Tecnologia em processos culturais de ensino revelados por professores

Palavras-chave: Tecnologia, Ensino, Hábitus Professoral

Resumo

Nossos estudos partem das discussões da noção de habitus professoral (Bourdieu, 2011; Silva 2005) e de Fuglestad, et al. (2010) ao evidenciar que a inserção bem-sucedida de artefatos em qualquer nova prática implica necessariamente mudanças culturais. Alicerçados por estes teóricos, investigamos o habitus professoral no que se refere à inserção de tecnologias digitais nas práticas profissionais de professores, a fim de que o aluno assuma papel ativo em sua aprendizagem. E nesse contexto, como enquanto formadores, podemos abalar as estruturas estruturadas desse habitus, para que professores (res)signifiquem sua prática pedagógica vislumbrando outras possibilidades de abordagem dos conteúdos que superem a lógica reprodutivista. As análises estão ancoradas principalmente na elaboração e discussões de duas tarefas com o uso de tecnologia digital em uma disciplina de doutorado.  O trabalho revelou que a cultura da sala de aula ainda é a de transmitir conhecimento e não de problematizar questões de forma que o aluno busque respostas a estes problemas. Dentre as dificuldades na inserção das tecnologias digitais à prática do professor em sala de aula, ainda prevalece a falta de recursos para o desenvolvimento de tarefas com recursos tecnológicos, além do engessamento do sistema de ensino que inviabiliza mudanças na abordagem dos conteúdos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BOURDIEU, P. PASSERON, J.C. A Reprodução. Elementos Para Uma Teoria do Sistema de Ensino. São Paulo: Editora Vozes, 5. ed., 2011.

Experiências avaliativas de tecnologias digitais na educação. (2016). 1.ed. São Paulo, SP: Fundação Telefônica Vivo, 2016.

FEENBERG, A. Teoria crítica da tecnologia. Nota autobiográfica. Tradução: Equipe de Tradutores do Colóquio Internacional “Teria Crítica e Educação”. Conferência Colóquio Internacional “Teoria Crítica e Educação”. Piracicaba, 2004.

FUGLESTAD, A. B.; HEALY, L.; KYNIGOS, C.; MONAGHAN, J. Working with Teachers: Context and Culture. In: Mathematics Education and Technology-Rethinking. New ICMI Study Series. v.13. Springer, The 17th ICMI Study, 2010, p. 293-311.

HEALY, L.; LAGRANGE, J.B. Introduction to Section 3. In: Mathematics Education and Technology-Rethinking. New ICMI Study Series. v.13. Springer, The 17th ICMI Study, 2010. p. 287-293.

MORAN, J. M. O desafio da inserção de novas tecnologias na escola pública. In: Eductrix. Editora Moderna, ano 4, n.6, 2014.

MOREIRA, M. A. Mapas conceituais e aprendizagem significativa. Disponível em:

<https://www.if.ufrgs.br/~moreira/mapasport.pdf>. 2012. Acesso em: 05 set. 2017.

MOREIRA, M. A. Modelos científicos, modelos mentais, modelagem computacional e modelagem matemática: aspectos epistemológicos e implicações para o ensino. Revista Brasileira Ensino de Ciência e Tecnologia, v.7, n. 2, 2014.

MUENCHEN, C.; DELIZOICOV, D. Os três momentos pedagógicos e o contexto de produção do livro “Física”. Revista Ciência e Educação, Bauru, v. 20, n.3, 2014.

SILVA, M. O habitus professoral: o objeto dos estudos sobre o ato de ensinar na sala de aula. Revista Brasileira de Educação. v. 29, 2005.

VALENTE, J. A. Diferentes usos do computador na educação. Em Aberto, Brasília, ano 12, n.57, 1993.

VALENTE, J. A. O uso inteligente do computador na educação. Pátio. Ano 1, n. 1, p. 19- 12, 1997.

VALENTE, J. A. Análise dos diferentes tipos de softwares usados na educação. In: VALENTE, J. A. (Org.). O computador na sociedade do conhecimento. Campinas, SP: Gráfica da Unicamp, 1999.

VIEIRA PINTO, A. O conceito de tecnologia. v. 1. Rio de Janeiro: Contraponto, 2005.

Publicado
2018-09-29
Como Citar
BASNIAK, M. I.; DA SILVA, S. DE C. R. Tecnologia em processos culturais de ensino revelados por professores. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 9, n. 4, p. 169-182, 29 set. 2018.
Seção
Artigos Gerais