Análise da variação de funções ensinada através da Resolução de Problemas

  • Eliane Bihuna de Azevedo Universidade do Estado de Santa Catarina
  • Elisandra Bär de Figueiredo
  • Pedro Manuel Baptista Palhares Universidade do Minho
Palavras-chave: Resolução de Problemas, Cálculo Diferencial e Integral, Sequência Didática, Análise da Variação de Funções

Resumo

Este trabalho é o recorte de uma pesquisa de doutoramento que visou inserir a metodologia de ensino-aprendizagem-avaliação de Resolução de Problemas para ensinar os conteúdos de Cálculo Diferencial e Integral. Este texto tem por objetivo apresentar uma sequência didática preparada para abordar o conteúdo de análise da variação de funções reais de uma variável real usando essa abordagem metodológica. A referida sequência didática foi aplicada em duas turmas dos cursos de Licenciaturas de uma universidade pública brasileira. Percebemos que essa tarefa contribuiu positivamente para a aprendizagem dos estudantes, pois a maioria dos participantes foi capaz de elaborar as conjecturas corretas e almejadas pelos pesquisadores. Outra contribuição desse trabalho está relacionada com o ensino, tecemos alguns comentários e dicas a professores que desejem inserir essa abordagem metodológica em sala, mas não se sintam familiarizados com a mesma.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABDELMALACK, A. O ensino-aprendizagem-avaliação de derivada para o curso de Engenharia através da resolução de problemas. Dissertação (Mestrado em Ciências e Matemática), Universidade Cruzeiro do Sul, São Paulo, 2011.

ALLEVATO, N. S. G. Associando o Computador à Resolução de Problemas Fechados: Análise de uma experiência. (Tese de Doutorado em Educação Matemática) – Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 2005.

ALLEVATO, N. S. G.; ONUCHIC, L. R. Ensino-Aprendizagem-Avaliação de Matemática: por que Através da Resolução de Problemas? In: ONUCHIC, L. R.; ALLEVATO, N. S. G.; NOGUTI, F. C. H.; JUSTILIN, A. M. Resolução de Problemas: Teoria e Prática, p. 35-52. Jundiaí/SP: Paco, 2014.

ANASTASIOU, L. G. C.; ALVES, L. P. Estratégias de ensinagem. ln: ANASTASIOU, L. G. C., ALVES, L. P. Processos de ensinagem na Universidade: pressupostos para as estratégias de trabalho em aula. 5 ed. Joinville-SC, Univille, 2009.

AZEVEDO, E. B. Vivenciando a metodologia de ensino-aprendizagem-avaliação através da Resolução de Problemas nas aulas de Cálculo Diferencial e Integral. Tese de doutorado. Universidade do Minho, Braga, Portugal, 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Parâmetros curriculares nacionais para o ensino médio. Brasília: MEC, 2000.

BRASIL. Ministério da Educação, Secretaria da Educação Básica. Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias (Orientações curriculares para o ensino médio; volume 2). Brasília, 2006.

BRASIL. Ministério da Educação, Secretaria da Educação Básica. Base Nacional Curricular Comum. Brasília, 2018.

CURY, H. N. Pesquisas em análise de erros no ensino superior: retrospectiva e novos resultados. In: Educação Matemática no Ensino Superior: Pesquisas e Debates. Recife: SBEM, p. 223–238, 2009.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa sociais. Ed. Atlas, São Paulo, 2008.

GERHARDT, T. E.; SILVEIRA, D. T. Métodos de Pesquisa. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009.

GUIMARÃES, H. M. Pólya e as capacidades matemáticas. In: Educação e Matemática. Lisboa: Associação de Professores de Matemática, n. 114, p. 28-35, 2011. Nota biográfica da entrevista de George Pólya cedida à Jeremy Kilpatrick.

LAMBDIN, D. V.; WALCOTT, C. Changes through the Years: Connections between Psychological Learning Theories and the School Mathematics Curriculum. In: MARTIN, W. G. et al. (Eds.). The Learning of Mathematics. Reston, VA: NCTM, p. 3–25, 2007.

