Educação Estatística e desenvolvimento do sentido de número: uma inter-relação possível

Palavras-chave: Sentido de Número, Investigação Matemática, Educação Estatística, Ciclo de Alfabetização

Resumo

Apresentamos parte de nossa pesquisa de Doutorado, desenvolvida junto ao Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática/UNESP- Campus Rio Claro. Procuramos compreender de que forma a Educação Estatística pode contribuir para que as crianças do 1º ano do ciclo de alfabetização desenvolvam o Sentido de Número. Realizamos uma investigação de cunho qualitativo na modalidade estudo de caso e buscamos referencial teórico na Educação Estatística, nos estudos sobre Sentido de Número e Investigação Matemática. A coleta de dados foi realizada, por meio de um conjunto de tarefas aos quais denominamos Contextos de investigação. Realizamos observação participante pois coube à pesquisadora a aplicação das tarefas. Em nossa análise, inferimos que as crianças adquiriram habilidades para usar números e métodos quantitativos, se envolveram com conceitos de números, operações com números, e aplicações de números e operações.  Na inter-relação número segundo o contexto da estatística e número segundo o contexto da matemática as tarefas ficaram impregnadas de Sentido de número. Constatamos que as tarefas do contexto da Estatística que permitam a criança coletar, tabular, analisar dados e comunicar suas ideias favorecem a exploração de números e suas relações e são elementos essenciais para o desenvolvimento do Sentido de Número das crianças.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais. 3.ed. Brasília: MEC/SEF, 2001.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretoria de Currículos e Educação Integral - DICEI. Coordenação Geral do Ensino Fundamental - COEF. Elementos conceituais e metodológicos para definição dos direitos de aprendizagem e desenvolvimento do ciclo de alfabetização (1º, 2º e 3º anos) do ensino fundamental. Brasília: MEC, 2012.

CAMPOS, C. R.; WODEWOTZKI, M. L. L. e JACOBINI, O. R. Educação Estatística: teoria e prática em ambiente de modelagem matemática. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2011.

CAMPOS, S. G. V. B. Sentido de número e estatística: uma investigação com crianças do 1º ano do ciclo de alfabetização. 2017. 152 f. Tese (Doutorado em Educação Matemática) - Universidade Estadual Paulista “Júlio Mesquita Filho”, Rio Claro, 2017.

CAMPOS, C. R. Towards Critical Statistics Education. Germany: LAP - Lambert Academic Publishing, 2016

CASTRO, J. P.; RODRIGUES, M. Sentido de número e organização de dados: Textos de Apoio para Educadores de Infância. Lisboa: Ministério da Educação, Direção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular, 2008b.

DELMAS, R. C. Statistical Literacy, Reasoning, and Learning. Journal of Statistics Education, v.10, n.3, 2002.

FRANKLIN, C. et al. Guidelines for assessment and instruction in statistics education (GAISE) report: a pre-k-12 curriculum framework. Alexandria: American Statistical Association, 2007.

GAL, I.; GARFIELD, J.B. The Assessment Challenge in Statistics Education. Amsterdã: IOS Press, 1997.

JESUS, A; SERRAZINA L. Actividades de natureza investigativa nos primeiros anos de escolaridade. Quadrante - Revista de Investigação em Educação Matemática. Lisboa, v. 14, n. 1, p. 03-35, 2005.

KRAMER, S. Infância e sua singularidade. In BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Departamento de Políticas de Educação Infantil e Ensino Fundamental. Coordenação Geral do Ensino Fundamental. Ensino Fundamental de nove anos: orientações gerais. Brasília: MEC/SEB, 2004.

LOPES, C. A. E. Literacia Estatística e INAF 2002. In FONSECA, M. C. (org.). Letramento no Brasil: habilidades matemáticas. São Paulo: Global, 2004. p. 85-97.

MCINTOSH, A.; REYS, B. J.; REYS, R. E. A proposed framework for examining basic Number Sense. For the Learning of Mathematics, Canadá, v. 12, n. 3, p. 2-44, 1992.

National Council of Teachers of Mathematics (NCTM). Principles and standards for school mathematics. Reston, VA: The Council., 2000.

MENDES, F.; DELGADO, C. A aprendizagem da multiplicação e o desenvolvimento do Sentido de número. In: BROCARDO, J.; SERRAZINA, L.; ROCHA, I. (org.). O Sentido de número: reflexões que entrecruzam teoria e prática (p. 159-182). Lisboa: Escolar Editora, 2008

MINAS GERAIS. Secretaria de Estado da Educação de Minas Gerais. Currículo Básico Comum do Ensino Fundamental (CBC) anos iniciais: ciclos de alfabetização e complementar. Belo Horizonte, 2014.

PONTE, J.P; BROCARDO, J.; OLIVEIRA, H. Investigações Matemáticas na sala de aula.

Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2006.

PONTE, J. P., et al. Histórias de Investigações Matemáticas. Lisboa: Instituo de Inovação Educacion, 1998.

SPINILLO, A. G. O Sentido de número e sua importância na educação matemática. In: BRITO, M. R. (Org.). Soluções de problemas e a matemática escolar. Campinas: Alínea, 2006. p. 83-111.

UBERLÂNDIA. Secretaria Municipal de Educação. Diretrizes Curriculares Municipais. Uberlândia, 2011.

TURKEL, S.; NEWMAN C. M. Qual é o teu número? Desenvolvendo o Sentido de número.

Revista Educação e Matemática, Lisboa, n. 25, p.31-33, 1993.

ZENKER, M. R. A criança do ensino fundamental de 9 anos: reflexões. In TIERNO, G. A criança de 6 anos: Reflexões e práticas. São Paulo: MECA - SIEEESP - Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino do Estado de São Paulo, 2008.

WILD, C. J.; PFANNKUCH, M. Statistical thinking in empirical enquiry. International Statistical Review, v. 67, n.3, p. 223-265, 1999.

Publicado
2018-05-28
Como Citar
CAMPOS, S. G. V. B.; WODEWOTZKI, M. L. L. Educação Estatística e desenvolvimento do sentido de número: uma inter-relação possível. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 9, n. 2, p. 88-106, 28 maio 2018.
Seção
Artigos Gerais