O ensino de gráficos estatísticos nos Anos Iniciais

  • Maria Niedja Pereira Martins Instituto de Educação da Universidade de Lisboa https://orcid.org/0000-0001-7288-9206
  • Carolina Fernandes de Carvalho Instituto de Educação da Universidade de Lisboa
Palavras-chave: Educação Estatística, Ensino de Gráficos, Professores dos Anos Iniciais

Resumo

O objetivo do presente estudo é compreender como o ensino com gráficos estatísticos vêm sendo proposto nas aulas de Estatística dos anos iniciais do Ensino Fundamental. O estudo foi realizado em 5 escolas da Região Metropolitana do Recife – Pernambuco – Brasil. Participaram 22 professores dos anos iniciais, os quais responderam a um questionário misto e uma entrevista semiestruturada que identificou: os tipos de gráficos escolhidos para as aulas, as competências de compreensão dos gráficos priorizadas pelos professores e, as abordagens de ensino da Estatística evidenciadas quando recorrem a essas representações. A partir de uma análise de conteúdo encontramos que o gráfico de barras é o mais frequente na sala de aula e que tal utilização pode estar associada a uma concepção de facilidade de construção e grande visibilidade desse tipo de representação nos meios de comunicação e livros didáticos. As abordagens de ensino adotadas presam a exploração de etapas do tratamento da informação e em pouca medida a investigação sobre os dados. Em tais abordagens são priorizados os processos de compreensão principalmente por meio da leitura de gráficos e em menor medida da construção e interpretação de gráficos. Esses resultados alertam-nos para a necessidade de os professores considerarem as tecnologias e suas potencialidades no trabalho com essas representações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALVES, I. M. A interpretação de gráficos em um ambiente computacional por alunos de uma escola rural do município de Caruaru-PE. 2011. 165f. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática e Tecnológica) Programa de Pós-graduação em Educação Matemática e Tecnológica – EDUMATEC/UFPE. Recife, 2011.

ARTEAGA, P.; BATANERO, C.; DÍAZ, C.; CONTRERAS, J. M. El lenguage de los gráficos estadísticos. Revista Iberoamericana de Educación Matemática - UNION, v.18, p. 93-104. Jun. 2009.

ARTEAGA, P. Evaluación de conocimientos sobre gráficos estadísticos y conocimientos didácticos de futuros profesores. 2011. 415f. Tese (Doutorado em Didática da Matemática) - Universidade de Granada, Departamento de Didática da Matemática, Espanha, 2011.

ARTEAGA, P.; BATANERO, C.; CAÑADAS, G.; CONTRERAS, J. M. Las tablas y gráficos estadísticos como objetos culturales. Revista de Didáctica de las Matemáticas, v. 76, p. 55-67, Maio, 2011.

ARTEAGA, P.; BATANERO, C.; CONTRERAS, J. M.; CAÑADAS, G. Evaluación de errores en la construcción de gráficos estadísticos elementales por futuros profesores Revista Latinoamericana de Investigación en Matemática Educativa - Relime, v. 19, n. 1, p. 15- 40, 2016.

ASSEKER, A. A. f. O uso do TinkerPlots para exploração de dados por Professores de escolas rurais. 2011. 156f. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática e Tecnológica) Programa de Pós-graduação em Educação Matemática e Tecnológica – EDUMATEC/UFPE. Recife, 2011.

BATANERO, C. Y DÍAZ, C. Análisis de datos con Statgraphics. Granada: Departamento de Didáctica de la Matemática. 2008.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70. 2011.

BORELLI, S.; PACHECO, D.; PIRES, C. Professores do 1º ano que ensinam Matemática no Ensino Fundamental da rede estadual de São Paulo: uma possibilidade de mudança na prática a partir da formação. REnCiMa, Edição Especial: Educação Matemática, v.7, n.4, p. 49-62, 2016.

CAMPOS, C.R.; WODEWOTZKI, M.L.L.; JACOBINI, O. Educação estatística: teoria e prática em ambientes de modelagem matemática. Belo Horizonte: Autêntica. 2011.

CAMPÊLO, S. R. C. E CARVALHO, L. M. T. L. Software educativo para o ensino de estatística: analisando possibilidades a partir da interpretação de gráficos. In ENCONTRO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA, 11, 2013, Curitiba. Anais... Curitiba, 2013, p. 1-15.

CARVALHO, C. F. Reflexões em torno do ensino e da aprendizagem da Estatística. In ENCONTRO DE PROBABILIDADES E ESTATÍSTICA NA ESCOLA, 2., 2009, Braga. Atas… Braga: Universidade do Minho, 2009, p. 22-36.

CAVALCANTI, M.R.G.; NATRIELLI, K.R.B.; GUIMARÃES, G.L. Gráficos na mídia impressa. Bolema, v. 23, n. 36, p. 733-751, ago. 2010.

CAZORLA, I. M. A relação entre a habilidade viso-pictórica e o domínio de conceitos estatísticos na leitura de gráficos. 315f. Tese (Doutorado em Educação). Universidade Estadual de Campinas, Campinas-SP, 2002.

CORRÊA, A. A. Saberes docentes e o ensino da estatística: considerações sobre a ação pedagógica. v. 20, n. 2, Espaço Pedagógico. Passo Fundo, p. 351-367, jul./dez. 2013.

DÍAZ-LEVICOY, D.; ARTEAGA, P.; BATANERO, C. Investigaciones sobre gráficos estadísticos en Educación Primaria: revisión de la literatura. Revista digital Matemática, Educación e Internet. v. 18, N 1. Ago/fev., p-1-12. 2017.