LIMA, S. A.; SILVA, S. C. R.; SANTOS Jr; G. S.; ALMEIDA, M. F. A. O ensino de Cálculo Diferencial e Integral em um curso de Administração: principais dificuldades de aprendizagem dos alunos. IV Sinect, Ponta Grossa, 2014.

MENESTRINA, T. C; GOUDARD, B. Atualização e revisão pedagógica de cálculo e álgebra: Concepções e atitudes Inovadoras. XXXI COBENGE. Joinville-SC, 2003.

ME-DGIDC. Programa de Matemática do Ensino Básico. Lisboa: Ministério da Educação, Departamento de Educação Básica, 2007.

NCTM. An Agenda for Action. Reston. VA: National Council of Teachers of Mathematics, 1980.

NOGUTI, F. C. H. Um curso de Matemática Básica através da Resolução de Problemas para os ingressantes da Universidade Federal do Pampa – Campus Alegrete. (Tese de Doutorado em Educação Matemática) – Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 370 f, 2014.

NUNES, C. B. Resolução de Problemas: uma proposta didática na formação de professores. REnCiMa, v. 5, n. 2, p. 1-17, 2014.

ONUCHIC, L. R.; ALLEVATO, N. S. G. Pesquisa em Resolução de Problemas: caminhos, avanços e novas perspectivas. Bolema, Rio Claro-SP, v. 25, n. 41, p. 73-98, 2011.

ONUCHIC, L. R. Ensino-aprendizagem de Matemática através da resolução de problemas. In: Bicudo, M. A. V. (Org.). Pesquisa em Educação Matemática: Concepções e perspectivas. São Paulo: Editora UNESP, p. 199-218, 1999.

PAGANI, E. M. L.; ALLEVATO, N. S. G. Ensino e aprendizagem de Cálculo Diferencial e Integral: um mapeamento de algumas teses e dissertações produzidas no Brasil. VIDYA, Santa Maria, v. 34, n. 2, p. 61-74, 2014.

PAGANI, E. M. L.; ALLEVATO, N. S. G. O trabalho com derivadas no Ensino Médio através da Resolução de Problemas: aspectos da avaliação. REnCiMa, v. 7, n. 1, p. 86- 101, 2016.

PIRONEL, M. A avaliação integrada no processo de Ensino-Aprendizagem-Avaliação da Matemática. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) – Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, São Paulo, 2002.

POLYA, G. A arte de resolver problemas: um novo aspecto do método matemático.

Tradução e adaptação Heitor Lisboa de Araújo. Rio de Janeiro, Interciência, 2006.

POLYA, G. On Solving Mathematical Problems in High School. In: KRULIK, S; REYS, R. E. Problem Solving in School Mathematics. NCTM: Yearbook, United States of America, 1980.

PÓLYA, G. Pólya e as capacidades matemáticas. [abril de 1978]. Lisboa: Revista Educação e Matemática, n.114, p. 28-35, 2011. Entrevista cedida à Jeremy Kilpatrick, Universidade da Georgia, Athens, EUA. Tradução: Henrique Manuel Guimarães.

RAFAEL, R. C.; ESCHER, M. A. Evasão, baixo rendimento e reprovações em Cálculo Diferencial e Integral: uma questão a ser discutida. VII Encontro Mineiro de Educação Matemática. 12 p., Juiz de Fora, 2015.

REZENDE, W. M. O ensino de Cálculo: Dificuldades de natureza epistemológica. Tese (Doutorado em Educação – Ensino de Ciências e Matemática), Programa de Pós- Graduação em Educação da Universidade de São Paulo, 2003.

SCHROEDER, T. L.; LESTER Jr, F. K. Developing Understanging in Mathematics via Problem Solving. In: P. R. Trafton (Ed.) New Directions for Elementar School Mathematics. Reston, VA: NCTM, p. 31-42, 1989.

Publicado
2019-10-07
Como Citar
DE AZEVEDO, E. B.; DE FIGUEIREDO, E. B.; PALHARES, P. M. B. Análise da variação de funções ensinada através da Resolução de Problemas. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 10, n. 5, p. 32-52, 7 out. 2019.
Seção
Artigos Gerais