técnico superior de Neiva-Huila. In: II Congreso Nacional de Investigación en Enseñanza de la Biología. 2012, Anais [...]. Bogotá, 2012. Disponível em: https://doi.org/10.17227/20271034.vol.0num.0bio-grafia505.514. Acesso em: 11 de agosto de 2018.

FERREIRA, P. M.; JUSTI, R. Modelagem e o “fazer ciência”. Química Nova na Escola, v. 28 , 2008. Disponível em http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc28/08-RSA-3506.pdf. Acesso em: 13 maio 2018.

INEP -Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anisio Teixeira (2015). PISA 2006: Relatório Nacional. Apresentação. Brasília, Disponível em: http://download.inep.gov.br/download/internacional/pisa/Relatorio_PISA2006.pdf. Acesso em 20 de maio de 2018.

LEDERMAN, N. G. Research on Nature of Science: reflections on the past, antecipations, oh the future. Asia Pacific Forum on Science, Learning and Teaching, v. 7, n. 1, 2006.

NATIONAL RESEARCH COUNCIL (NRC). Inquiry and the national science education standards: a guide for teaching and learning. New York: National Academy Press. 2000

NATIONAL RESEARCH COUNCIL (NRC). A Framework for K-12 Science Education: Practices, Crosscutting Concepts, and Core Ideas. Washington, DC: The National Academies Press, 2012.

NEXT GENERATION SCIENCE STANDARDS -NGSS For states, by states. Washington: National Academies Press. 2012.

NUNES, T. S; MOTOKANE, M. T. Análise de hipóteses escritas na solução de problemas em sequências didáticas investigativas. Revista Educacion em Biologia, v. 20, n. 1, p. 72-86, 2017. Disponível em: http://www.revistaadbia.com.ar/ojs/index.php/adbia/article/viewFile/450/pdf. Acesso em: 11 mar 2018.

OECD-PISA. (2015). Draft Science Framework. Paris, 2013. Paris. Disponível em: http://www.oecd.org/pisa/pisaproducts/Draft%20PISA%202015%20Science%20Framewor k%20.pdf. Acesso em: 19 de março de 2018

OSBORNE, J. F.; RATCLIFFE, M.; COLLINS, S.; MILLAR, R.; DUSCHL, R. What ideas-aboutscience‟ should be taught in school science? A Delphi study of the „Expert‟ Community. Journal of Research in Science Teaching, v. 40, n. 7, p. 692–720, 2003.

OLSON, S; LOUCKS-HORSLEY, S.. Inquiry and the National Science Education Standards: A Guide for Teaching and Learning. Washington DC: National Academy Press, 2000

PEDASTE, M.; MAEOTS, M.; SIMAN, L. A.; JONG, T.; SISWA, A. N.; RIESEN, V.; KAMP, E. I.; MANOLI, C. C.; TSOURLIDAK, E. Phases of inquiry basead learning: definitions and the inquiry cycle. Educational Research Review, v. 14, p. 47-61, 2015.

PRAIA, J; CACHAPUZ, A; GIL-PEREZ, D. A hipótese e a experiência científica em educação em ciências: contributos para uma reorientação epistemológica. Ciência & Educação, Bauru, v. 8, n. 2, p. 253-262, 2002. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ciedu/v8n2/09.pdf .Acesso em: 11 mar 2018.

PRO, A. ¿ Se podem enseñar contenidos procedimentales em clases de ciências? Enseñanza de las Ciências, v. 16, n. 1, p. 21-41, 1998.

POZO, J. I.; CRESPO, M. A. G. A Aprendizagem e o ensino de Ciências: do conhecimento cotidiano ao científico. Porto Alegre: Artmed, 2008.

SANTANA, R.S; FRANZOLIN, F. O ensino de ciências por investigação e o desafio na práxis dos professores. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, São Paulo, v. 9, n. 3, p. 218-237, 2018. Disponível em: http://revistapos.cruzeirodosul.edu.br/index.php/rencima/article/view/1427/1010. Acesso em: 30 jun 2018.

SASSERON, L. H. Alfabetização científica, ensino por investigação e argumentação: relações entre ciências da natureza e escola. Revista Ensaio, Belo Horizonte, v. 17 n. especial, p. 49-67, 2015.

SASSERON, L. H.; CARVALHO, A. M. P. Alfabetização científica: uma revisão bibliográfica. Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 16, n. 1, p. 59-77, 2011. Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/844768/mod_resource/content/1/SASSERON_CA RVALHO_AC_uma_revis%C3%A3o_bibliogr%C3%A1fica.pdf. Acesso em 22 maio 2018.

SUART, R. C.; MARCONDES, M. E. R. Atividades experimentais investigativas: habilidades cognitivas manifestadas por alunos do ensino médio. In: XIV ENCONTRO NACIONAL DE ENSINO DE QUÍMICA, 14., 2018, Curitiba. Anais [...]. Curitiba: Universidade Federal do Paraná, 2018.. Disponível em: http://www.quimica.ufpr.br/eduquim/eneq2008/resumos/R0342-1.pdf Acesso em 13 maio 2018.

SURIF, J; IBRAHIM, N. H; MOKHTAR, M. Conceptual and procedural knowledge in problem solving. Procedia - Social and Behavioral Sciences v. 56, n. 8, p. 416-425, 2012. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S187704281204133X. Acesso em: 29 jun 2018.

TYTLER, R. Re-imagining Science education. Australian Council for Education Research – ACER, 2007.

UNESCO. A ciência para o século XXI: uma nova visão e uma base de ação. Brasília DF. UNESCO. 2003.

ZOMPERO, A. F. Z.; FIGUEIREDO, H. R. S.; GARBIM, T. H. S. Estudo das habilidades cognitivas de estudantes da Educação Básica em atividades de investigação sobre identificação do amido em alimentos. Revista de Educación en Biología, Córdoba, v. 20, n. 1, p. 56-71, 2017.

Publicado
2019-01-01
Como Citar
ZOMPERO, A.; SOUZA, C.; GARBIM, T.; BARICHELO, D. Conhecimentos de alunos de Iniciação Científica Júnior sobre procedimentos em Ciência. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 10, n. 1, p. 48-64, 1 jan. 2019.
Seção
Artigos Gerais