Interpretação de gráficos estatísticos por alunos do ensino médio na Educação de Jovens e Adultos – EJA

Palavras-chave: Educação de Jovens e Adultos, Pensamento e Letramento Estatísticos, Interpretação de Gráficos, Dimensões Pontual, Global e Variacional

Resumo

Apresentamos uma pesquisa que teve por objetivo investigar o desempenho de alunos do Ensino Médio na Educação de Jovens e Adultos (EJA) quando interpretam gráficos estatísticos de linhas e de colunas. Para tanto, apoiamo-nos nos estudos sobre a Educação Estatística e em resultados de pesquisas que abordam o pensamento e o letramento estatísticos e particularizam as dimensões pontual, global e variacional na interpretação dos gráficos. A pesquisa foi realizada com vinte e três alunos de uma escola da Região Metropolitana do Recife, em Pernambuco, que resolveram cinco atividades de interpretação de gráficos de linhas e de colunas publicados pela mídia, das quais apresentamos duas neste artigo. As análises mostram que os alunos tiveram um bom desempenho quando responderam questões inerentes à pontos isolados dos gráficos (dimensão pontual), ao passo que tiveram dificuldade para responder questões que envolvem as dimensões global e variacional. Estes resultados se aproximam dos achados de pesquisas realizadas em outros contextos de ensino e apontam para a necessidade de se repensar a maneira como a interpretação de gráficos vem sendo trabalhada na educação básica e, neste caso particular, no ensino de pessoas jovens e adultas que cursam o Ensino Médio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Proposta Curricular para a Educação de Jovens e Adultos: Segundo Segmento do Ensino Fundamental: 5.ª a 8.ª série: Secretaria de Educação Fundamental, Brasília, 2002.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Ensino Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais. Ensino Médio. Brasília (DF): MEC/SEF, 2002.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Ensino Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: ensino fundamental (5ª a 8ª série) /matemática. Brasília (DF): MEC/SEF, 1998.

CAMPOS, C. R. A Educação Estatística: uma investigação acerca dos aspectos relevantes à didática da estatística em cursos de graduação. 242f. Tese de doutorado. Rio Claro- SP: Universidade Estadual Paulista. Instituto de Geociências e Ciências Exatas. Campus de Rio Claro. 2007.

CAVALCANTI, E. Para variar: compreensões de estudantes dos anos iniciais diante de aspectos da variabilidade. 2011. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-graduação em Educação Matemática e Tecnológica, UFPE, Recife, 2011.

CAZORLA, I. M. A relação entre a habilidade viso-pictórica e o domínio de conceitos estatísticos na leitura de gráficos. 2002. Tese (Doutorado): Campinas, SP: Universidade Estadual de Campinas, 2002.

CORDANI, L. K. O ensino de Estatística e Probabilidade na Educação Básica, os PCN e os livros didáticos. I Workshop Nacional de Educação Estatística. Anais... Salvador- BA: I Workshop Nacional de Educação Estatística, 2014.

FONSECA, M. C. F. A educação matemática de jovens e adultos: especificidades, desafios e contribuições. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

FRANCISCO, V. R. Interpretação de dados estatísticos: um estudo com alunos do ensino médio da educação de jovens e adultos. 2016. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática e Tecnológica). Recife: Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), 2016.

GAL, I.; GINSBURG, L. The role of beliefs and attitudes in learning Statistics: Towards an Assessment Framework. Journal of Statistics Education, 2(2), 1994. Disponível em <http://www.amstat.org/publications/jse/v2n2/gal.html>. Acesso em agosto de 2017.

GARFIELD, J.; GAL, I. Teaching and Assessing Statistical Reasoning. In L. Stiff (ed.) Developing Mathematical Reasoning in Grades K-12: National Council Teachers of Mathematics, 1999. Yearbook, 207-219.

GARFIELD, J. The Challenge of Developing Statistical Reasoning. Journal of Statistics Education, Volume 10, Number 3, 2002. Disponível em: . Acesso em outubro de 2017.

GOLDENBERG, E. P. (1988). Mathematics, Metaphors and Human Factors: Mathematical, Technical and Pedagogical Challenges in the Educational Use of Graphical Representation of Functions, The Journal of Mathematical Behaviour, 7, (2), p.135-173.

GUIMARÃES, G. L. Interpretando e construindo gráficos de barra. 2002. Tese (Doutorado em Psicologia Cognitiva), Recife: Recife: Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), 2002.

GUIMARÃES, G. L.; GITIRANA, V.; ROAZZI, A. Interpretando e construindo gráficos. In: ANPED, 24a Associação Nacional de Pós-Graduação em Educação. Anais... Caxambú - MG, 2001.

KADER, G. D.; PERRY, M. A framework for teaching statistics within the K-12 Mathematics curriculum. Appalachian State Univerity, USA: Anais do ICOTS-7 de Salvador - BA, 2006.

LIMA, I. B.; SELVA, A. C. V. Jovens e adultos construindo e interpretando gráficos. Bolema, Rio Claro, v. 27, n. 45, abr. 2013.

LIMA, I. B. Investigando o desempenho de jovens e adultos na construção e interpretação de gráficos. 2010. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática e Tecnológica). Recife: Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), 2010.

LOPES, C. E. O Ensino da Estatística e da Probabilidade na Educação Básica e a Formação dos Professores. Caderno Cedes, Campinas-SP, vol. 28, n. 74, p. 57-73, jan./abr. 2008.

MARGOLINAS, C. De l’importance du vrai et du faux dans la classe de mathématiques. Grenoble: La Pensée Sauvage – Éditions, 1993.

PAGAN, M. A. A interdisciplinaridade como proposta pedagógica para o ensino de estatística na educação básica. 2009. 243f. Dissertação (Mestrado Profissional em Ensino de Matemática) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2009.

PERNAMBUCO. Secretaria de Educação. Parâmetros Curriculares para a Educação Básica do Estado de Pernambuco. Parâmetros Curriculares de Matemática. Educação de Jovens e Adultos. Recife, 2012.

SCHNEIDER, S. M.; FONSECA, M. C. F. Práticas Laborais nas Salas de Aula de Matemática da EJA: perspectivas e tensões nas concepções de aprendizagem. Bolema, Rio Claro (SP), v. 28, n. 50, p. 1287-1302, dez. 2014

SNEE, R. Statistical thinking and its contribution to quality, The American Statistician, 44, 116- 121, 1990.

SILVA, J. F.; CURI, E.; SCHIMIGUEL, J. Um Cenário sobre a Pesquisa em Educação Estatística no Boletim de Educação Matemática - BOLEMA, de 2006 até 2015. Bolema, Rio Claro (SP), v. 31, n. 58, p. 679-698, ago. 2017.

SILVA, J. F. O uso das TICs no ensino superior e suas contribuições para a educação estatística. 2014. 115 f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências). São Paulo: Universidade Cruzeiro do Sul, 2014.

SILVA, C. B.; KATAOKA, V. Y.; CAZORLA, I. M. Linguagem, Estratégia e Nível de Raciocínio de Variação dos Alunos do Ensino Fundamental II. Bolema, Rio Claro (SP), v. 24, n. 39, p. 515- 536, ago. 2011.

SOARES, M. B. Letramento e alfabetização: as muitas facetas. Revista Brasileira de Educação. n. 25. p. 5- 17, 2004.

Publicado
2018-05-28
Como Citar
FRANCISCO, V. R.; LIMA, I. M. DA S. Interpretação de gráficos estatísticos por alunos do ensino médio na Educação de Jovens e Adultos – EJA. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 9, n. 2, p. 147-166, 28 maio 2018.
Seção
Artigos Gerais