Análise da percepção ambiental e sua contribuição para preservação dos manguezais

Palavras-chave: Percepção ambiental, . Ensino fundamenta, Manguezal

Resumo

Para que seja possível uma mudança de pensamentos e atitudes da sociedade em relação ao seu meio natural, faz-se necessário buscar alternativas que contemplem tal transformação, objetivando fazer um resgate das relações de afetividade do homem com a natureza. Assim, o objetivo do presente trabalho é investigar os saberes prévios dos alunos de uma escola do municipio de Sergipe, afim de contribuir para a conservação ambiental dos manguezais. Foi solicitado aos alunos do 6º ano ,na disciplina de Ciências ,que representassem o manguezal através de desenhos e redações, no intuito de avaliar o nível de percepção ambiental e de que maneira o ecossistema em questão é visto por esses discentes. A análise foi feita através de categorização temática, permitindo a sistematização e interpretação das informações contidas nos desenhos e redações sobre os temas mais citados pelos alunos. Constatou-se que a paisagem afeta o indivíduo e vice-versa, através de diversidades de interpretações positivas e negativas, com algumas visões distorcidas e depreciativas quanto ao ecossistema manguezal. Os resultados revelam a necessidade de se fazer uma abordagem mais integradora e sistêmica dos assuntos discutidos em sala de aula, revelando a urgência de rever os métodos e práticas empregados durante o processo de ensino.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALVES, S. N. Ecofisiologia do manguezal. Organização Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos. Aracaju: DEGRASE, 2008. 72 p.

BARCELOS, V. Educação ambiental: sobre princípios, metodologias e atitudes. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 2012. 120 p

CINTRÓN, G.; SCHAEFFER-NOVELLI, Y. Proposta para estudo dos recursos de marismas e manguezais. Relatório Interno do Instituto Oceanográfico da USP, São Paulo, n. 10, p. 1-13, 1981.

DIAS, G.F. Educação ambiental: princípios e práticas. 5ª ed. São Paulo: Gaia, 2010.

DIAS, T. L. P. Os peixes, a pesca e os pescadores da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Ponta do Tubarão (Macau-Guamaré/RN) Brasil. 2006. 167 f. Tese (Doutorado em Zoologia) -Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas, Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2006

FIGUEIRAS, T. S. Biofilia versus Biofobia.(2008) Disponível em:

<http://docs.google.com/gview?a=v&q=cache:D5OpuLjPCUAJ:www.mphp.org/index2.php

%3Foption%3Dcom_content%26do_pdf%3D1%26id%3D158+biofilia&hl=pt-BR> Acessado em19/06/2016.

FRATTOLILLO, A. B. R.; MOROZESK, R. S.; AMARAL, I. Quando o contexto social e ambiental do ecossistema manguezal invade a escola: experiência de construção coletiva de programa de educação ambiental e ecoturismo em escolas de Santa Cruz e Mangue-seco. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE GEÓGRAFOS, 4., 2004, Goiânia.

Anais... Rio de Janeiro: UERJ, 2004. 7 p.

KOZEL, S.; GALVÃO, W. Representação e ensino de geografia: contribuições teórico- metodológicas. Ateliê Geográfico, v. 2, n. 3, p. 33-48, 2008.

LIMA, Ozanir R. de; ROSA, Odelfa. Percepção e topofilia: relações e sentimentos sobre a paisagem da cidade de Catalão (GO). SIMPÓSIO DE ESTUDOS URBANOS, 2., 2013, Curitiba. Anais... Curitiba: Universidade Estadual do Paraná, 2013.

MARANDOLA, J. A. M. S.; OLIVEIRA, L. Desenhos e mapas: representações e imagens do urbano. In: ENCONTRO DE GEÓGRAFOS DA AMÉRICA LATINA XI EGAL, 11., 2007,

Bogotá. Anais... Bogotá: Universidade Nacional de Colômbia, mar. 2007. Disponível em:

<http://observatoriogeograficoamericalatina.org.mx/egal11/Nuevastecnologias/Cartografiat ematica/03.pdf>. Acesso em: 8 fev. 2015.

MIRAS, M. O ponto de partida para a aprendizagem de novos conteúdos: os conhecimentos prévios. In: COLL, C. (Org.). O construtivismo em sala de aula. São Paulo: Editora Ática, 2006. p. 57-76

SANTOS, A; VASCONCELOS, C. Percepção ambiental e mapas mentais: um diagnóstico dos alunos acerca do ecossistema manguezal. Revista da Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Mato Grosso, v. 5, n. 2, p. 344-359, jul/dez. 2017.

SILVA, A.G.S.; RODRIGUES, C.S.L.; ARAÚJO, R.R.L. Projeto Calypso: Educação

ambiental no complexo estuarino-lagunar Mundaú-Manguaba, Alagoas. Boletim de Estudos de Ciências do Mar, Maceió, n. 12, p. 99-111, 2002.

TORRES, D. F.; OLIVEIRA, E. S.; ALVES, R. R. N.; VASCONCELLOS, A. Etnobotânica e

etnozoologia em unidades de conservação: uso da biodiversidade na APA de Genipabu, Rio Grande do Norte, Brasil. Interciência, v. 34, n. 9, p. 623-629, 2009.

TUAN, Y. Ambiguidade nas atitudes para com o meio ambiente. Boletim geográfico. Rio de Janeiro: IBGE, 1974. 120 p.

TUAN, Y. Espaço e lugar: a perspectiva da experiencia. São Paulo: Difel, 1983. 248 p.

TUAN, Y. Topofilia: estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. New Jersey: DIFEL, 1980.

WILSON, E. O. Biophilia. Cambridge: Haward University Press, 1984.

Publicado
2020-05-05
Como Citar
DOS SANTOS, A. Análise da percepção ambiental e sua contribuição para preservação dos manguezais. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 11, n. 3, p. 56-68, 5 maio 2020.
Seção
Artigos Gerais