EUGÊNIO, R.S; CARVALHO, L.M.T.L; JÚNIOR, J. R. C.; MONTEIRO, C.E.F. O uso do Software TinkerPlots na Interpretação de Gráficos. In: II Congresso sobre Tecnologias na Educação, 2017, Anais... Paraíba: Universidade Federal da Paraíba - Campus IV Mamanguape, 2017.

GAL, I. Adults’ Statistical Literacy: Meanings, Components, Responsabilities. Internacional Statistical Review. v. 70, n. 1, p.1-51, 2002.

GITIRANA, J. M. de A. C.; GUERRA, S. E. M. S.; SELVA, A. C. V. Professores construindo e interpretando gráficos de barras: um estudo exploratório. 2005. 25f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Pedagogia) - Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2005.

GUIMARÃES, G.; GITIRANA V.; MARQUES, M.; CAVALCANTI, M. Educação estatística na educação infantil e nos anos iniciais. ZETETIKÉ, v. 17, n. 32, p. 11-28. 2009.

GUIMARÃES, G. Estatística nos anos iniciais. Salto para o Futuro: Estatística e combinatória no ciclo de alfabetização, Ano XXIV, Boletim 6, p.19-23, 2014.

HENRIQUES, A.; OLIVEIRA, H. Investigações estatísticas: um caminho a seguir? Educação e Matemática, 120, p. 3 – 8, 2012.

HUTCHISON, L.; ELLSWORTH, J.; YOVICH, S. Third-grade students investigate and represent data. Early Childhood Education Journal, v. 27, n. 4, p.213-218, 2000.

LIRA, O. C. T; MONTEIRO, C. E. F. Interpretação de Dados a partir da Utilização de Ferramentas do Software TinkerPlots. Boletim de Educação Matemática, v. 24, n. 40, dez., 2011, p. 765-788.

LOPES, A. R. L. V.; SILVA, D. S. G.; VAZ, H. G. B.; FRAGA, L. P. Professoras que ensinam Matemática nos anos iniciais e sua formação. Linhas Críticas, v. 18, n. 35, p. 87-106, 2012.

MARTINS, M.N.P.; MONTEIRO, C.E.F.; QUEIROZ, T.N. Compreensões sobre amostra ao manipular dados no software TinkerPlots: um caso de uma professora polivalente. Revista Eletrônica de Educação, v. 7, n. 2, 317-342. 2013. ISSN 1982-7199.

MARTINS, M.N.P., CARVALHO, C.F. Reasons to choose a statistical graph: A study with teachers of elementary school. In: INTERNATIONAL CONFERENCE TURNING DATA INTO KNOWLEDGE: NEW OPPORTUNITIES FOR STATISTICS EDUCATION, 1., 2015, Lisboa. Proceedings... Lisboa, Portugal: Instituto de Educação da Universidade de Lisboa, 2015, p.126 - 127.

MARTINS, M. N.; CARVALHO, C. F. Gráficos Estatísticos e Complexidade Semiótica: um estudo com professores do Ensino Fundamental In: CONGRESO INTERNACIONAL VIRTUAL SOBRE EL ENFOQUE ONTOSEMIÓTICO DEL CONOCIMIENTO Y LA INSTRUCCIÓN MATEMÁTICOS, 2., 2017, Granada. Anais… Granada: Universidad de Granada, 2017, p. 1-10.

MARTINS, M. E.; PONTE, J.P. Organização e tratamento de dados. Lisboa: ME–DGIDC. 2010.

MONTEIRO, C. E. F. Interpretação de gráficos sobre economia veiculados pela mídia impressa. 1998, 133 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia Cognitiva) – Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 1998.

MONTEIRO, C. E. F. Interpretação de Gráficos: Atividade social e conteúdo de ensino. ANPED, 22ª Reunião Anual, Caxambu, 1999.

NCTM – National Council of Teachers of Mathematics - Principles and Standards for School Mathematics: Math Standards and Expectations. Disponível em: <http://www.nctm.org/standards/content.aspx?id=318>. Acesso em 10 jul. 2015.

QUEIROZ, T. N.; MONTEIRO, C. E. F.; CARVALHO, L. M. T. L.; FRANÇOIS, K. Interpretation of Statistical data: the importance of affective expressions. Statistics Education Research Journal, v.16, n. 1, p. 163-180, mai. 2017.

RAGENCROFT, M. Le rappresentazioni grafiche. Sviluppare una progresslone del lavoro. Induzioni, v. 4, n. 1, p. 1-3, 1992.

Rumsey, D. J. Statistical Literacy as a Goal for Introductory Statistics Courses. Journal of Statistics Education, v. 0, n. 3, p.6-13, 2002.

SHULMAN, L. S. Knowledge and teaching: Foundation of a new reform. Harvard Education Review, v. 57, n.1, 1-22, 1987.

SZYMANSKI, M. L. S.; MARTINS, J. B. J. Pesquisas sobre a formação matemática de professores para os anos iniciais do ensino fundamental. Educação, v. 40, n. 1, p. 136-146, jan.-abr. 2017.

WU, Y. Singapore secondary school students’ understanding of statistical graphs. In: INTERNATIONAL CONGRESS ON MATHEMATICAL EDUCATION, 10., 2004, Copenhagen. Atas.... Copenhagen, Denmark, 2004, p, 1-7.

Publicado
2018-05-28
Como Citar
MARTINS, M. N. P.; CARVALHO, C. F. DE. O ensino de gráficos estatísticos nos Anos Iniciais. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 9, n. 2, p. 247-264, 28 maio 2018.
Seção
Artigos Gerais