Discussão sobre o processo de elaboração de um livro paradidático para o Ensino de Probabilidade à luz da Teoria Antropológica do Didático

Palavras-chave: Livro Paradidático, Ensino de Probabilidade, Ensino Fundamental, Teoria Antropológica do Didático

Resumo

A questão orientadora da investigação foi apresentar o processo de elaboração de tarefas para o livro paradidático “Jogando na Olimpíada Nacional de Probabilidade”, de narrativa ficcional, no Ensino de Probabilidade para os anos finais do Ensino Fundamental sob a luz da Teoria Antropológica do Didático – TAD, na organização praxeológica didática e matemática (probabilística) que contemple aspectos relacionados aos conteúdos probabilísticos e que atenda às necessidades de compreensão e assimilação por parte dos alunos que estão terminando um ciclo de estudos. Partindo desse pressuposto, buscamos organizar os conteúdos com base na TAD, apresentando a elaboração do livro paradidático, composto por tarefas, constituída de uma sequência de subtarefas, que podem ser realizadas utilizando diversas técnicas justificadas pela tecnologia que se utiliza da Teoria da Probabilidade como objeto de estudo. As ações utilizadas no livro paradidático foram elaboradas, tomando como base alguns jogos que consideramos importantes para agregar motivação às atividades e relacionar os conteúdos probabilísticos a serem abordados. A intenção da construção do paradidático não é substituir o livro didático, mas complementá-lo e inserir este material como elemento essencial na formação dos alunos da Educação Básica em relação aos conteúdos de probabilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABE, T. S. O ensino de probabilidades por meio das visões clássica e frequentista. 2011. 192 f. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) - Centro de Ciências Exatas e Tecnologia, UFMS, Campo Grande (MS), 2011.

ALMOULOUD, S. A. Fundamentos da didática da matemática. Edição atualizada. Curitiba: Ed. UFPR, 2010.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Lei n. 9.394/96 de 20 de dezembro de 1996.

Diretrizes e Bases da Educação. LDB, 1996.

BROUSSEAU, G. A teoria das situações didáticas e a formação do professor. Palestra. São Paulo: PUC, 2006.

CHEVALLARD, Y. Conceitos fundamentais da Didáctica: perspectivas trazidas por uma abordagem antropológica. In. BRUN, J. Didáctica das Matemáticas. Lisboa: Horizontes Pedagógicos, 1996.

CHEVALLARD, Y. L’ analise dês pratiques enseignantes en théorie antropologique du didactique. Recherches en Didactique des Mathématiques. La Pensée Sauvage- Editions, Grenoble, França, v. 19, n. 2, p. 221-265, 1999.

CHEVALLARD, Y.; BOSCH, M.; GASCÓN, J. Estudar Matemáticas: O Elo Perdido entre o Ensino e a Aprendizagem. Porto Alegre: Artes Médicas, 2001.

DALCIN, A. Um olhar sobre o paradidático de matemática. 2002. 222 f. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) UNICAMP, Faculdade de Educação, Campinas, 2002.

GITIRANA, V.; GUIMARÃES, G. L.; CARVALHO, J. B. P. F de. Os livros paradidáticos para o ensino da Matemática. In: CARVALHO, J. B. P. F de. Matemática: Ensino Fundamental. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, v. 17, Coleção Explorando o Ensino, 2010. p. 91-96.

GODINO, J. D.; BATANERO, M. C.; CAÑIZARES, M. J. Azar y probabilidad (Colección: Matemáticas: cultura y aprendizaje). Madrid: Sínteses, 1996.

LIMA, A. S. de; GURGEL, T. C. M. da C.; ROCHA, M. B. da; PONTES, M. de O.

Descobrindo a geometria com o hagáquê. In: ENEM - Encontro Nacional de Educação Matemática, 11., 2013, Curitiba – Paraná. Anais... Curitiba: PUCPR, 18 a 21 de julho de 2013.

LOPES, J. M. Uma proposta didático-pedagógica para o estudo da concepção clássica de probabilidade. Bolema, Rio Claro (SP), v. 24, n. 39, p. 607-628, ago., 2011.

MENEZES, E. T. de; SANTOS, T. H. dos. Paradidáticos (verbete). Dicionário Interativo da Educação Brasileira - EducaBrasil. São Paulo: Midiamix Editora, 2002. Disponível em: <http://www.educabrasil.com.br/eb/dic/dicionario.asp?id=143>. Acesso em: 14. jun. 2014.

MUNAKATA, K. Produzindo livros didáticos e paradidáticos. 1997. 217 f. Tese (Doutorado em História e Filosofia da Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, PUCSP, São Paulo, 1997.

NACARATO, A. M.; LOPES, C. E. Escritas e leituras na Educação Matemática. Belo Horizonte: Autêntica, 2005.

PINTO, A. G. Uma Proposta de Livro Paradidático como Motivação para o Ensino de Matemática. 2013. 73 f. Dissertação (Mestrado em Matemática) – Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Seropédica, 2013.

SÃO PAULO. Cadernos de Apoio e Aprendizagem: Matemática. Programa de Orientações curriculares. Livro do Professor. São Paulo: Fundação Padre Anchieta, 2010.

Publicado
2018-05-28
Como Citar
OLIVEIRA JÚNIOR, A. P. DE; CIABOTTI, V. Discussão sobre o processo de elaboração de um livro paradidático para o Ensino de Probabilidade à luz da Teoria Antropológica do Didático. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 9, n. 2, p. 52-71, 28 maio 2018.
Seção
Artigos Gerais